sexta-feira, 24 de abril de 2015

Quando Sinto que já Sei




Filme: Quando Sinto que já Sei
Direção: Antônio Sagrado, Anderson Lima e Raul Perez
Produção executiva: Antônio Sagrado, Raul Perez e Anielle Guedes
Gênero: documentário
Nacionalidade: brasileiro
Tempo: 78 minutos


Amamos falar sobre educação. Sobre novas formas de educação. Sobre as mudanças que tem acontecido, mesmo que bem aos pouquinhos, no sistema educacional do nosso país. Sobre atitudes e atividades que vêm fazendo muita diferença. 

Pesquisar e debater sobre esse modelo de escola que não atende mais as expectativas. Sobre as transformações necessárias. Sobre aprender, sentir e ser.

Isso tudo nos inspira! Nos encoraja. Nos dá mais vontade de aprender e também de fazer diferente.



E um dos filmes que nos encanta, que representa muito dessa mudança que desejamos para o mundo, que nos ensina e nos dá vontade de fazer, cada vez mais, é esse: “Quando sinto que já sei”. 

Um documentário feito com financiamento coletivo no Catarse, que apresenta práticas inovadoras de educação que tem feito a diferença no sistema escolar do Brasil.


Vale muito a pena conferir. 

O projeto veio à tona a partir da percepção de que valores simples e importantes do desenvolvimento humano estão sendo deixados para o lado de fora da sala de aula. 



O filme retrata as novas maneiras de aprender que estão surgindo e se consolidando Brasil à fora, com base na autonomia, liberdade e habilidades de cada pequeno indivíduo.

Explorando e conhecendo vários projetos com propostas educacionais inovadoras, a filmagem expõe a opinião de crianças, pais, professores, educadores, diretores e pessoas de outras áreas, todas com vontade de romper o modelo tradicional de escola. 

Profissionais da área que vivem essa experiência e comprovam a necessidade de uma educação mais sensível às individualidades, autônoma e participativa, contrapondo essa realidade arcaica e ineficiente que verificamos e vivenciamos com nossas crianças.




A proposta do documentário Quando Sinto Que já Sei é levantar uma discussão sobre o atual momento da educação no Brasil. Carteiras enfileiradas, aulas de 50 minutos, provas, sinal de fábrica para indicar o intervalo, grades curriculares, conhecimento dividido em diferentes caixas. As escolas, como são hoje, oferecem os recursos necessários para que uma criança se desenvolva ou a transformam em um robô, com habilidades técnicas, mas sem senso crítico?


Por que não mudar? 

Diretores, professores, pais e alunos questionam há anos os motivos que levam ao distanciamento entre a sala de aula e o mundo exterior. Diante do medo do vestibular e do mercado de trabalho, a discussão nem sempre avança e o modelo permanece o mesmo, mas, ao redor do país, várias iniciativas começam a mudar este quadro com ousadia resultante do contato entre escola e comunidade. Saem as grades, as paredes e abre-se espaço ao diálogo.

Este é o ambiente do documentário Quando sinto que já sei, idealizado pelo empreendedor social Antonio Sagrado Lovato e custeado com ajuda de contribuições por meio do site Catarse.




“Será que é possível criar essa escola? Uma escola que seja uma escola alegre, prazerosa? Ou a escola tem que ser o serviço militar obrigatório aos 7 anos?”

Projeto independente, o filme partiu de questionamentos em relação à escola convencional, da percepção de que valores importantes da formação humana estavam sendo deixados fora da sala de aula.

Durante dois anos, os realizadores visitaram iniciativas em oito cidades brasileiras – projetos que estão criando novas abordagens e caminhos para uma educação mais próxima da participação cidadã, da autonomia e da afetividade.



Lovato (centro), ao lado dos codiretores Raul Perez e Anderson Lima

Para Raul Perez, um dos diretores de Quando sinto que já sei , autonomia e afetividade são as principais semelhanças entre as escolas visitadas, e isso significa entender o aluno como indivíduo e não “como um produto na linha de produção em série, como ocorre nas instituições convencionais”.

Dirigido por Perez, Lovato e Anderson Lima, Quando sinto que já sei também conta com Anielle Guedes e Eden Castelo Branco na equipe.

Depoimentos marcantes aparecem a todo o momento, como o do educador e antropólogo Tião Rocha, do Centro Popular de Cultura e Desenvolvimento, em Curvelo, Minas Gerais, que compara o modelo tradicional a um “serviço militar obrigatório” a partir dos seis anos de idade: “A criança não precisa sofrer para aprender”, afirma ele.



A etapa final do projeto foi financiada com a colaboração de 487 apoiadores pela plataforma de financiamento coletivo Catarse.

Se você é pai, mãe, educador/professor ou qualquer pessoa que acredita que precisamos ser protagonistas das mudanças que queremos ver na educação das nossas crianças (e de nós mesmos), é fundamental que assista.

O Projeto “Quando Sinto Que já Sei” conta com o seu apoio para se concretizar e dar início a uma reflexão sobre o verdadeiro papel da educação...


Sua contribuição pode ser como conversa, troca de experiências, indicações… Tudo aquilo que estiver ao seu alcance.









Fonte:https://www.catarse.me/pt/quandosintoquejasei

9 comentários:

  1. Perfeito.
    Gostaria muito de colaborar e entrar em contato com vocês.
    Acredito que temos que ser a mudança que queremos na educação.
    Faz muito tempo que esta tudo igual, menos os alunos, como vocês mesmo mostram no documentário.
    Se puderem entrar em contato
    guilherme.sori@gmail.com

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Como faço para entrar em contato com vocês?
    No curso de pedagogia da Puc de goias estamos fazendo um trabalho com diversas discussoes do projeto de vocês ..
    Deixo aqui meu email se vocês estiverem enteressados em esclarecer nossas duvidas
    desde ja agradeço
    jessika_kruguer@hotmail.com
    ResponderExcluir

    ResponderExcluir
  4. AMEI O DOCUMENTÁRIO . QUERIA TAMBÉM FICAR RECEBENDO EPLO E MAIL TODOS OS OUTROS OCUMENTÁRIOS VIDEOS QUE POSSAM TER FALANDO DA EDUCAÇÃO . ISTO SERÁ MUITO IMPORTANTE PARA MINHA CARREIRA PROFISSIONAL. DESDE JÁ AGRADEÇO . LARISSA.SILVINO@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  5. AMEI O DOCUMENTÁRIO . QUERIA TAMBÉM FICAR RECEBENDO EPLO E MAIL TODOS OS OUTROS OCUMENTÁRIOS VIDEOS QUE POSSAM TER FALANDO DA EDUCAÇÃO . ISTO SERÁ MUITO IMPORTANTE PARA MINHA CARREIRA PROFISSIONAL. DESDE JÁ AGRADEÇO . LARISSA.SILVINO@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  6. AMEI O DOCUMENTÁRIO . QUERIA TAMBÉM FICAR RECEBENDO EPLO E MAIL TODOS OS OUTROS OCUMENTÁRIOS VIDEOS QUE POSSAM TER FALANDO DA EDUCAÇÃO . ISTO SERÁ MUITO IMPORTANTE PARA MINHA CARREIRA PROFISSIONAL. DESDE JÁ AGRADEÇO . LARISSA.SILVINO@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir