quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

A ALMA E OS PÁSSAROS


As metáforas são pontes poéticas que o amor constrói para fazer a ligação entre coisas e conceitos.

Os textos sagrados das diferentes tradições religiosas não raramente lançam mão de metáforas, de beleza e de poesia.

A sutileza, o mistério e o elemento inexplicável da vida, encontram-se para além das palavras, fazendo necessário o uso de pequenos artifícios, para ilustrar de forma poética e sensível.

E dentre as metáforas contidas nos versos das diversas tradições espirituais, uma das mais belas é uma passagem dos textos da Fé Bahá'í  ( Bahá'í é uma religião monoteísta fundada por Bahá'u'lláh na Pérsia do século XIX que enfatiza a unidade espiritual da humanidade), que compara o corpo físico a uma gaiola e o espírito a uma ave que nela habita.

" Imaginar que o espírito pereça ao morrer o corpo, é como imaginar  que o pássaro morra ao quebrar-se a gaiola."

"Nosso corpo é apenas a gaiola, enquanto o espírito é o pássaro. Nada tem o pássaro que recear com a destruição da gaiola."

"Se a gaiola for quebrada o espírito continua a existir," e seus sentimentos serão até mais poderosos, suas percepções mais aguçadas, e sua felicidade muito maior."

O suave voo das aves, uma metáfora visual a nos sussurrar que a alma é livre das limitações impostas pela matéria.





Apreciar o deslizar das aves pelo céu serve para lembrar-nos de nossa imortalidade e eternidade.

Uma metáfora visual e poética que se revela aos que se dispõem a enxergar além do que os olhos podem... ... E ao deslizar pelo céu, as aves nos recordam dos nossos entes queridos que já partiram.

Todos os que deixaram para trás este mundo de provações e caminhadas, sonos e vigílias, noites e dias, esperanças... E as aves nos recordam ainda que em breve também chegará a nossa hora de voar.

Somos feitos de matéria e espírito, habitamos o tempo/espaço e a Eternidade habita em nós.



O verdadeiro lar do pássaro é o ar  e não o ninho.

Uma ave não voa o quanto quer, mas o quanto pode.

Das forças das asas depende a altura e a distância que se pode alcançar. 

O corpo, frágil, argila, sofre os efeitos do tempo.  
A alma, puro sopro, é eterna.



Aproveitar os nossos breves e incertos dias para fortalecer as asas do nosso espírito.

"Da mesma forma como o deserto necessita de chuva...
Da mesma forma como uma criança necessita de um nome...
Da mesma forma que o pássaro necessita de liberdade...
Da mesma forma como as rosas necessitam de água...
...o espírito humano necessita de cuidado e atenção."

Esta existência terrena é a infância da Eternidade.

Esta existência terrena, tal como a infância, é um período de deleite, e também de aprendizado. 

Somos aprendizes neste mundo inferior e a nossa lição pode ser resumida em três palavras: Purificar o coração.


O que é efêmero, e o que é Real?
Que coisas têm verdadeiro valor?

Sons e cores do mundo distraem os sentidos, e muitas vezes ofuscam aquilo que é Essencial...

Essencial é a ascendência, essencial é o aprimoramento interior...
Essencial é examinarmos o nosso coração, todas as noites, para verificar se tivemos lucros ou perdas no nosso capital espiritual.

Essencial é lembrarmos que a nossa passagem por aqui é finita, e que em breve seremos chamados a partir...

O nosso corpo físico assemelha-se a uma gaiola, e a nossa alma, a uma ave. Chega o dia em que a Mãe Amorosa abre a porta da gaiola e diz para a ave do espírito:

"É chegada a tua hora, Voa..."


O que fará nesta hora a alma, recém-liberta da gaiola do corpo, conseguirá ela voar?
No dia em que a gaiola do nosso corpo fenecer, estaremos aptos a voar com as asas do nosso espírito?

Devemos aproveitar os nossos dias, enquanto habitantes deste mundo inferior, para fortalecermos as asas do espírito, de modo que possamos, na hora da morte, alçar vôo... 

As asas do espírito constituem-se das virtudes que cultivamos...

"...Vive, pois, os dias de tua vida, os quais são menos de um momento fugaz, mantendo sem mancha a tua mente, imaculado teu coração, puros teus pensamentos e santificada tua natureza... de modo que, livre e contente, possas abandonar essa forma mortal, recolher-te ao paraíso místico e habitar, para todo o sempre, no reino eterno". 
(Bahá'í )





" Se teus olhos forem bons, todo o teu corpo será cheio de luz."
( Jesus cristo )

Cuidar de nossa vida espiritual de modo tal que seja suave e belo o nosso voo, quando a nossa hora derradeira chegar.

Ninguém sabe do dia, nem das circunstâncias, nem da hora, a única certeza é a de que o céu infinito nos espera...


" Assim como a vida é mortal, a morte é vital."
      (Santo Agostinho)

"Quando a morte levanta a tampa deste cofre onde estamos encerrados, aqueles que têm asas voam até o dia eterno."

"Dá pois ao pássaro da ambição espiritual a asa do sentido místico; dá coração à razão, êxtase á alma."

" Antes que tirem a tampa dessa caixa, faze-te pássaro do caminho espiritual!"
 (Farid ud - Din Attar, em "A Linguagem dos Pássaros")
         
Aproveitar os nossos breves e incertos dias para alimentar a nossa alma com coisas boas, uma dieta espiritual farta de amor e bondade, caridade, pureza, compaixão, perdão e justiça, virtudes, gratidão, bem-aventuranças, de modo que, quando a hora derradeira bater à nossa porta, possamos voar com asas limpas e puras até as mais sublimes alturas.


 "Faze-te pássaro no caminho espiritual..."







2 comentários:

  1. amei tudo o que está escrito aí.

    ResponderExcluir
  2. O conteúdo do seu blog é além das palavras e sentidos...Aqui encontrei o que vi em uma meditação, quando através dos olhos de um pássaro, eu via o mundo e as pessoas que amo, enquanto voava daqui para alí... Em gratidão, te deixo algo de mim:

    https://youtu.be/wz2i4e_wfPE

    ResponderExcluir