sábado, 1 de outubro de 2016

É SÓ RESPIRAR...


Existe uma coisa tão simples, que fazemos diariamente, a todo instante, quase sem sentir, que é fundamental para nossa existência e sobrevivência: RESPIRAR.

Parece até uma incoerência, mas ninguém fica observando o jeito como respira, ou tenta tomar consciência da importância da respiração, no entanto, ela é fundamental para nossa sobrevivência enquanto seres materiais.

Podemos viver vários dias sem comer e alguns sem beber, mas sobrevivemos somente poucos minutos sem respirar. O ar é o nosso principal alimento, a sua ausência priva-nos de vida e a sua insuficiência causa graves doenças.



A respiração é de tal forma importante na nossa vida que se inicia com o nascimento e termina com morte. Mas na realidade, que importância lhe damos? Passamos uma vida inteira sem ter consciência de como respiramos!

Mas o interessante é que algo tão simples e mecânico como respirar pode ser a solução para problemas físicos e emocionais.

Temos consciência de como a nossa respiração se torna mais rápida, superficial e tensa quando estamos stressados ou preocupados? 



Pelo contrário, quando relaxamos ou meditamos ela torna-se lenta, profunda e fluida. Assim sendo, a forma como respiramos tem efeitos a nível físico, emocional e mental.


Abaixo o vídeo "Apenas Respire", o olhar da criança sobre a importância da respiração!!



                                                              

Os yogis afirmam que quando o domínio do movimento respiratório é conseguido com perfeição, consegue-se a faculdade de governar à vontade todas as forças inerentes à natureza do homem, adquire-se o domínio completo do funcionamento interno do corpo e desenvolvem-se novas faculdades mentais.

Para os praticantes de yoga, Prana é a energia vital universal que permeia o cosmo, absorvida pelos os seres vivos através do ar que respiram.  Segundo a filosofia yogue da respiração, ou ar, é apenas uma porta de entrada para o mundo do prana e sua manifestação no corpo.



Prana, geralmente é traduzido e entendido como energia ou força vital que mantêm todas as atividades do nosso organismo e todo o universo. Diz-se que “o ar tece o Universo.” Ou seja, o prana permeia tudo que é vivo neste universo – o princípio da vida. 

O PRANA é o princípio de todo o dinamismo, força e movimento. No homem, é desta força vital que é feito o corpo sutil, diferente do físico, mas graças ao qual se realizam todos os fenômenos energéticos do organismo. 

Explorando um pouco mais esse termo chegamos a compreensão de que prana é o que “dá vida” a tudo que existe. É a força propulsora.




Acredita-se também, que esta energia vital seja o veículo da consciência, por carregar e conduzir a percepção. Se o prana existe em todo o universo, ele existe também em todos os planos de manifestação. Nenhum plano ou vida pode existir sem essa energia, porque ela é necessária para a vitalização e funcionamento de todos os veículos, meios e formas.

É o substrato vital, energético, de todas as funções orgânicas e psíquicas. É o elemento dinamizante de toda a espécie de substâncias. Prana é o princípio sutil da energia atuante no mundo fenomênico. 

Está  além da percepção normal do homem, mas como tantas outras coisas que ele não pode perceber, segundo seu funcionamento habitual, faz parte integrante da imensa riqueza e variedade da criação.

A vitalidade de uma pessoa, sua irradiação magnética, sua "personalidade", são expressões de prana. A quantidade de Prana que maneja um indivíduo constitui seu verdadeiro capital energético. 



Prana, em seu verdadeiro sentido, é a energia da função absorvente, atrativa, integradora: tira do ambiente a energia de que o indivíduo necessita, principalmente através do ar inalado.

São dois extremos opostos. Os consideramos como um só. Dizemos, “respiração”, mas a respiração tem dois extremos: a inspiração e a expiração. 

Inalar é realmente o contrario de exalar e a expiração é totalmente contraria a inspiração. Em um único instante, a inalação é como o nascimento e a exalação é como a morte. Em um único instante as duas coisas se sucedem. Quando inala, nasce; quando exala, morre. Em um único instante existem o nascimento e a morte. Esta polaridade é a energia vital ascendendo, descendendo. 



Como a energia vital faz a ponte entre o corpo e a mente, controlando a respiração produzimos um estado adequado a mente e vice-e-versa. Através da respiração correta, fortalecemos e vitalizamos nosso corpo e mente. O contrário também acontece, uma respiração errada, enfraquece o corpo, e traz inquietação à mente.

Na yoga, técnicas são usadas ​​para controlar o movimento destas energias vitais dentro do corpo, o que é dito conduzir a um aumento da vitalidade do praticante.
Pranayamas:




A palavra pránáyáma é composta de dois radicais: prana, que significa bio-energia, alento primordial, energia vital e yama, que significa domínio. 

Literalmente, pránáyáma quer dizer domínio da bio-energia.

Emprega-se o termo com diferentes significados, mas todos eles giram em torno do significado acima descrito. A definição que melhor o explica é a seguinte: pránáyáma é a parte da união total com a Consciência Universal que trata do domínio das energias psíquicas mediante a regulação do movimento respiratório.




A finalidade imediata  do pránáyáma é a união, harmonia ou equilíbrio de duas energias: prana e apana. O ponto que une ou separa ambas as energias ou movimentos é precisamente o kumbhaka (retenção) ou ponto neutro, tanto o interno como o externo. 

A prática dos exercícios de pránáyáma produz uma mudança definida na respiração habitual. A maior elasticidade dos pulmões e do aparelho muscular respiratório conseguida com os exercícios traduz-se por uma respiração muito mais profunda.


Entra maior quantidade de oxigênio no fim do dia o que aumenta a purificação do sangue e, por conseguinte, revitaliza-se todo o organismo. 

Acentua-se a ação da massagem mecânica produzida pelos movimentos da inspiração e da expiração sobre o coração, estômago, pâncreas, fígado, rins e intestinos, graças a que as funções desses órgãos ficam eficazmente estimulados. 

A saúde melhora rapidamente. Transtornos funcionais de vários tipos são prontamente corrigidos e eleva-se o tônus vital de todo o organismo em geral.



Prana kriya





A respiração profunda, suave e consciente é uma das principais formas de nos manter conectados com o momento presente.  

A respiração é um dos atos mais importantes de nossa vida e é o único processo fisiológico duplamente voluntário e involuntário. 


Passamos a maior parte do tempo sem nos dar conta de nossa respiração. Porém, se quisermos, podemos acelerar, retardar, parar e recomeçar o ritmo respiratório. 

Ao determinar o ritmo e trazer a consciência ao ato de respirar, você pode estabilizar as oscilações da mente, conquistar equilíbrio em seus pensamentos, alcançando um estado de aquietamento interior.




Kriya é “ação com consciência”, que é tanto o veículo quanto o destino dos praticantes de Prana Kriya, fazendo todas as nossas ações objeto de atenção.

Existe uma espécie de consenso em torno do que se conhece como prana kriya, respiração completa, ou respiração yogika. Esse consenso afirma que há três fases na respiração: alta, média e baixa, e que essas três fases devem ser feitas seguindo uma ordem determinada. 

Essa ordem seria de baixo para cima ao inspirar, e de cima para baixo ao expirar. Nove entre dez professores de Yoga irão ensinar a respiração completa dessa forma.

A respiração completa promove o aumento da capacidade pulmonar, da resistência e do tônus geral do organismo, desintoxicação e oxigenação celular, rejuvenescimento e tonificação. 

No aspecto psíquico, manifesta-se numa atitude aberta em relação ao mundo, expansão total de si, concentração, entrega, felicidade.



Desde o ponto de vista psicológico, esta maneira de respirar favorece o estado de atentividade, a paz e a clareza mental.  É ótimo para revigorar o sistema nervoso, melhorando o rendimento intelectual da pessoa. Os sinais visíveis desta purificação do corpo sutil são: perfeito estado físico, pele suave e brilhante e muita energia, reforço do sistema imunológico.

O Prana kriya está ao alcance de toda e qualquer pessoa. Ser capaz de respirar é o seu único requisito. 


Sudarshan Kriya





“É direito de todo ser humano ter o corpo livre de doenças e a mente livre de estresse. No entanto, nem em casa, nem na escola nós aprendemos a lidar com as emoções negativas”. - Sri Sri Ravi Shankar

A citação do indiano Sri Sri Ravi Shankar, líder humanitário e fundador da ONG Arte de Viver, presente em mais de 150 países, é pura verdade, não é mesmo? 

A respiração é a ligação entre o corpo e a mente. Dessa forma, podemos aprender a utilizar a respiração de forma habilidosa, e mudar a forma como nos sentimos, liberando as emoções negativas como estresse, raiva, ansiedade, depressão e preocupação, deixando nossa mente feliz, relaxada e energizada.



É então que entra a técnica de respiração Sudarshan Kriya. Assim como existem ritmos na natureza (dia e noite, estações do ano, etc) existe também um ritmo no corpo, na mente e nas emoções. 

O Sudarshan Kriya incorpora ritmos naturais específicos de respiração que harmonizam o corpo, a mente e as emoções. 

Essa poderosa técnica de respiração elimina o estresse, a fadiga e emoções negativas, tornando as pessoas que a praticam mais calmas e relaxadas, e ao mesmo tempo energizadas e focadas.

Quando nossos ritmos são perturbados, por excesso de trabalho, hábitos alimentares de má qualidade ou um estilo de vida acelerado, nos sentimos estressados, desconfortáveis ou adoecemos. 



O Sudarshan Kriya harmoniza todo o sistema, limpando o estresse acumulado diariamente e tornando o praticante mais feliz e saudável.

Você já deve ter reparado que cada ritmo da respiração está associado a uma emoção diferente. Se ainda não se deu conta disso, pare e pense: quando estamos passando por um momento de tensão, somos capazes de quase perder o ar. Se estamos com raiva, a respiração fica intensa e rápida. Após exercícios físicos, seu ritmo fica acelerado. Quando o estresse predomina, respirar se torna difícil, uma tarefa realmente pesada. É como se o ar não coubesse nos pulmões.

A grande sacada, no entanto, está em virar o jogo, usando a respiração a nosso favor, o que quer dizer não deixá-la seguir, desnorteada, o ritmo das nossas emoções. “




Ao invés disso, podemos usar a respiração como ferramenta para controlar o nosso emocional, reduzindo o estresse, aumentando a concentração e melhorando a saúde de forma geral”.

Quando bem utilizada, a respiração pode se transformar em uma fonte de tranquilidade, saúde e qualidade de vida para pessoas de todas as idades – desde crianças até idosos. “O segredo está em aprender a respirar de forma consciente, através de exercícios ritmados e com posturas específicas”.



A respiração profunda acalma, relaxa, harmoniza e leva o ser humano a ter maior autoconhecimento. “Normalmente, quem pratica exercícios de respiração também acaba meditando. Essa união leva a pessoa a se conhecer melhor, tornando-se mais consciente de suas emoções e de suas escolhas”.

É comprovado que respirar de forma correta ajuda a eliminar até 80% das toxinas do organismo. “As pessoas utilizam, em média, somente 30% da capacidade pulmonar. Por isso, aprender a respirar bem é importante não só do ponto de vista emocional, como também físico, uma vez que, expandindo a nossa capacidade pulmonar através de técnicas específicas, eliminamos mais substâncias prejudiciais à saúde do nosso corpo”.

Su = apropriada; Darshan = visão; Kriya = ação purificadora (com consciência). Sudarshan Kriya tem benefícios cientificamente reconhecidos, como a redução do estresse, da ansiedade e da agressividade, o aumento da concentração e a melhora do humor, trazendo mais alegria, entusiasmo e paz ao dia a dia.



“Pesquisas independentes comprovaram que a técnica reduz significativamente o cortisol, que é o hormônio do estresse, aliviando a ansiedade e melhorando as funções cerebrais, além de limpar as células do organismo”.

A prática do Sudarshan Kriya deve ser diária, mas só é possível aprendê-la através de um curso de 22 horas, dividido em seis dias consecutivos. “São ensinadas diferentes técnicas de respiração, incluindo posturas e ritmos. 

Parece difícil, mas o guru indiano Sri Sri Ravi Shankar atesta que é possível, e em apenas 22 horas. “É uma combinação: você aprende yoga e a meditação acontece, a respiração melhora. As pessoas tendem a achar que a ioga é uma coisa chata, que você se sente, fecha os olhos, por horas, mas não é. Você só precisa de algumas habilidades, afinal, segurar uma guitarra não faz de você um guitarrista”, diz.

Se respiramos mal, alimentamos apenas os centros mais primitivos do cérebro. Ficamos reféns do medo e da agressividade e das emoções negativas, como inveja, medo, competição”, conclui.





                                                                           









Fontes:http://www.artofliving.org/br-pt/sudarshan-kriya
http://www.colegiomistico.com.br/pranayamas.aspx
http://www.yoga.pro.br/


2 comentários:

  1. Gosto muito deste site inclusive das indicações de vídeos e filmes. Se me permite uma observação eu diria que Dr. Joshua David Stone, mestre que nos deixou, especialmente em livros, um legado muito importante para ajudar em nossa caminhada, Merece estar entre aqueles de sua página LUZES DO MUNDO. OBRIGADO

    ResponderExcluir
  2. Caro Arcanjo 10, adoramos sua presença e agradecemos pela dica. Em breve postaremos um LUZES DO MUNDO com o psicologo e mestre Dr. Joshua David Stone. Abraços!

    ResponderExcluir