sábado, 15 de novembro de 2014

VATICANO PREPARA UMA DECLARAÇÃO SOBRE VIDA EXTRATERRESTRE











Muitos cientistas afirmam que não estamos longe de estabelecer o "Primeiro Contato", dado os avanços da astronomia. Devido a isso, o Vaticano quer estar pronto com um comunicado. 

Pode não ser uma tarefa fácil para a igreja  interpretar a Sagrada Escritura, ao se deparar com a hipótese de que se a vida é encontrada em outros planetas, o homem não é a única criatura feita à imagem de Deus. 

Em março de 2014 o Observatório do Vaticano e da Universidade do Arizona, organizou uma conferência realizada em Tucson para discutir os avanços na busca de vida extraterrestre. Esse interessantíssimo evento aconteceu este ano na Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, onde fica o Observatório Steward, que abriga o Grupo de Pesquisa do Observatório do Vaticano. 


“Encontrar vida fora da Terra é um dos grandes desafios da ciência moderna e estamos animados por ter os líderes mundiais da área juntos em Tucson”, disse o co-presidente do evento Daniel Apai, professor assistente de Astronomia e Ciências Planetárias do Observatório Steward, em um comunicado. “Mas chegar a um objetivo tão ambicioso requer planejamento e tempo. O objetivo desta reunião é discutir como podemos encontrar a vida entre as estrelas dentro das próximas duas décadas”.











A conferência foi inspirada pela descoberta rápida de planetas, novos conhecimentos sobre os limiares das condições extremas em que a vida no Planeta Terra pode sobreviver, e nova tecnologia projetada para a busca de vida em exoplanetas. 

Especialistas no estudo de exoplanetas, biólogos, empresas especializadas em biociências e ciências atmosféricas também participaram. 

Foram mais de 200 cientistas participantes e diversos pesquisadores graúdos da astrobiologia, entre eles Steven Benner (que estuda a origem da vida) e Sara Seager (que investiga a possibilidade de detectarmos sinais de uma biosfera alienígena em planetas fora do Sistema Solar ). 

Também figuraram na programação a astrofísica Jill Tarter, grande campeã da pesquisa SETI (Busca por Inteligência Extraterrestre), Seth Shostak astrônomo sênior do Instituto SETI e o astrônomo brasileiro Eduardo Janot Pacheco, da Universidade de São Paulo. 



Seth Shostak, astrônomo sênior do Instituto SETI, na Conferência "Astrobiologia e a Vida Extraterrestre".

“Os alienígenas provavelmente existem”, disseram os dois astrônomos do Instituto SETI no Congresso intitulado “Astrobiologia e a Vida Extraterrestre“. Eles argumentaram também que a continuação do financiamento para a pesquisa de vida fora da Terra é essencial.

Eduardo Pacheco falou especificamente sobre sua proposição de que o conceito de “zona habitável” (região do sistema planetário em que um mundo recebe a quantidade certa de radiação da estrela para permitir a existência de água líquida em sua superfície) é apenas um recorte limitado para a busca por vida fora da Terra. 

Ele elabora o conceito de “zona extremófila”, muito mais amplo, em que criaturas capazes de sobreviver em ambientes extremos poderiam evoluir e proliferar.

Para a maioria dos observadores, a conferência sobre astrobiologia foi um encontro científico inovador sancionado pela Academia Pontifícia de Ciências do Vaticano  para mostrar o apoio da Santa Sé para a ciência moderna para a detecção de vida extraterrestre.

Outro grande feito aconteceu em 18 de julho de 2014, quando O Padre Guy Consolmagno, um astrônomo Jesuíta e um dos proponentes líderes da preparação científica para a descoberta de vida extraterrestre, ganhou a medalha de ciência Carl Sagan da Sociedade Americana de Astronomia.  Contando com os cientistas, como Irmão Consolmagno, esforços científicos do Vaticano ganharam prestígio. 







O AAS anunciou o prêmio de Irmão Consolmagno em honra de suas "comunicações distintas em nome de um cientista para o público em geral". 


Destacado astrônomo do Vaticano, Guy Consolmagno, sugeriu publicamente que os alienígenas poderiam realmente ser os “salvadores da humanidade”.


Comentários cativantes de padres jesuítas, como Consolmagno; um astrônomo que muitas vezes aparece nos meios de comunicação como um porta-voz do Vaticano, que já trabalhou na NASA e lecionou em Harvard e no MIT, e que atualmente divide seu tempo entre o Observatório do Vaticano e o laboratório (Specola Vaticana), com sede na residência de verão do papa em Castel Gandolfo, Itália, e MT Graham, no Arizona; só despertam ainda mais o interesse da opinião publica sobre o assunto

Ao longo dos últimos anos, ele tem concentrado tempo e esforço na tentativa de conciliar ciência e religião em fóruns públicos, especificamente no que se refere ao tema da vida extraterrestre e seu potencial impacto sobre o futuro da fé.

O Papa Francisco, que também é Jesuíta, consulta regularmente Consolmagno e outros astrônomos do Vaticano sobre as questões científicas.  É provável que o Papa esteja preparando uma fala “Urbi et Orbi” – sobre o primeiro contato com vida extraterrestre.

Irmão Consolmagno tem aparecido nas principais agências de notícias, incluindo a BBC, onde ele serviu como um especialista em temas de ciência e religião relativas à ciência. 

O Papa Francisco, supostamente, estaria preparando uma importante declaração mundial sobre a vida extraterrestre e suas implicações teológicas.

Rosana Ubanell, do Voxxi News, reportou que, devido aos avanços nos métodos de detecção científica para a descoberta de vida extraterrestre, o Papa Francisco quer estar preparado com uma declaração sobre o “Primeiro Contato”.  

Ubanell reporta que os detalhes ainda deverão ser oficialmente anunciados, mas que o interesse do Vaticano na vida extraterrestre é bem documentado através de conferências recentes sobre astrobiologia que o Observatório do Vaticano tem patrocinado, ou participado.

Se o Papa realmente estiver preparando uma declaração sobre a vida extraterrestre, é provável que ele irá enfatizar que não há nenhuma incompatibilidade nos ensinamentos cristãos com a crença na vida extraterrestre, como o Padre Funes propôs em 2009.  



É provável que o Papa irá enfatizar temas sobre os extraterrestre, tais como: não compartilham o pecado original, são mais evoluídos eticamente, e são capazes de compartilhar a mensagem cristã, sendo nossos irmãos.

Nem todos irão dar as boas vindas à declaração do Papa Francisco, o qual provavelmente irá defender que os extraterrestres são nossos irmãos e dignos de serem batizados na fé cristã.  

De acordo com Chris Putnam e Tom Horn, autores do livro Exovaticana, o Papa estaria se preparando para liderar a Igreja Católica no abraço aos alienígenas como “irmãos em Cristo” – que seria resultado dos relatos de ‘benevolentes irmãos do espaço’, de contatados dos anos 50 e 60.  




O livro de Putnam e Horn indica uma futura guerra religiosa entre aqueles que aceitam os extraterrestres como “irmãos em Cristo” e aqueles que acreditam que eles sejam demônios retornando para nos escravizar.

Por décadas, o Vaticano convocou algumas das mentes mais brilhantes da comunidade científica em todo o mundo a refletir sobre a possibilidade de vida extraterrestre, e preparar uma divulgação pública, em nome da Igreja Católica, no caso da existência de alienígenas está confirmada. 


Em 2008 o Monsenhor Corrado Balducci, um teólogo membro da Cúria do Vaticano, apareceu na TV italiana cinco vezes, para proclamar que o contato extraterrestre é um fenômeno real.  

Monsenhor Balducci, providenciou uma análise dos casos com extraterrestres que ele sente serem consistentes com o entendimento teológico da Igreja Católica. 

Balducci, que é uma pessoa muito próxima do Papa, enfatiza que os encontros com extraterrestres não são demoníacos, não causam prejuízos psicológicos, e não são um caso de arquivos de entidades, mas merecem ser estudados cuidadosamente. 

Ele é especialista em demonologia e consultor do Vaticano, e desde que a Igreja Católica tem historicamente caracterizado como sendo demoníacos muitos dos novos fenômenos que foram mal compreendidos, sua posição é a de que a igreja não censure mais este tipo de contato.



Monsenhor Balducci defende a realidade da vida extraterrestre
Balducci revelou na ocasião, para um visitante e profissional americano que o Vaticano está acompanhando de perto este fenômeno e de forma discreta e que o Vaticano recebe muitas informações sobre extraterrestres e seus contatos com os seres humanos através de seus missionários espalhados em vários países. 

O Monsenhor é membro de um grupo que age como consultor para o Vaticano em vários assuntos referentes a humanos que tenham possíveis contatos com seres sobrenaturais.  Como tal, o assunto ‘encontros extraterrestres’ cairia dentro de seu campo de ação, e possivelmente também possui uma significância espiritual da percepção geral emergente sobre o contato extraterrestre.

Informações paralelas do Dr. Michael Wolf, cientista do Conselho Nacional de Segurança e membro do sub-comitê SSC para o gerenciamento do fenômeno dos OVNIs, bem como do notável escritor e especialista em assuntos do Vaticano, Padre Malachi Martim, sugerem que o Vaticano está preocupado quanto ao fato de possuir uma grande atualização doutrinal em suas mãos, quando o contato extraterrestre for anunciado pelas autoridades mundiais nos próximos anos.



Pesquisa Sobre Astronomia no Vaticano 






O patrocínio pelo Vaticano na conferência sobre Astrobiologia foi um marco. O evento mostrou que o Vaticano estava disposto a sancionar oficialmente discussões públicas sobre a existência de vida extraterrestre. Mais significativamente, mostrou que o Vaticano estava disposto a iniciar um diálogo global sobre as implicações teológicas da descoberta de vida extraterrestre inteligente.

É parte de uma política de abertura secretamente adotada que vem sendo feita pelas Nações Unidas-ONU desde fevereiro de 2008.



O Observatório do Vaticano é uma das mais antigas instituições astronômicas no mundo, localizado em Castel Gandolfo, residência de verão do Papa fora de Roma. Sua equipe de pesquisa também opera Telescope Avançada do Vaticano no Monte. Observatório Internacional Graham, no Arizona. 

Essa nova abertura do Vaticano sobre a existência de vida extraterrestre é consistente com relatórios de discussões secretas realizadas nas Nações Unidas, que começaram em fevereiro de 2008. 

O representante (diplomático) permanente do Vaticano na ONU, arcebispo Celestino Migliore, e um número de   outros proeminente funcionários de governo reuniram-se para discutir o aumento dos avistamentos de OVNIs e as implicações da visita extraterrestre à Terra.

Significativamente, a posição de Migliore requer que ele mantenha relações estreitas com a Academia Pontifícia de Ciências do Vaticano. Na época das discussões secretas da ONU, Migliore, fez uma apresentação sobre as questões morais associadas com problemas científicos como a mudança climática.

Mais importante ainda, as discussões secretas da ONU teriam levado a uma nova política de abertura sobre existência de vida extraterrestre sendo adotada por cerca de 30 nações que começou em 2009.

Na verdade, o Vaticano tem um papel preponderante na preparação da população do mundo católico (1 bilhão de pessoas) para a divulgação da existência de vida extraterrestre.

Nos últimos anos, o Vaticano tem realmente adotado uma posição de liderança na busca por vida extraterrestre. O atual diretor do Observatório do Vaticano, José Gabriel Funes, não acredita que haja qualquer conflito entre sua fé e sua busca por vida além deste mundo.

Em 2009, Funes, deu uma entrevista ao L’jornal do Vaticano, L’Osservatore Romano, onde  afirmou que a existência de extraterrestres inteligentes não coloca nenhum problema para a teologia católica.

“Em minha opinião, essa possibilidade existe”, disse o reverendo Funes, que também foi conselheiro científico do papa Bento XVI, referindo-se à vida em outros planetas.

De fato, Funes soa bastante otimista sobre a possibilidade de encontrar o “irmão extraterrestre” algum dia.







Questionado se ele estava se referindo a seres semelhantes aos humanos ou até mesmo mais evoluídos do que os humanos, ele disse: “Certamente, em um universo tão grande, você não pode excluir essa hipótese. Assim como existe uma multiplicidade de criaturas na Terra, pode haver outros seres, até mesmo inteligentes, criados por Deus. Isso não está em contraste com a nossa fé porque não podemos colocar limites à liberdade criadora de Deus. Por que não podemos falar de um ‘irmão extraterrestre’? Ele ainda seria parte da criação.”

O Vaticano, através de Funes, apoia a ideia de que a encarnação de Cristo é um acontecimento único na história da Terra amarrado a “queda” da humanidade e ao  “pecado original”. Esta ideia foi um grande foco exposto na entrevista dele que foi intitulada de “Os extraterrestres são meus irmãos”.


Juntamente com a entrevista de Funes e posteriores comentários públicos feitos por ele, o vaticano demonstra uma abertura  sobre a possibilidade e as implicações de se admitir a existência de vida extraterrestre.


Conferência do Vaticano sobre Astrobiologia



A Conferência do Vaticano sobre Astrobiologia é mais um sinal de que grandes instituições globais estão se preparando para algum tipo de divulgação formal sobre a existência dos OVNIs e/ou vida extraterrestre. 

Este é um resultado direto de uma série de reuniões (secretas) das Nações Unidas, iniciadas em fevereiro de 2008 que levou à adoção de uma nova política de abertura sobre o assunto.

A discussão sobre as implicações de vida extraterrestre inteligente, tanto científica e teológica, não aparece com destaque na agenda da conferência. Um dos apresentadores, no entanto, o professor Paul Davies comentou sobre as implicações religiosas de se descobrir vida extraterrestre inteligente:

"Se você olhar para trás na história do debate católico sobre isso, ele se divide em dois campos: há aqueles que acreditam que é parte do destino humano de trazer a salvação para os alienígenas, e aqueles que acreditam em múltiplas encarnações", mas Davies observou que a teoria de múltiplas encarnações, a ideia de que múltiplos exemplos de Jesus Cristo seriam encontrados no universo "é uma heresia no catolicismo romano“.


O Vaticano está tomando a política de abertura a um novo nível, e preparando o seu público para algum tipo de anúncio e/ou divulgação formal sobre extraterrestre. Numerosas fontes independentes previram de que tal divulgação é iminente, e que a administração Obama deve desempenhar um papel de destaque. 

O Vaticano também está se posicionando para desempenhar um papel importante em tal anúncio e em um mundo pós-revelação. A instituição, está atuando de forma construtiva na preparação do público para a divulgação iminente de vida extraterrestre.



Sua posição teológica emergente de que os extraterrestres “são nossos irmãos” é uma posição mais bem-vinda do que outras ideias mais hostis de vida extraterrestre encontrados em algumas denominações religiosas e em filmes de Hollywood. 



Nestes vídeos abaixo varias questões são levantadas, como porque o investimento da igreja em estudos e empresas de tecnologia astronômica.

Referências detalhadas sobre o nascimento, constam em diversos textos apócrifos, sendo que em algumas narrativas aparecem comentários e visões bastante peculiares. 

Tal é o caso relatado no Evangelho Árabe da Infância, onde o texto aponta que, no interior da gruta, havia uma luz muito forte que iluminava tudo; ou no relatado no Evangelho Armênio da Infância, em que o texto afirma que a terra se havia elevado e o céu havia descido na visão de José, onde céu e terra se haviam unido. 

No mesmo relato, José observa ao seu redor, percebendo que todas as criaturas e o vento estavam imóveis, suspensos no seu curso, assim como os pássaros no vôo. Todas as criaturas estavam com o olhar preso, fixo no céu. 

Os pastores pareciam congelados, assim como seus rebanhos. Até os pássaros se encontravam suspensos no ar, parecendo que o tempo se havia detido. Por cima da gruta, os céus estavam abertos, vindo do céu para a terra uma forte luz, sendo que da gruta se elevava uma coluna como de vapor. E mais tarde uma nuvem luminosa descia dos céus por sobre a gruta; e em seu interior havia a presença de um grupo de anjos.

Teorias conspiratórias à parte, estamos realmente perto de descobrir vida extraterrestre? E se assim for, o que a Igreja Católica dirá sobre isso? Detalhes da declaração que Vaticano está trabalhando ainda não foram revelados publicamente.


Vaticano se prepara para revelação de existência de vida extraterrestre:















Fonte: Ufologia Paracientifíca
http://thoth3126.com.br/vaticano-se-prepara-sobre-revelacao-de-vida-extraterrestre/
http://ovnihoje.com/2014/07/24/estaria-o-vaticano-preparando-uma-declaracao-sobre-vida-extraterrestre/#axzz3IZffRDWz

Nenhum comentário:

Postar um comentário