terça-feira, 26 de agosto de 2014

Papa Francisco: “Nós não estamos sozinhos no Universo”



O site italiano Anno3000.altervisa.org noticiou em abril de 2014 que o Papa Francisco em homilia realizada na Praça de São Pedro, revelou sobre a existência de vidas em outros planetas, o que teria deixado os fiéis presentes intrigados com a noticia; confira o texto traduzido do italiano para o português.

Roma - Em sua homilia, realizada esta manhã na Praça de São Pedro, o Papa Francisco com grande facilidade e perplexidade entre os fiéis presentes revela:


"Queridos irmãos, eu queria dizer a todos vós que não estamos sozinhos no universo. A ciência já fez tanto progresso e provavelmente em breve irá conhecer nossos novos irmãos e irmãs com quem vamos trocar um sinal de paz. Naquele dia haverá espanto e lembrem-se que Deus é um só e cuidando de todos nós. " 


A revelação tem intrigado e surpreendido milhares de pessoas que vieram para as ruas para acompanhar a homilia, mas o Papa Francisco fez mais, ele queria esclarecer que o progresso é muito importante e também devemos sempre ter a mente aberta para novidades, até as mais incríveis de acordo com o senso comum. 

Esta revelação certamente irá mudar muita coisa, mas o Papa continua caminhando para abrir as portas de uma igreja renovada em qualquer tipo de verdade.


Por décadas, o Vaticano convocou algumas das mentes mais brilhantes da comunidade científica em todo o mundo a refletir sobre a possibilidade de vida extraterrestre, e preparar uma divulgação pública, em nome da Igreja Católica, no caso da existência de alienígenas está confirmada. 

Em março passado o Observatório do Vaticano e da Universidade do Arizona, organizou uma conferência realizada em Tucson para discutir os avanços na busca de vida extraterrestre. 

A conferência foi inspirada pela descoberta rápida de planetas, novos conhecimentos sobre os limiares das condições extremas em que a vida no Planeta Terra pode sobreviver, e nova tecnologia projetada para a busca de vida em exoplanetas. 

Especialistas no estudo de exoplanetas, biólogos, empresas especializadas em biociências e ciências atmosféricas também participaram. 


Cerca de 200 cientistas de todo o mundo participaram do evento "Pesquisa para a vida além do sistema solar." Eles são desafiados diante da possibilidade de encontrar vida alienígena usando uma abordagem interdisciplinar.

Em julho deste ano, um outro avanço feito pelo padre jesuíta Guy Consolmagno, (Com mestrado no MIT e pós-doutorado em Harvard, o padre Guy Consolmagno é um dos astrônomos do Vaticano.)  recebeu a medalha de ciência  Carl Sagan da Sociedade Astronômica Americana (AAS). Contando com os cientistas, como Irmão Consolmagno, os esforços científicos do Vaticano ganharam prestígio. 

O AAS anunciou o prêmio para Irmão Consolmagno em homenagem à suas "comunicações em nome de um cientista para o público em geral". Irmão Consolmagno tem aparecido nas principais agências de notícias, incluindo a BBC, onde ele serviu como um especialista em temas de ciência e religião relativas à ciência. 


"O observatório mostra ao mundo que a Igreja apoia, ativamente, a ciência. Isso é importante não só como resposta às pessoas que rejeitam a Igreja por achar que ela é, de alguma forma, anticiência, mas também para mostrar às pessoas da Igreja que a ciência deve ser encorajada." -Irmão Consolmagno


O Observatório do Vaticano é uma das mais antigas instituições astronômicas no mundo, localizado em Castel Gandolfo, residência de verão do Papa fora de Roma. Sua equipe de pesquisa também opera Telescope Avançada do Vaticano no Monte. Observatório Internacional Graham, no Arizona. 


Outra notícia, no mínimo insólita, publicada na Reuters afirma que, finalmente, o Vaticano admitiu a existência de vida extraterrestre. Em 2009, José Gabriel Funes, diretor do Observatório do Vaticano, deu uma entrevista ao jornal L'Osservatore Romano do Vaticano, onde ele afirmou a existência de vida alienígena, e não colocou problemas para a teologia católica. 

Durante séculos, este reconhecimento oficial da Igreja Católica foi rejeitado, mas agora o padre José Funes (astrônomo do Vaticano) afirma que é surpreendente.


Este padre disse que “Deus pode ter criado seres inteligentes noutros planetas do mesmo modo que criou o Universo e os homens. Com existem imensas criaturas na Terra, também poderá existir outros seres inteligentes criados por Deus. Possíveis habitantes de outros planetas devem ser considerados como nossos irmãos”.


Sinal de que pelo menos os líderes católicos já assimilaram a lição de que brigar com a ciência e desqualificá-la, tentando manter os fiéis sob o manto pesado do obscurantismo, é, além de estúpido e desonesto, inútil a longo prazo. 

Interessante seria se todas as lideranças cristãs encontrassem esse mesmo caminho e parassem de rechaçar fatos incontestáveis, como a evolução das espécies e o Big Bang. 


Ciência e fé não são mutuamente exclusivas, e nenhum dos lados deve temer o outro, contanto que cada um aceite ficar no seu quadrado.


Veja a matéria original clicando neste link:http://anno3000.altervista.org/papa-francesco-non-siamo-soli/







2 comentários:

  1. Antes do Papa admitir a existência de seres inteligentes extraterrenos, deveria admitir que os animais terrestres também são dotados de inteligência e como tal devem ser respeitados.

    ResponderExcluir
  2. Before declaring that exists intelligent life outside the Earth, Francesco should declare that among humans living here the Earth, animals are also intelligent. If God had a B Plan about 4.000 years ago, if God had a animal backup outside the planet why God requested Noah to construct the Ark and save the animals? Think about it. Amphibians, mammals among others animals may exist solely here, God does not waste life for nothing.

    ResponderExcluir