sábado, 27 de setembro de 2014

O ELO ENTRE UFOLOGIA E ESPIRITUALIDADE



Mas afinal o que ufologia tem a ver com espiritualidade??

Segundo alguns ufólogos, o conhecimento da ação alienígena na Terra está intimamente ligado à espiritualidade do homem.

Desde sempre o homem observa maravilhado as estrelas longínquas, a brilhar nas noites escuras, geração após geração, refletindo sobre o que são, que segredos guardam ou simplesmente porque causam tanta fascinação ou saudade. 

Essa busca de compreensão, apesar de passar pela mente racional, toca fundo o coração e acende as mais profundas paixões que passam pela astronomia, astrologia, Ufologia e mesmo o misticismo. 




Em todos os livros sagrados é evidente a ligação de seres celestes com os humanos, resultando na criação de vários cultos, seitas e religiões. Qualquer pesquisa elementar pode revelar na Bíblia, no Alcorão e no Rig Veda ligações inequívocas, entre as forças extraterrestres, a espiritualidade e o homem.


Ao se tentar compreender integralmente a Ufologia, é preciso recorrer a um pensamento do filósofo e matemático René Descartes: “Para atingirmos a verdade, é preciso uma vez na vida nos desfazer de todas as opiniões aceitas e reconstruir novos sistemas do próprio conhecimento, desde seu fundamento”. 

O fenômeno dos UFOs está intimamente ligado ao universo místico e sobrenatural. Por ser difícil obter dados credíveis para estudo dos objetos que fazem parte desse fenômeno, a pesquisa feita por ufólogos não é considerada de caráter científico, apesar de cientistas das mais diversas áreas estarem envolvidos nas pesquisas.

A Ufologia tem como objeto de estudo as naves e os seres que nos visitam, supostamente extraterrestres e possuidores de uma tecnologia até então misteriosa para nós.



Na História da civilização humana são encontrados registros da presença de seres procedentes de fora da Terra, que várias vezes foram rotulados como deuses, anjos, mensageiros divinos ou demônios – e que ainda hoje causam controvérsias. 

Como se não bastasse o caráter polêmico da temática ufológica, dois segmentos até certo ponto antagônicos se dedicam ao seu estudo para tentar esclarecer os fenômenos que têm sido observados em nossos céus. Suas abordagens se completam algumas vezes, mas, em outras, se contrariam.

A primeira corrente, ufologia clássica, estuda os efeitos físicos produzidos ou associados a este tipo de fenômeno (fotos; filmes; gravações radiofônicas; marcas no solo e em pessoas; distúrbios eletromagnéticos e climáticos; aparições a olho nu ou em radares; abduções – sequestros praticados por entidades alienígenas , implantes de chips nos humanos e outras evidências consideradas autênticas).


Para isso, foram criadas metodologias específicas em sua pesquisa, e através delas procurou-se legitimar o fenômeno enquanto Ciência. Seus membros desenvolvem um estudo reconhecidamente sério e fundamental para a conscientização da realidade extraterrestre.

O segundo segmento da pesquisa ufológica é denominado Ufologia Holística, Mística, ou Avançada.  



Os membros deste segmento da Ufologia utilizam ferramentas pouco convencionais para manter contatos com seres do espaço. Fazem uso de práticas que se mantiveram confinadas por longo tempo às escolas iniciáticas [Instituições dedicadas ao estudo dos fundamentos da realidade e às práticas metafísicas]. Suas práticas são assim determinadas por não adotarem uma teoria que as esclareça.


Esse segmento da Ufologia utiliza ainda telepatia, canalização, mediunidade, psicografia, viagem astral, telestesia [Fusão de duas ou mais consciências pertencentes a níveis evolutivos diferentes, visando a transmissão de informações], e outros recursos do gênero. 

Tais ferramentas promovem um intercâmbio informativo, que pode ser visto com um certo ceticismo pelos ufólogos mais tradicionais, devido aos meios empregados. 



Independente do ramo da ufologia, todos concordam que sim, fomos e estamos sendo visitados há muitos anos, por seres de outros planetas. Alguns desses seres são altamente desenvolvidos para os padrões da terra, não só tecnologicamente, como espiritualmente.

Estudar os fenômenos ufológicos, é estar aberto a novos paradigmas existenciais. Seres de "outras esferas" estão constantemente entrando em contato conosco, deixando mensagens e vários tipos de ensinamentos.

As identidades desses seres, ora tidos como anjos, guias, espíritos de luz, ora como seres intergaláticos, seres interplanetários ou interdimensionais, acabam por se confundir, ao longo desse fenômeno.

Configura-se entretanto uma unanimidade a ideia de que além da matéria, existe um espaço onde orbitam as mais extraordinárias inteligencias e que elas estão tentando nos ensinar alguma coisa. 



Os espíritas por exemplo, aceitam a existência de vidas e inteligências extraterrenas. Não crêem que os inúmeros planetas existentes sejam matéria inerte e sem vida. Mas, isso não significa que pensem ser a vida nestes mundos igual à terrena.

“Assim como o rosto de nenhum homem é igual ao de outro”, dizia Kardec, “da mesma forma são diversas as civilizações espalhadas pelo espaço. Elas divergem segundo as condições que lhes foram prescritas e de acordo com o papel que cabe a cada uma no cenário universal”.

Para haver vida verdadeira, não se faz necessária a matéria. Portanto, ao se aceitar abertamente a tese espiritualista, o campo de investigação estará muito mais aberto à constatação de fatos nunca antes imaginados na história humana.  

Ademar José Gevaerd





Para Ademar José Gevaerd, um dos maiores ufólogos brasileiros : "Sim, acredito que a espiritualidade dispõe de ferramentas que podem, e precisam, ser usadas na investigação do Fenômeno UFO, ou seja, da presença e manifestação alienígena na Terra. 

Está mais do que óbvio, após 65 anos de existência da Ufologia, que apenas a ciência não oferece todas as respostas para o mistério e que devemos buscar em outras searas uma forma mais completa de se entender a ação em nosso planeta destas outras formas de inteligência. 

Na verdade, tanto a ciência quanto a espiritualidade não oferecem, isoladamente, as respostas que menciono. Deve-se, assim, empregar ambas as disciplinas para isso. Mas com seriedade e responsabilidade. 

O Fenômeno UFO é o maior desafio da humanidade em todos os tempos, é algo complexo e intrincado, que terá gigantesca repercussão em nossa vida quando finalmente revelado em sua totalidade. Assim, vale abrir mão de todos os recursos possíveis para compreendê-lo em sua completa extensão, ou seja, usar todas as ferramentas tanto da ciência quanto da espiritualidade.



Além do que, não nos esqueçamos de que nossos visitantes extraterrestres são todos, ou pelo menos 99% deles, praticamente idênticos fisiologicamente a nós, o que pressupõe que nós e eles temos uma relação muito próxima ou mesmo comum, uma ligação que ainda não conhecemos. É como se eles fossem primos distantes, mas ainda assim da “família”. E se nós, seres humanos, somos essencialmente espirituais, muito além da matéria física, uma conclusão razoabilíssima é de que “eles” também sejam espirituais. Talvez até bem mais do que nós. 

E desta forma, a espiritualidade se torna um meio óbvio de se tentar conhecê-los.


Jan Val Ellam: da Ufologia à Espiritualidade
Trechos da entrevista dada por Jan Val Ellam à Revista UFO

Por onde passa, Ellam esforça-se em ajudar a despertar as pessoas para que reflitam sobre a temática ufológica despida de apegos a conceitos e crenças. Para ele, na Ufologia não cabe crença e nem egocentrismo de opiniões pessoais porque, “sejam quais forem as cores do fenômeno ufológico, elas simplesmente representam a verdade que nos rodeia”.


"Talvez estejamos ofendendo de tal maneira a dignidade da vida, além de estarmos estragando este belo berço planetário que sustenta a estupidez existencial que, partindo da premissa de que realmente os ETs existem e já estão por aqui desde há muito, sejam eles quem forem, seguramente devem ter uma certa reticência em nos contatar. Afinal, vivemos como monstros, matando-nos uns aos outros sob as mais enlouquecidas argumentações, o que certamente deve espantar a quem quer que nos observe de fora.


O interessante é que muita gente na Terra tem medo dos ETs quando, na verdade, devem ser eles que “morrem de medo” da espécie biológica que domina nosso planeta. Muitos aliens já vieram à Terra e deram as suas vidas com o objetivo maior de, mais que ensinar, testemunhar o único modo que o ser terráqueo tem à sua disposição para evoluir, que é o de construir o comportamento elegante – sob a perspectiva das leis e dos costumes siderais – que marca a conduta de qualquer cidadão cósmico minimamente evoluído. Nesse ponto eu falo da postura amorosa para com o próximo e para com tudo mais que o envolve."





A espiritualidade não se baseia na participação em nenhum tipo de religião ou seita, muito menos se restringe à crença em mundos e seres superiores ou de outras dimensões. Ela depende das crenças, valores, das experiências vividas e do modo de relação que a pessoa estabelece a todo momento, com a existência, com si mesma e com o outro.


"O mundo precisa de pensadores desinibidos, que não tenham medo de fazer especulações ousadas. Mas também precisa de engenheiros conservadores, que possam transformar as especulações dos pensadores em algo útil à humanidade."

— Arthur C. Clarke


Entrevista com o Ufólogo Ademar Gevaerd.




Fonte:http://www.ufo.com.br/artigos/o-elo-entre-ufologia-e-espiritualidade
http://conexoorbum.blogspot.com.br/2009/04/jan-val-ellam-da-ufologia.html

3 comentários:

  1. A Mente Humana e os UFOS

    Resumo: a aula traz um conteúdo sobre a relação do conhecimento Freudiano e Junguiano com o fenômeno UFO descrito no mundo ufológico ao correlacionar a comunicação entre civilizações como sendo um sistema interativo inerente a todo indivíduo biológico.

    Duração: 50 minutos

    Link: https://youtu.be/MltQIPFZxWE

    Autor: Max Diniz Cruzeiro (Neurocientista Clínico)

    Fraternalmente,

    Max Diniz Cruzeiro
    LenderBook Company
    www.lenderbook.com

    ResponderExcluir
  2. A Mente Humana e os UFOS

    Resumo: a aula traz um conteúdo sobre a relação do conhecimento Freudiano e Junguiano com o fenômeno UFO descrito no mundo ufológico ao correlacionar a comunicação entre civilizações como sendo um sistema interativo inerente a todo indivíduo biológico.

    Duração: 50 minutos

    Link: https://youtu.be/MltQIPFZxWE

    Autor: Max Diniz Cruzeiro (Neurocientista Clínico)

    Fraternalmente,

    Max Diniz Cruzeiro
    LenderBook Company
    www.lenderbook.com

    ResponderExcluir