sexta-feira, 14 de outubro de 2016

A Casualidade Não Existe, Existe Apenas a Sincronicidade





“A casualidade não existe, o que nos é apresentado como acaso surge das fontes mais profundas” – Friedrich Schiller

Já aconteceu com todo mundo… Todos nós já passamos por alguma situação na qual acontecia uma coincidência tão improvável que parecia mágica, como se existissem conexões entre os acontecimentos, pessoas e informações, através de fios invisíveis que podemos vislumbrar por poucos momentos.

Tenho certeza de que, alguma vez, aconteceu de um livro ou um anúncio publicitário te dar a resposta daquela dúvida que vinha continuamente te atormentando; aquela dúvida que ia te fazer ligar para alguém, pois talvez pudesse te ajudar a resolvê-la, e nesse mesmo instante, é a pessoa quem te liga; ou foi você quem encontrou, no meio do nada, de forma inesperada, exatamente a pessoa que precisava… 

Uma imagem, uma palavra, um número que aparece para você repetidamente em um mesmo dia. Numa conversa sem importância, alguém desconhecido lhe traz a informações que você estava tanto buscando. Você se faz uma pergunta e, no instante seguinte, toca uma música que parece lhe responder.



Isso não é casualidade, e sim sincronicidade, um dos aspectos mais enigmáticos e surpreendentes do universo.

Quantas vezes você não se deparou com coincidências ou encontros e não pôde explicar como ocorreram? Ou seja, quando existe uma coincidência entre um sentimento ou um pensamento e acontece um evento externo do qual a pessoa sente como significativo, damos o nome de sincronicidade. 

As coincidências significativas mais comuns acontecem quando estamos num momento de maior reflexão sobre o sentido da vida, momentos que parecem de algum modo diferentes, mais intensos e que não conseguimos muito explicar o que ocorre.


"A sincronicidade começa com uma maior percepção de como nossas vidas seguem em frente. Notamos aqueles acontecimentos casuais que se dão no momento certo, e fazem aparecer os indivíduos certos, e de repente lançam nossas vidas numa nova e importante direção. Talvez mais que quaisquer outras pessoas, em qualquer outra época, intuímos um sentido superior nessas misteriosas ocorrências." - JAMES REDFIELD

O que é a sincronicidade?



O psicólogo Carl G. Jung foi quem nomeou o termo como sincronicidade, referindo-se à “simultaneidade de dois acontecimentos interiores e exteriores, de um modo que não é possível explicar, mas que tem certo sentido para a pessoa que observa”.

A sincronicidade é um dos termos mais controversos e menos compreendido da Psicologia Analítica de Carl Jung. Jung criou o termo empírico sincronicidade para poder explicar acontecimentos que fogem da causalidade e das leis do tempo e espaço.

Em resumo, sincronicidade é um conceito desenvolvido por Carl Gustav Jung para definir acontecimentos que se relacionam não por relação causal e sim por relação de significado. 

Desta forma, é necessário que consideremos os eventos sincronísticos não a relacionado com o princípio da causalidade, mas por terem um significado igual ou semelhante. 



A sincronicidade é também referida por Jung de "coincidência significativa".

O termo foi utilizado pela primeira vez em publicações científicas em 1929, porém Jung demorou ainda mais 21 anos para concluir a obra "Sincronicidade: um princípio de conexões acausais", onde o expõe e propõe o início da discussão sobre o assunto. 

Uma de suas últimas obras foi, segundo o próprio, a de elaboração mais demorada devido à complexidade do tema e da impossibilidade de reprodução dos eventos em ambiente controlado.

Em termos simples, sincronicidade é a experiência de ocorrerem dois (ou mais) eventos que coincidem de uma maneira que seja significativa para a pessoa (ou pessoas) que vivenciaram essa "coincidência significativa", onde esse significado sugere um padrão subjacente, uma sincronia .

A sincronicidade difere da coincidência, pois não implica somente na aleatoriedade das circunstâncias, mas sim num padrão subjacente ou dinâmico que é expresso através de eventos ou relações significativos. 

Foi este princípio, que Jung sentiu abrangido por seus conceitos de Arquétipo e Inconsciente coletivo, justamente o que uniu o médico psiquiatra Jung ao físico Wolfgang Pauli, dando início às pesquisas interdisciplinares em Física e Psicologia. 

Ocorre que a sincronicidade se manifesta às vezes atemporalmente e/ou em eventos energéticos acausais, e em ambos os casos são violados princípios associados ao paradigma científico vigente.

Segundo Rocha Filho (2007), inclusive o insight pode ser um fenômeno sincronístico, assim como muitas descobertas científicas que, de acordo com dados históricos, ocorreram quase simultaneamente em diferentes lugares do mundo, sem que os cientistas tivessem qualquer contato. 



Acredita-se que a sincronicidade é reveladora e necessita de uma compreensão, e essa compreensão poderia surgir espontaneamente, sem nenhum raciocínio lógico. A esse tipo de compreensão instantânea Jung dava o nome de "insight"

Jung chegou à conclusão de que há uma íntima conexão entre o indivíduo e o ambiente ao seu redor, que em determinados momentos exerce uma atração que acaba criando circunstâncias coincidentes, tendo um valor específico para as pessoas que a vivem, um significado simbólico. 


"Sabemos que a vida na verdade é um desdobramento espiritual, pessoal e fascinante — um desdobramento que nenhuma ciência, filosofia ou religião esclareceram completamente ainda. E sabemos outra coisa também: que tão logo compreendamos o que se passa, como utilizar esse processo alusivo e maximizar sua ocorrência em nossas vidas, a sociedade humana dará um salto quantitativo para um modo de vida inteiramente novo — um modo que realize o melhor de nossa tradição — e criará uma cultura que sempre foi a meta da história." - JAMES REDFIELD


Sincronicidade seria portanto a conexão entre a psique humana e as ocorrências exteriores, o mundo interior e exterior. 

Tudo em nosso universo é formado por energia. Absolutamente tudo é energia, em diferentes estados vibracionais. Sendo assim, tudo representa uma gotinha do oceano de energia. Uma gota individual, ainda assim é parte do oceano, ligada e mesclada a todas as outras gotas que também dele fazem parte, assim como as células que formam nosso corpo.

Estamos todos interligados nesse oceano de energia, mas não estamos acostumados com a sua "linguagem". 



Através da natureza, de acontecimentos, de situações, de pessoas, ou seja, através de tudo que faz parte do universo essa linguagem se manifesta.

Aquilo que consideramos aleatório representa nossa incompreensão diante dessa linguagem tão ampla.

Ao estar mais atento à sua vida, a essas coincidências e sinais, é possível utilizar esses conhecimentos para viver de maneira mais leve, fluida e harmoniosa. 

O universo sinaliza de diversas maneiras o fluxo de nossa vida. Alguns sinais são mais visíveis e perceptíveis, outros mais sutis e mais difíceis de serem captados.

As coincidências surgem de diversas formas na nossa vida, podem ser através de mensagens trazidas por pessoas que cruzam o nosso caminho, através de intuições, pensamentos e, até mesmo, de sonhos.


Tudo o que surge na nossa vida está muito além do acaso, só temos de permitir e estar receptivos à essas coincidências, lembrando que nada, nada mesmo, acontece por acaso.


"Sincronicidade é ligação interior com a energia divina. Ao explorar e seguir nossa divindade interior, podemos estabelecer um contato pessoal com um tipo de experiência chamada mística. Em nossa busca deste estado alterado, distinguimos entre a descrição intelectual desta consciência e a consciência em si. Sob este aspecto, aplicamos certas medidas experimentais que indicam que estamos em conexão com esta energia espiritual." - JAMES REDFIELD


A sincronicidade representa para nós, no plano físico, a ideia ou solução que se esconde em nossa mente… maquiada de surpresa e coincidência, sendo, dessa maneira, muito mais fácil alcançar.

Não há explicação racional para situações em que uma pessoa tem um pensamento, sonho ou um estado psicológico interior que coincida com um acontecimento. 

Quando entendemos e aceitamos a idéia de sincronicidade, qualquer acontecimento pouco comum é um convite para parar e pensar. 

O universo é planejado para responder à nossa consciência, mas ele nos dará de volta apenas o nível de qualidade que nós apresentarmos. Assim, o processo de descobrir quem somos e o que temos a fazer aqui, e aprender a acompanhar as misteriosas coincidências que podem nos guiar, depende, em grande parte, da nossa capacidade de permanecermos positivos e de encontrarmos o lado bom de todos os acontecimentos.

Como compreender, então, o significado por trás dessas coincidências? Saber interpretá-las depende do exercício de nossa percepção para isso. Você vai usar mais a sua habilidade de sentir do que a de pensar. É preciso deixar o significado vir de dentro de você através do sentir. Por isso é preciso acalmar os pensamentos para que possamos identificar esses sentimentos.

Podemos sentir que algo está tentando nos dizer alguma coisa e essa sensação aumenta com cada novo acontecimento nesse sentido. 

Ter consciência de que as coincidências acontecem conosco é o primeiro passo para que passem a acontecer cada vez mais. 

Seja qual for o sinal, sentimos que é preciso decifrar uma mensagem e com isso tendemos a nos conhecer e crescer. É quando começamos a ter consciência de que algumas ocorrências podem mudar nossa vida. 



Para a sincronicidade, as coincidências dos acontecimentos significam algo mais do que mero acaso. 

A sincronicidade pode nos dar a confirmação de que estamos no caminho correto, ou ainda, que devemos mudar o rumo que estamos indo. 

Algumas sensações como calafrio subindo pela espinha, de espanto ou calor, freqüentemente acompanham a sincronicidade.

Não importam os detalhes da coincidência, sentimos que ela é improvável demais para ser resultado da sorte ou de um mero acaso. 

Quando uma coincidência nos chama a atenção, nós nos sentimos, mesmo que por um instante, impressionados pelo que aconteceu; de alguma forma sentimos que esses acontecimentos estavam fadados a ocorrer, estavam destinados a acontecer exatamente quando aconteceram, para mudar a nossa vida, dando-lhe uma direção nova e mais inspiradora.

Quando passar a ouvir sua intuição, sua voz interior, logo perceberá que sua confiança proporcionalmente irá aumentar. 

Comece a ficar atento aos fatos de sua vida e em que circunstâncias eles ocorreram. Poderá ainda fazer um exercício construindo sua linha de tempo para aumentar seu autoconhecimento. 

Isso não significa ficar buscando significado em absolutamente tudo que acontece, mas estar aberto para perceber as coincidências. Depois é preciso criar as condições para alcançar o significado dessas situações, treinando sua percepção. 

Uma boa maneira de permitir que essa linguagem se torne mais clara é meditar. Existem muitas maneiras de se meditar. Uma delas é focar sua atenção em sua respiração. 

O importante é desenvolver essa capacidade de perceber e interpretar a linguagem do universo e da vida. 

Uma experiência sincronística costuma acontecer em nossas vidas quando menos esperamos, mas no momento exato, às vezes mudando a direção de nossas vidas e influenciando em nossos pensamentos. 


Mas para isso, precisamos estar receptivos e atentos ao mundo ao nosso redor, criando a abertura necessária para a possibilidade de acontecer a sincronicidade.








Postagem baseada nas seguintes fontes:
http://amenteemaravilhosa.com/casualidade-nao-existe-existe-apenas-sincronicidade/
https://asimplicidadedascoisas.wordpress.com/2012/05/29/sincronicidade-ou-causalidade-pequenas-coincidencias-que-podem-ser-de-grande-ajuda/
http://www.personare.com.br/sincronicidade-ou-casualidade-m183

3 comentários:

  1. Bom dia
    Se eu ficar esperando por meditação estou frita, rs. Já passei por isso nos anos 90 e por estar mais ligada a espiritualidade e não dei valor a esse fato, acho que me assustava, não sei. Quando voltamos ao materialismo perdemos muito de sincronicidade ou estas habilidades pequenininhas. Acho engraçado falarem sobre meditar, eu não consigo, é impressionante e ando com meu raciocínio e pensamento hiper acelerados e mesmo assim tenho muitos momentos de sincronicidade. Não consigo entender o que acontece comigo. As vzs as pessoas nem entendem o que falo ou escrevo ( eu tb volto e fico sem entender o que fiz ). Não sou nenhuma teórica no assunto , nem expert, acho que estamos nos aprimorando cada vez mais e a consciência maior , a nossa volta libera informações junto com as suas no inconsciente. Ainda não sei. Este momento está sendo uma sincronicidade pois ontem pensei muito no assunto e em Jung. Eu sei que isto vai aumentar entre pessoas mais ligadas a sua espiritualidade e vai aumentar mesmo.
    Nem sei se o que escrevi dá para entender, espero que sim.
    Adoro esse blog, sempre encontro coisas valiosíssimas aqui. Obrigada.

    ResponderExcluir
  2. Olá Amigos de Muito Além! Parece que nosso Trabalho espiritual continua numa boa sintonia com a Fonte... Repassamos no final da noite de 5a. feira.13 de outubro, em nosso anjosensinosluz.blogspot.com/ o texto 'COMO OS ANJOS ATUAM NO UNIVERSO DE NOSSAS VIDAS & ATRAVÉS DA SINCRONICIDADE'. Por "casualidade", na manhã seguinte de 6a.feira, 14 de outubro vcs também publicaram 'A CASUALIDADE NÃO EXISTE, EXISTE A SINCRONICIDADE'... Aprendi com Jung a estar atento as coincidências que acontecem em nossas vidas, pois mais adiante podem revelar-se como uma "coincidência significativa"... Um gde abraço para todos vcs e um Trabalho abençoado pela Luz e o Anjos de Deus! (Campos de Raphael).

    ResponderExcluir