domingo, 12 de outubro de 2014

LUZES DO MUNDO - KAILASH SATYARTHI



Kailash Satyarthi (nascido em 11 de janeiro, 1954) é um indiano ativista dos direitos das crianças que tem estado na vanguarda do movimento global para acabar com a escravidão e exploração do trabalho infantil desde 1980, quando ele desistiu de uma carreira lucrativa como engenheiro elétrico para iniciar cruzada contra a Escravidão da Criança.

Kailash Satyarthi nasceu no Vidisha distrito de Madhya Pradesh. Ele estudou engenharia no Instituto Samrat Ashok Tecnológico (SATI) em Vidisha e depois continuou seus estudos de pós-graduação em Engenharia Elétrica. Mas tarde, se tornou professor e lecionou durante alguns anos em uma faculdade em Bhopal.


Em 1980, Satyarthi abriu mão de sua carreira como professor e engenheiro e tornou-se secretário-geral da Frente para Libertação de trabalho forçado; Ele também fundou a Bachpan Bachao Andolan (Movimento Salve a Infância) naquele ano. 

Satyarthi também atuou como presidente da Campanha Global pela Educação , desde a sua criação em 1999 até 2011, tendo sido um de seus quatro fundadores, juntamente com a ActionAid , Oxfam e Educação Internacional . 



Satyarthi conta que, ainda jovem, começou a fazer uma revista chamada A luta deve continuar "sobre as pessoas ignoradas e as suas lutas", uma publicação que fazia sozinho e enviava para as autoridades. 

"Um dia, apareceu-me um homem com 40 e muitos anos, cheio de fome e sede e com umas revistas dessas na mão. Um leitor tinha-lhe dado e dito que me procurasse. Ele contou-me que tinha sido vendido e que durante 17 anos estivera trabalhando numa fábrica. Fugiu de noite, com a família, porque os patrões queriam vender a filha, de 14, 15 anos a um bordel", recordou, numa conversa à margem da Conferência Europeia sobre Tráfico de Crianças.

A organização que fundou, Bachpan Bachao Andolan, já conseguiu retirar perto de 80 mil crianças do trabalho escravo, conseguindo devolvê-las à educação e ajudar na sua reintegração, desenvolvendo um modelo de sucesso para sua reabilitação. 

Como um ativista em todo o mundo, Satyarthi tem sido o articulador da maior rede da sociedade civil para as crianças exploradas: a "Marcha Global contra o Trabalho Infantil"que une organizações não-governamentais, sindicatos de professores e de comércio de todo o mundo (2000 grupos em 140 países). Também fundou a Campanha Global pela Educação, que visa combater a crise global na área.

Como um pensador analítico, ele fez da luta contra o trabalho infantil, uma questão de direitos humanos.


Ele estabeleceu que o trabalho infantil é responsável pela perpetuação da pobreza, o desemprego, o analfabetismo, a explosão demográfica e muitos outros males sociais. 

"A Marcha Global contra o Trabalho Infantil é um movimento para mobilizar esforços mundiais para proteger e promover os direitos de todas as crianças, especialmente o direito de receber uma educação significativa e livre, para ser livre da exploração econômica e contra o desempenho de qualquer trabalho que possa ser prejudicial para o desenvolvimento da criança física, mental, espiritual, moral ou social. " - Kailash Satyarthi

A Marcha Global contra o Trabalho Infantil é um movimento nascido da esperança e da necessidade sentida por milhares de pessoas em todo o mundo - o desejo de erradicar de uma vez por todas o trabalho escravo infantil.


A Marcha Global visa eliminar o trabalho infantil, questionando, atacando o próprio sistema a nível global, que obriga as crianças a trabalharem. 

O que é fundamental, portanto, na luta para o erradicar o trabalho infantil, é a necessidade de defender mudanças políticas. A Marcha Global trabalha em uma estratégia de três frentes: Os três processos que afetam o futuro do mundo, em especial, os nossos filhos, são a eliminação do trabalho infantil, educação para todos e o fim da pobreza. 

Reunindo política e ação para uma resposta unificada contra o trabalho infantil, o analfabetismo e a pobreza é uma prioridade para a Marcha Global.


O Bachpan Bachao Andolan (Movimento Salve a Infância) é o raio de esperança em milhões de corações, o primeiro sonho em seus olhos, e o primeiro sorriso em seus rostos. 

É uma luz junto á inúmeras crianças, marginalizadas e excluídas da dignidade humana, com o desejo de voar em liberdade.  É uma batalha para abrir as portas da oportunidades para acabar com o flagelo da escravidão e da ignorância da face da humanidade.



Satyarthi também desempenhou um papel importante na ligação entre a luta contra o trabalho infantil com os esforços para alcançar a "Educação para Todos".

Na Índia, promoveu ações para tornar a educação num artigo constitucional. Na sequência disso, em 2009, foi aprovado no seu país a Lei do Direito à Educação Gratuita e Obrigatória. Outras leis também foram aprovadas, mas o problema continua a ser a prática, consequência da pobreza e da corrupção e também da falta de escolas com boas condições e de professores.


Satyarthi sobreviveu a inúmeros ataques contra sua vida durante sua cruzada para acabar com o trabalho infantil, sendo o mais recente ataque contra ele e seus colegas, ao resgatar crianças escravas de fábricas de vestuário em Nova Deli em 17 de março de 2011.

No início de 2004 ao resgatar crianças das garras da máfia de um circo local (O Grande Circo Romano), Satyarthi e seus colegas foram brutalmente atacados. Apesar destes ataques, seu compromisso em defender as crianças contra o trabalho escravo, permanece inabalável.



Satyarthi, juntamente com o ativista paquistanesa Malala Yousufzai , foi agraciado com o Prêmio Nobel da Paz em 2014 "por sua luta contra a supressão de crianças e jovens e pelo direito de todas as crianças à educação".  Satyarthi é o sétimo vencedor do Prêmio Nobel para a Índia e apenas o segundo vencedor indiano do Prêmio Nobel da Paz depois de Madre Teresa em 1979. 


Atualmente, é reconhecido como uma das pessoas que está na linha da frente contra a exploração infantil mundial.

Satyarthi dedicou seu prêmio às crianças em condição de escravidão.

Após receber o prêmio, o indiano afirmou que é um reconhecimento de seu trabalho e disse que sua causa agora ganha mais força.

"Agradeço ao comitê Nobel por este reconhecimento do sofrimento de milhões de crianças", disse o indiano. "É uma honra para todas as crianças que ainda sofrem com escravidão, trabalho forçado e tráfico de pessoas".

"Algo que nasceu na Índia e cresceu, agora é um movimento mundial contra o trabalho infantil. Sinto que as pessoas vão prestar mais atenção à causa das crianças no mundo."


"Calcula-se que existem 168 milhões de crianças trabalhando em todo o mundo de hoje", disse. 

"Em 2000, o número era de 78 milhões a mais. O mundo chegou mais perto do objetivo de eliminar o trabalho infantil."


O Nobel da Paz, no valor de US$ 1,1 milhão é o único que é entregue fora de Estocolmo por decisão do criador dos prêmios, o magnata sueco Alfred Nobel.





Vídeo: Kailash Satyarthi - O Novo Herói

Para tradução ativar as legendas








Fonte:http://www.kailashsatyarthi.net/

Nenhum comentário:

Postar um comentário