terça-feira, 3 de novembro de 2015

UMA IMAGEM DISTORCIDA



Habita em mim um ser pretensamente caridoso.

Crendo-se senhor do que é correto ele segue pelo mundo distribuindo agasalhos, comida, palavras e tudo o mais que, na sua majestade, ele julga possuir a mais que o seu semelhante.



Ele ouve, com um sorriso no rosto, o lamento da senhora idosa e, ao se despedir, deseja que deus a abençoe e dê forças, seguindo com seu espírito renovado pela oportunidade aproveitada.


Ele impõe as mãos semanalmente, distribuindo fluidos curadores a tantos quantos se fizerem presentes na fila dos necessitados, encerrando seu dia de atendimento pleno de satisfação, na certeza de ter tocado o espírito dos que por ele foram atendidos.

Ele evangeliza crianças órfãs, distrai idosos no asilo, dá palestras estimulantes ao crescimento espiritual, alimenta os sem teto e segue atento a qualquer oportunidade de aliviar a miséria do mundo.



Habita em mim um ser adormecido.

Um ser que insiste em sonhar que o mundo ao seu redor precisa da sua atenção caridosa, de sua incessante busca de oportunidades de atuação no bem.


No limiar do despertar ele ainda luta por manter a vista concentrada no reflexo, criando, dia após dia, versões necessitadas, adoentadas, ignorantes, distorcidas e invertidas de si.



O espelho do mundo não é perfeito. 

É como um lago, cujo os movimentos e as tribulações distorcem, mais ou menos, nossa imagem nele refletida. 



Quanto mais nos esforçamos por corrigi-la, mais ondas e tribulações causamos em suas águas.

Quanto tempo até compreendermos que corrigir o reflexo é uma distração para o verdadeiro propósito do lago?



A Lei do Amor propõe colocar o bem estar, a ocupação e o sentimentos para com os outros acima do eu enquanto negamos a existência do mal.



Cuidemos da integridade desse lago, para que, junto com “os outros”, deixemos de nos distrair com nossas imagens distorcidas e consigamos desfrutar de suas águas, com nossos reflexos completamente diluídos e nossos corpos mergulhados no prazer da existência pelo o que ela é: refrescante no calor, fria no inverno e tudo o mais que nossas divinas imaginações podem permitir que ela seja. 

Luz.

Por- Gustavo Andriewiski




Fonte:http://unaversidade.org/movimento/blog/uma-imagem-distorcida/


2 comentários:

  1. Muito bom! A propósito, gostaria de sugerir uma matéria, sobre a fosfoetanolamina e como a cura do câncer tem sido abafada pelos poderosos.Eu me pergunto:" por que isto acontece?" Encontrará no meu blog, um vídeo sobre o tema. Não é necessário publicar este comentário só queria sugerir, já que aprecio o "Muito Além". Grato!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Arnaldo Leles Ferreira, gostamos muito de seu comentário em nossa postagem.
      Já fizemos uma postagem sobre a Fosfoetanolamina, mas sempre é bom reforçar! Abraços...
      http://muitoalem2013.blogspot.com.br/2015/10/fosfoetanolamina-uma-alternativa.html

      Excluir