terça-feira, 8 de dezembro de 2015

AQUI NÃO É UM LAR APENAS UMA POUSADA



Nós estamos nesta Terra, mas na verdade nós não podemos estar nela, e nós não estamos. 

Nós somos estranhos nesta Terra. Nós fizemos um lar em nosso corpo, mas o nosso corpo não é o nosso lar.

É como se alguém se estabelecesse no estrangeiro e esquecesse sua terra natal.


O lugar onde nós estamos é como uma pousada e não um lar. 

Não importa o quanto nós possamos insistir que ele é um lar, ainda assim uma pousada permanece uma pousada. 

Para esquecer o lar, tentamos argumentar que ele está longe, mas isso não faz diferença. 


O espinho continuará nos espetando, a memória continuará retornando. 

E se em algum momento, nos acontece encontrar uma certa verdade que nos atrai como um magneto e nos mostra um outro mundo, então nós percebemos que não somos parte desta Terra.

Não há quem seja desta Terra. 


Nós aparentamos ser dela, nós sentimos como se fôssemos dela; na verdade, nós existimos no céu. A nossa natureza é do céu.

O ser significa o céu interior.

O corpo significa a Terra, o corpo é feito com a Terra. Você é feito com o céu.


Esses dois se encontram dentro de você.

Você é o horizonte onde a Terra parece encontrar o céu. Mas alguma vez eles se encontram? 

Ao longe, no horizonte, parece que o céu está tocando a Terra. 

Você começa a caminhar naquela direção achando que vai alcançar aquele ponto em um ou dois minutos. 


Pode continuar caminhando por várias vidas e você nunca alcançará o ponto onde o céu toca a Terra. 

Ele é apenas uma miragem. Sempre vai parecer que um pouco mais adiante você vai conseguir chegar, só um pouquinho mais adiante.

O horizonte não existe, é só aparência. 


No nosso interior ocorre o mesmo que no horizonte externo. Internamente nenhum contato jamais aconteceu também. 

Como o ser toca o corpo? Como o imortal encontra o mortal? 

O leite se mistura com água, ambos são da Terra. Mas como o ser irá se fundir com o corpo? Suas qualidades básicas são diferentes. 

Por mais próximo que eles cheguem, eles não conseguem se tocar. 

Eles podem permanecer próximos para sempre, ainda assim eles não conseguirão se tocar, eles não conseguirão se encontrar. 


É apenas a nossa suposição, a nossa ideia. 

O horizonte existe apenas como uma ideia nossa.

~OSHO





Fonte: http://www.oshobrasil.com.br/texto44.htm



Um comentário: