domingo, 17 de agosto de 2014

LUZES DO MUNDO - BYRON KATIE




Byron Kathleen Mitchell , mais conhecida como Byron Katie (nascida em 06 de dezembro de 1942), é uma oradora e escritora americana que ensina um método de auto-investigação conhecido como "O Trabalho de Byron Katie" ou simplesmente como "O Trabalho (The Work)". 

"The Work” começou em uma manhã de fevereiro de 1986, quando Byron Kathleen Reid – uma mulher de 43 anos de uma pequena cidade na Califórnia – acordou no chão de uma casa de reabilitação, em um completo beco sem saída em sua vida, e começou a rir.

Em meio a uma vida Americana comum – segundo casamento, crianças, uma carreira de sucesso trabalhando com imóveis – Katie há dez anos entrava cada vez mais na paranoia e no desespero. 

Durante os dois anos anteriores, ela havia estado tão deprimida que raramente saía de casa, ficando na cama durante semanas, incapaz até mesmo de escovar os dentes. 



Durante aqueles anos, seu marido sofrera quatro ataques do coração e, no final, acabou tendo que colocar Katie em um centro de reabilitação para mulheres com distúrbios alimentares. 

As outras internas tinham tanto medo dela, que ela foi colocada sozinha em um quarto no sótão. O que aconteceu em seguida, é difícil de compreender. 

Katie acordou um dia, no chão de seu quarto e observou uma barata rastejando sobre seu pé descalço. Naquele momento, ela perdeu todos os conceitos que tinha sobre quem, onde e o que ela era.

Ela despertou para um estado de ser fundamental e luminoso, que é sem separação e que experimenta a si mesmo como puro amor. 



Como os grandes mestres espirituais de várias tradições, ela sabia que havia chegado ao fim da confusão e do sofrimento. Ela percebeu que seu entendimento anterior sobre a vida havia sido completamente modificado. Naquele momento ela explodiu em gargalhadas. 

Levou anos para que Katie aprendesse como falar sobre seu estado de espírito; ela não tinha um contexto externo no qual se basear sobre o despertar de sua consciência. 

Ela nunca havia meditado, nem estado remotamente interessada em espiritualidade, nem mesmo já havia lido um livro “espiritualista”. Ela tinha apenas sua própria experiência para guiá-la. 

Mas começou a se espalhar um boato sobre uma “senhora luminosa” em Barstow, e muitas pessoas sentiram-se magneticamente atraídas para ela. 



Katie convenceu-se de que não era sua presença pessoal que era necessária, mas uma maneira de as pessoas descobrirem por si mesmas o que ela havia descoberto. 

Disso veio um método simples de auto investigação que ela chamou de “The Work”. Katie começou a compartilhar-lo onde quer que fosse convidada – no início, em pequenas reuniões em salas de estar de residências e, finalmente, em muitos países, para auditórios de centenas de pessoas. 

Pelo final de 1999, aproximadamente 200.000 pessoas haviam participado de pelo menos uma apresentação introdutória do “The Work” e 36.000 pessoas já haviam participado do curso de fim de semana com Katie, ou do intensivo de uma semana.

Hoje em dia, há centenas de grupos em cidades por todo os EUA. Eles também estão crescendo por toda a Europa e na maior parte do mundo desenvolvido, de cidades da África do Sul, até a Prisão De Koepel na Holanda, ao sistema de justiça juvenil em Los Angeles, Califórnia. 

Katie faz apresentações públicas mais ou menos dez vezes por mês. 





Como O Trabalho Começou:

Byron Katie sofreu uma severa depressão aos 30 anos de idade. Durante dez anos ela mergulhou em depressão, raiva, auto-piedade e constante pensamento suicida; nos últimos dois anos, ela praticamente não saiu do quarto.

Foi quando, numa manhã de Fevereiro de 1986, ela teve uma experiência que mudou totalmente a sua vida. Há várias maneiras de se chamar este tipo de experiência; Katie chama essa experiência de “despertar para a realidade”.

Sobre aquele momento, ela conta:


“Eu descobri que quando eu acreditava nos meus pensamentos, eu sofria, mas quando eu não acreditava neles, eu não sofria e que isso é verdadeiro para qualquer Ser Humano. Liberdade é simples assim. Eu descobri que sofrimento é opcional. Eu descobri dentro de mim uma alegria que nunca havia deixado de estar lá, nem por um segundo. Essa felicidade está dentro de todos, sempre.”

Ela descobriu que o que causava sua depressão não era o mundo ao seu redor, mas o que ela acreditava sobre esse mundo. 



Ao invés de, inutilmente, tentar mudar o mundo adequando-o aos seus pensamentos de como deveria ser, ela poderia investigar esses pensamentos e, entendendo a realidade como ela é, experimentar uma, antes inimaginável, sensação de liberdade e alegria. Como resultado, a mulher deprimida, suicida, estava, instantaneamente, cheia de amor por tudo o que a vida oferece.


O processo de Katie de auto-investigação, chamado O Trabalho não se desenvolveu a partir dessa experiência; ela diz que isso “acordou” com ela, como ela, naquela manhã de Fevereiro de 1986. As primeiras pessoas que fizeram O Trabalho dizem que isso transformou a vida delas, e rapidamente Katie começou a receber convites para ensinar o processo publicamente.



O insight de Katie dentro da mente é compatível com as últimas pesquisas em neurociência cognitiva, e "O Trabalho" tem sido comparado ao diálogo de Sócrates, ensinamentos budistas e o programa dos 12 passos. 

Mas Katie desenvolveu seu método sem nenhum conhecimento de religião ou psicologia. O Trabalho é baseado, puramente, na experiência direta de uma mulher de como sofrimento é criado e terminado. 

É incrivelmente simples, acessível para pessoas de todas as idades e níveis, e não necessita nada a não ser uma caneta, um papel e mente aberta. 


"Um pensamento é inofensivo a não ser que nós acreditemos nele. Não são os nossos pensamentos, mas o apego à eles que causam sofrimento. Apego a um pensamento significa acreditar que é verdadeiro, sem investigação. A crença é um pensamento a que nós estamos apegados(as) e freqüentemente, por anos."



“O Trabalho de Byron Katie é uma grande benção para o nosso planeta. A raiz do nosso sofrimento é que nos identificamos com nossos pensamentos e nossa mente fica continuamente ocupada com as “histórias” que criamos. O Trabalho age como uma espada afiada que rasga essa ilusão e te permite conhecer por si mesmo(a) a essência infinita do seu ser. Alegria, paz e amor emanam como seu estado natural”. -Eckhart Tolle

Katie percebeu imediatamente que dando às pessoas seus insights e respostas era de um valor muito pequeno – ao contrário, ela oferece um processo que pode dar às pessoas as próprias respostas deles(as). 


Desde 1986, Katie tem levado O Trabalho para milhares de pessoas no mundo todo, em eventos públicos gratuitos, prisões, hospitais, igrejas, empresas, universidades, escolas, workshops de fim-de-semana, e na sua maravilhosa Escola para O Trabalho de nove dias.



Katie não está alinhada com qualquer religião ou tradição particular. Ela é casada com o escritor e tradutor Stephen Mitchell, que co-escreveu o seu primeiro livro, O Que É Amar e seu terceiro livro, Os Mil Nomes da Alegria.

Byron Katie tem uma missão: ensinar as pessoas como acabar com o sofrimento delas. Conforme ela guia as pessoas através do poderoso processo de investigação chamado O Trabalho, as pessoas percebem que as crenças estressantes sobre a vida, sobre outras pessoas, sobre elas mesmas, mudam radicalmente e as suas vidas são transformadas para sempre.



Através desse processo, qualquer pessoa pode aprender a buscar a raiz da sua infelicidade e resolver isso na origem. Katie (como todos a chamam) não só nos mostra que todos os problemas no mundo são originados no nosso pensamento: ela nos dá instrumentos para abrirmos a nossa mente e nos libertarmos.


"O único momento em que nós sofremos é quando acreditamos em um pensamento que briga com o que é. Quando a mente está perfeitamente clara, o que nós queremos é o que é. Se você quer que a realidade seja diferente do que é, você tem, também, que tentar ensinar um gato a latir. Você pode tentar, tentar e no fim o gato vai olhar para você e dizer ―Miau. Querer que a realidade seja diferente do que é, é inútil."


O Trabalho (The Work) de Byron Katie é uma maneira de identificar e questionar os pensamentos que causam todo sofrimento do mundo. É uma maneira de se encontrar paz interior e com mundo. Velhos, jovens, doentes, saudáveis, acadêmicos, analfabetos – qualquer pessoa com mente aberta pode fazer O Trabalho.


"O que eu amo à respeito do The Work é que ele permite que você vá fundo dentro de você mesmo para encontrar a sua própria felicidade, para experimentar o que já existe dentro de você, imutável, sempre presente e sempre esperando. Nenhum professor é necessário. Você é aquele que pode acabar com todo o seu sofrimento. Eu sempre digo: “Não acredite em nada do que eu digo”. Eu desejo que você descubra por você mesmo o que é bom para você, não para mim.” Byron Katie


Num momento de insight Katie viu que nossas tentativas de encontrar felicidade estavam na contra-mão – ao invés de inutilmente tentar mudar o mundo para adequá-lo aos nossos pensamentos de como “deveriam” ser as coisas, podemos questionar esses pensamentos e, enxergando a realidade como ela é, experimentar total liberdade e alegria. 

Katie é autora de quatro best-sellers: 




  • Loving What Is (O que é Amar: Quatro Perguntas que Podem Mudar sua Vida) - com Stephen Mitchell 







  • I Need Your Love—Is That True? (Eu Preciso do Seu Amor - Isso é Verdade?: Como Deixar de Procurar Amor, Aprovação e Apreciação e Começar a Encontrá-los) - com Michael Katz


  • A Thousand Names for Joy (Os Mil Nomes da Alegria: Vivendo em Harmonia com as Coisas da Maneira que São) - com Stephen Mitchell).





  • Seu último livro é Who Would You be without Your Story: Dialogues with Byron Katie(Quem você seria sem sua história ?- Diálogos com Byron Katie).







*Para assistir ao vídeo, primeiro ative a legenda com tradução para o português






Fonte:http://www.thework.com/portugues/

Nenhum comentário:

Postar um comentário