quarta-feira, 5 de novembro de 2014

O Mistério do Lago Rosa Australiano








Quando imaginamos um lago, sempre pensamos em sua água azul; porém, não é isso que ocorre no lago Hillier na Austrália. Esse lago, quando visto de cima, assemelha-se a um grande lago de chiclete. Isso mesmo, ele é completamente rosa.


O lago Hillier, uma das maravilhas naturais da Austrália, tem uma característica tão distinta do restante do arquipélago que fica difícil para quem sobrevoa o local não tomar conhecimento: sua cor rosa, num tom bastante extravagante. A cor da água é permanente, uma vez que não se altera nem quando a água é recolhida num recipiente.








Localizado na Middle Island, o maior do conjunto de ilhas e ilhotas que compõem o arquipélago de Recherche,  no oeste australiano, o lago apresenta aproximadamente 600 metros de largura e é cercado por uma linda e exuberante vegetação. 


É rodeado por uma borda de sal branco e uma floresta densa de Paperbark e eucalipto. Uma estreita faixa de terra composta de dunas de areia cobertas por vegetação separam o lago do Oceano Antártico.


Praticamente intocado e bastante isolado, o lago Hillier é motivo de mistério para muitos pesquisadores. 

A ilha e o lago foram descobertas durante uma expedição comandada pelo capitão inglês Matthew Flinders, em 1802. 

Ao contrário do que muitos imaginavam, a água não foi exposta a nenhum tipo de poluição para alterar sua tonalidade, já que quando foi descoberta por Matthew Flinders já era rosa.









A razão para a cor do lago ainda está sob investigação e até agora nenhum pesquisador chegou a uma explicação razoável. 

No entanto, a explicação mais provável de acordo com alguns cientistas envolve as baixas concentrações de nutrientes e o crescimento de algas como a Dunaliella Salina e a Halobacterium, encontradas no local. Embora a cor rosa se deva a algas, até hoje isso não foi efetivamente provado.


A hipótese mais aceita é a de que ele seja rico em algumas algas e bactérias que vivem em crostas de sal encontradas nesse local.







Essas algas e bactérias seriam as responsáveis pela produção de pigmentos carotenoides, deixando, assim, o local incrivelmente belo. 

Uma característica interessante é que mesmo quando se coloca a água em um copo, por exemplo, a coloração rosa ainda está presente.

Vale destacar que na Austrália, além do lago Hillier, outros quatro lagos apresentam essa coloração. 

O lago Hutt, por exemplo, apresenta cor semelhante ao Hillier, graças às algas e bactérias que produzem essa pigmentação. Outro lago encontrado no país é o Pink Lake, que possui coloração que varia de acordo com a concentração de Dunaliella salina, uma alga tolerante ao sal e que dá cor rosada ao local.


Fora da Austrália, também encontramos lagos rosa. Em Senegal, um lago conhecido como lago Retba também se destaca por ser cor-de-rosa. 

Nesse lago, a cor também se deve à presença de algas adaptadas à alta salinidade da água que produzem a pigmentação. O sal, além de propiciar o surgimento das algas, ainda é usado pela população local.

É importante saber que a coloração desses lagos não se trata de poluição. Sendo assim, eles não oferecem riscos à saúde da população, com exceção da alta salinidade encontrada em alguns.

Outra teoria bastante difundida acredita que a “coloração pode ser resultado da reação da água salgada com um depósito de bicarbonato de sódio na região ou bactérias halófilas vermelhas nas crostas de sal”.


Apesar dessas várias vertentes da ciência, ainda não existe nenhuma explicação científica comprovada para a coloração da água. Enquanto não descobrem o motivo, vamos admirando a beleza desse lago, tão exótico, e pouco conhecido no mundo inteiro.





Um comentário:

  1. é uma das obras maravilhosas de Deus que nos encantam e impressionam...

    ResponderExcluir