quinta-feira, 26 de março de 2015

Como entender os sinais?



“Como identificar se imprevistos são sinais sobre determinada situação que não vai dar certo, ou se estou simplesmente fugindo?”

Não existem “sinais” desconectados de nós. Tudo acontece dentro, é em nós que nascem os sinais que porventura se expressam nos acontecimentos. 

Portanto, ao invés de ficar tentando interpretar o que cada acontecimento quer dizer, cada voz, cada sinal, cada situação, apenas cale sua mente e perceba de onde eles vem.



É triste notar o quanto podemos nos sobrecarregar em busca da verdade.

Percorremos longos caminhos, fazemos viagens cansativas sem nos darmos conta que pouca coisa é necessária.

Gostamos dos labirintos, aceitamos com certa satisfação quando nos apresentam “caminhos secretos”, “verdades” ocultas, técnicas “milenares” para pretensamente atingirmos o que já faz parte de nós, está na essência, acessível para quem deixa as camadas impostas de lado e, com simplicidade, olha e enxerga, para e ouve, entende que basta seguirmos nosso caminho atentos, não especificamente nisso ou naquilo, mas, sobretudo pacificados e naturalmente perceptivos.



A clareza de onde estamos se estabelece no chão da paz e a paz é reflexo de um coração simples, que cultiva a gratidão, que já entendeu que aprofundar a consciência é fruto de um caminho, às vezes ingrime, outras plano, mas sempre caminhando.

“Como identificar se imprevistos são sinais sobre determinada situação que não vai dar certo, ou se estou simplesmente fugindo?” – você pergunta. 



Ora, sem colocar angustia sobre isso, sem pensar que há mensagens subliminares que você não esteja entendendo, se inquietando, culpando-se muitas vezes. Apenas aquiete-se.

Tudo fala, tudo é sinal, tudo traz mensagens, tudo, mas elas só farão sentido se conectadas à sua verdade, portanto não há nenhuma mensagem se esta não estiver absolutamente vinculada à você.

Não se preocupe em entender as mensagens antes de entender-se.

Apenas isso.




Que a paz seja seu árbitro: quando sentir que deve ir, vá. Quando achar melhor ficar, fique. Desista ou insista, dependendo do que seu coração disser. Pare de ficar desesperadamente tentando entender os “sinais” e, antes, entenda-se, revise suas motivações, enxergue a si mesmo.

De mais atenção a isso, busque dentro e se espantará quando começar a enxergar o “fora” com clareza, consciente de que tudo reflete o que você tem se tornado. 



Lembre-se: o processo que irradia em tudo, começa em você. A chave não está nos acontecimentos, mas em você. 

Preste atenção nisso e tudo ficará mais claro.

Por Flavio Siqueira






Fonte:http://flaviosiqueira.com/2014/10/23/como-entender-os-sinais-2/

Um comentário: