terça-feira, 16 de agosto de 2016

O SABER E A SABEDORIA




É comum que se confunda o saber,  com a sabedoria, mas essas são coisas bem distintas. Se prestarmos atenção, podemos verificar que a diferença é clara e visível. Os termos “informação”, “conhecimento” e “sabedoria” são freqüentemente utilizados com o mesmo sentido, o que traz muitas interpretações dúbias e até errôneas, principalmente no que diz respeito aos termos saber e sabedoria.


O saber é o somatório das informações que adquirimos, é a base daquilo que chamamos de cultura. Podemos adquirir o saber sem sequer vivermos uma só experiência fora dos livros e das aulas teóricas. Podemos nos tornar cultos sem sairmos da reclusão de uma biblioteca. 


Já a sabedoria, por outro lado, é o reflexo da vivência, na prática, quer pela experimentação, quer pela observação, da utilização dos "saberes" previamente adquiridos. 


O saber  é o acúmulo de conhecimentos e estudos que se faz. Está ligado diretamente à percepção, pois se trata de tudo aquilo que recebemos do mundo exterior para dentro de nós. 

A sabedoria implica numa "digestão" desse saber, sua absorção completa e a geração de um modo de pensar. É o dom que nos permite discernir qual o melhor caminho a seguir, a melhor atitude a adotar nos diferentes contextos que a vida nos apresenta.


A diferença básica é como se perguntássemos para alguém o que ela sabe sobre determinado assunto (saber) ou o que ela acha de determinado assunto (sabedoria). Nossas opiniões pessoais são formadas com base no conhecimento, mas passando por uma assimilação deles e sua inter-relação. Nem sempre este processo é totalmente lógico, pois entra em ação também a intuição, que é um canal de conhecimento que a maioria não está acostumada a admitir. 

A informação é o dado em seu estado bruto, captado pelos sentidos de todos os níveis: odor, paladar, imagem, pressentimentos, leituras , palestras , reuniões , etc. O conhecimento é a informação analisada, compreendida e incorporada,  já sabedoria é o conhecimento submetido ao julgo dos valores, crenças , ética e moral, sendo assim, não há sabedoria sem conhecimento, e nem conhecimento sem informação, podemos dizer que são dados em estágios diferentes de processamento, semelhante a um diamante, ele bruto tem um valor, mas lapidado este valor se multiplica, mas em nenhum momento deixou de ser um diamante. 




O saber pode ainda ser aprendido como um processo ou como um produto. Quando nos referimos a uma acumulação de teorias, idéias e conceitos o conhecimento surge como um produto resultante dessas aprendizagens, mas como todo produto é indissociável de um processo, podemos então olhar o conhecimento como uma atividade intelectual através da qual é feita a apreensão de algo exterior à pessoa.



A definição clássica de saber originada em Platão, diz que ele consiste de crença verdadeira e justificada. Aristóteles divide o saber em três áreas: científica, prática e técnica.


Sabedoria (em grego "sofía") é o que detém o "sábio" (em grego "sofós"). Desta palavra derivam várias outras, como por exemplo, "amor à sabedoria" (filos/sofia). Há também o termo “Phronesis” - usado por Aristóteles na obra Ética a Nicômaco para descrever a “sabedoria prática”, ou a habilidade para agir de maneira acertada.

Mesmo para "Sophia" há conceitos diferentes: muitos fazem distinção entre a "sabedoria humana" e a "sabedoria divina".

Sabedoria humana seria a capacidade que ajuda o homem a identificar seus erros e os da sociedade e corrigi-los. Sabedoria divina seria provavelmente a capacidade de aprofundar os conhecimentos humanos e elaborar as versões do Divino e questões semelhantes.

Sabedoria é a utilização do conhecimento na construção da felicidade.



Existem pessoas dotadas de grande conhecimento, porém sem uma gota de sabedoria. Apenas sabiam recitar trechos de artigos, citar autores e situações semelhantes, mas muitas vezes sem uma opinião própria ou solução. E quando confrontados com uma situação adversa, apenas recitam os autores anteriores, os velhos tratados e os textos clássicos. Mas o que isso lhe trouxe de crescimento interior?

No entanto também nos deparamos com pessoas sem instrução nenhuma, mesmo analfabetas, dotadas de imensa sabedoria. Elas também possuem conhecimento, mas através da observação de acontecimentos cotidianos.  

Conhecer uma série de coisas não torna ninguém necessariamente sábio. A reflexão e meditação no que se conhece é que gera a sabedoria, fazendo associações muitas vezes óbvias mas que ninguém enxergou antes. A sabedoria se mostra no dia-a-dia, como a pessoa enfrenta situações adversas e deriva da absorção do conhecimento, ou seja, ele se torna parte dele mesmo. 




Ou seja, uma pessoa culta não é necessariamente sábia, mas uma pessoa sábia é  culta em sua área de sabedoria. Para se ser sábio é preciso viver, experimentar, ousar, ponderar, amar, respeitar, ver e ouvir a própria vida.


É preciso buscar, sim, o conhecimento, a informação e a cultura, mas também se deve ter a coragem de experimentar a vida, o amor e o compartilhar. 



Deve-se atentar para não se tornar uma "ostra egóica", alguém fechado em si mesmo e no próprio processo de aprendizado. Fazer isso é o mesmo que iniciar uma viagem e se encantar tanto com a estrada a ponto de se esquecer para onde se está indo. E isso não parece ser uma atitude muito sábia. Então, sejamos sábios: vivamos, amemos e compartilhemos o que há em nossos corações!



O filósofo Lin Yutang afirmava que o saber sem reflexão era perda de tempo. É a absorção do conhecimento que nos torna sábios, não ele em si. E nota-se quando uma pessoa possui a sabedoria na maneira como ela interage com os outros e, principalmente, em como lida consigo mesma.  A sabedoria aparece na própria pessoa, em seus modos e maneiras. 

Por que os orientais são vistos muitas vezes como sábios? Porque a filosofia oriental não admite separação entre saber/fazer, teoria/prática. Tudo o que se aprende com os Mestres ou os velhos livros é fundido na consciência e aplicado em qualquer coisa, de lavar pratos a caminhar na montanha. O conhecimento se torna, assim, sabedoria. 

O saber é o ato ou efeito de abstrair ideia ou noção de alguma coisa, a sabedoria consiste em saber o que fazer com qualquer conhecimento, como utilizá-lo de forma prudente, moderada e profícua, útil.


Conto Zen:
"Dois discípulos procuraram um mestre para saber a diferença entre o saber e a sabedoria. O mestre disse-lhes: "Amanhã, bem cedo, coloquem dentro dos sapatos 20 grãos de feijão, 10 em cada pé. Subam, em seguida, o monte que se encontra junto a esta aldeia, até o ponto mais elevado, com os grãos dentro dos sapatos".
No dia seguinte, os jovens discípulos começaram a subir o monte. Lá pela metade, um deles estava padecendo de grande sofrimento: seus pés estavam doloridos e ele reclamava muito. O outro subia naturalmente a montanha. Quando chegaram ao topo, um estava com o semblante marcado pela dor, o outro, sorridente. Então, o que mais sofrera durante a subida perguntou ao colega: "Como você conseguiu realizar a tarefa do mestre com alegria, enquanto para mim foi uma verdadeira tortura?" O companheiro respondeu: "Meu caro colega, ontem à noite cozinhei os 20 grãos de feijão".




Pois bem, claramente percebem-se semelhanças no conceito dessas palavras, o que acarreta no emprego indiscriminado de ambas sem a distinção do conceito intrínseco de cada uma. Porém, existe uma distinção entre elas que muda totalmente o sentido da frase onde são colocadas.

O saber é ter informação, noção, ciência de algo ou alguma coisa. É conhecer alguma técnica ou ciência, diferencia-la de outras técnicas ou ciência, ser versado por essa técnica ou ciência. No entanto, o simples fato de "saber" uma dada informação não implica em ser aquilo que se conhece. É ter acesso àquele dado, e até mesmo procurar aplicá-lo, mas sem se tornar aquele conhecimento. Em síntese, o saber não está dentro do conhecedor, mas é apenas algo que pode ser acessado, empregado, usado por ele.


Por outro lado, a Sabedoria é igualmente ter grande conhecimento, erudição, prudência, moderação, temperança, sensatez, reflexão, mas com uma característica diferente. A Sabedoria pressupõe não só ter o Conhecimento, mas também saber como utilizar esse conhecimento, não só em ocasiões especiais, mas em todos os fatos da vida. Ou seja, Saber não é apenas ter conhecimento, mas é SER o Conhecimento. E aqui reside a diferença entre o saber e a Sabedoria, pois a Sabedoria pressupõe não só o Conhecimento, mas a transformação daquele que conhece na própria imagem da Sabedoria, a representação desse Saber.

E é aplicando esses conceitos na vida que poderemos distinguir se a pessoa tem conhecimento (saber) ou é a sabedoria. É evidente que conhecer algo é importante, pois se pode aplicar esse conhecimento em determinado campo de saber humano. No entanto, o mais importante é saber-se, ou seja, é tornar-se esse conhecimento, é transformar a sua vida a imagem da própria sabedoria.




10 comentários:

  1. EXCELENTE MI AMIG@ TU TRABAJO Y EMPEÑO EN NOBLE IDEAL QUE NOS DEBE INSPIRAR A TODOS Y TODAS LOS ESPIRITAS, NUESTRA MISIÓN ES ESPARCIR LA SEMILLA, LLEVAR EL CONOCIMIENTO, EL ESCLARECIMIENTO Y LA LUZ QUE DISIPA LAS TINIEBLAS DE LA IGNORANCIA, DE LA PEREZA MENTAL Y FÍSICA, GRACIAS Y FRATERNAL ABRAZO HERMANA.

    TRABALHO EXCELENTE meu amigo e peão no nobre ideal que deve inspirar TODOS espíritas, a nossa missão é espalhar a semente, trazer o conhecimento, investigação e da LUZ dissipa trevas da ignorância, E DA PREGUIÇA MENTAL FÍSICA, OBRIGADO E IRMÃO FRATERNO ABRAÇO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. BOA NOITE QUERIDO AMIGO KARLOX !!

      É MUITO BOM TÊ-LO POR AQUI , IRRADIANDO O TEU AMOR E LUZ PARA TODOS NÓS !!
      REALMENTE , SÓ O CONHECIMENTO E A INVESTIGAÇÃO DO QUE SOMOS EM VERDADE PODE DISSIPAR AS TREVAS DA IGNORÂNCIA !!
      MUITO ALÉM....

      UM GRANDE E ILUMINADO ABRAÇO FRATERNO !! SIGAMOS EM FRENTE....

      Excluir
  2. O Caminho é longo, o importante é não desanimar..............sempre seguir em frente.................

    ResponderExcluir
  3. Tudo muito esclarecedor !! Aqui dúvidas são dirimidas !

    ResponderExcluir
  4. Quando Jesus disse "Que brilhe a vossa Luz", nos concedeu o roteiro para alcançarmos a Luz através do Evangelho e no Sermão da Montanha trouxe o conhecimento das bemaventuranças que se forem praticadas nos conduzirão à Sabedoria através de tentativa, erros e acertos em nossas experiências cotidianas. Não desanimemos, pois enquanto a Luz não se faça em nós temos a nos guiar a laterna daqueles em que a Luz já brilha com todo seu esplendor. Excelente trabalho! Telma

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amiga Telma!

      Agradecemos a Presença e comentário.

      Muita Paz, Luz e Amor

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Texto fantástico!! Amei!!! Parabéns👏🏻👏🏻👏🏻🌸🌸

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amiga Lilian F G Rotta Medeiros!

      Agradecemos a Presença e comentário.

      Muita Paz, Luz e Amor

      Excluir