terça-feira, 15 de julho de 2014

Guru Purnima




Há milhares de anos as pessoas na índia têm celebrado o "Dia do Mestre" - o Guru Purnima. 

Neste ano da Graça de 2014, o Guru Purnima foi vivenciado no dia 12 de julho, dia de lua cheia.

Guru Purnima é a festividade anual que honra os professores espirituais, preceptores e mentores que removem a escuridão da ignorância e trazem a sabedoria e iluminação. 

Purnima é a palavra Sânscrita para lua cheia. Este Guru Purnima, o "Dia do Mestre", é sempre comemorado no dia da lua cheia do mês de julho.

Neste dia especial todos os pensamentos de uma pessoa estão focados no santo preceptor, sintonizando-se com a sua mente, meditando nos seus ensinamentos e expressando gratitude pelas suas bênçãos e orientação. 

É um dia dedicado ao divino guru-mentor, que dedicou sua vida à evolução espiritual de seus discípulos-crianças. Os discípulos visitam o guru-mentor e oferecem gratidão com amor e devoção por aquilo que lhes foi entregue pela graça do mestre e seus ensinamentos.


É o aniversário do grande sábio Maharishi Vyasa, autor do épico Mahabharata, (que inclui o Bhagavad Gita), o Bhagavatam, o Brahmasutras, 18 Puranas, e editor dos Vedas.

No dia da lua cheia há luz tanto de dia como de noite, simbolizando conhecimento ou iluminação. Assim como a luz dispersa a escuridão, assim através do conhecimento a ignorância desaparece. O auto­conhecimento é aquela luz que nos liberta da incerteza da escuridão do sofrimento e da infelicidade na vida.


Em ashrams, mosteiros, salões e altares caseiros, os Hindu reúnem-se para venerarem o guru da sua linhagem. A primeira atividade é um ritual formal, chamado puja, no qual os seus pés ou um par das suas sandálias são reverenciadas. Nos maiores centros do guru, a puja é um grande evento, precedida por uma procissão festiva. É especialmente auspicioso fazer peregrinações ao ashram ou mosteiro do guru neste dia.


O Mundaka Upanishad 1:2:12 diz: "Para adquirir o conhecimento d'aquilo, deixe-o somente aproximar-se, com o combustível sacrifical na mão, de um guru-mentor que conhece a escritura e que está estabelecido em Brahma". Aqui são sublinhadas duas qualidades do mentor divino: pessoa com auto-conhecimento e aquele que está sempre imerso na consciência de Deus.

Na Índia, este dia marca o início dos quatro meses da época das monções. Tradicionalmente, os santos mendicantes não vagueiam durante este tempo inclemente, mas fixam-se em acampamentos temporários onde os devotos se reúnem para receberem a sua sabedoria. 

O primeiro dia de aprendizado era dedicado a reverenciar o preceptor, e acredita-se que este hábito tornou-se conhecido Guru Purnima. A lua cheia também é conhecida como um tempo propício para atingir realização, plenitude e progresso espiritual, e para iniciar todos os novos empreendimentos.

De acordo com a tradição, a presença de Deus pode ser mais clara e completamente sentida no satguru iluminado. Sentar a seus pés é estar próximo de Deus e do nosso próprio Ser. Todas as correntes nervosas terminam nos pés. 


Pontos de energia vital relacionados com todos os órgãos dos seus corpos físicos e internos – astral, mental, e alma – estão lá. Tocamos os pés e nós tocamos o mestre espiritual. Venerar os pés do guru é também o reconhecimento do nosso profundo respeito e o entendimento que seguindo as suas pegadas iremos atingir a perfeição espiritual.


Algumas comunidades Hindus veneram os seus gurus como a personificação de Deus, e podem mesmo reverenciá-lo como um avatar. Mas, a maior parte dos Hindus, vê o seu guru como uma grande alma iluminada na qual a presença de Deus é mais fortemente visível.


Sai Baba:


"O Guru é aquele que mostra a vocês o caminho, para a obtenção da graça e a ele é dedicado este dia. 

Este é o dia em que a humanidade presta homenagem ao maior de seus médicos espirituais, o sábio Vyasa. 

Vyasa é o maior desses doutores, pois compilou os Vedas, compôs os Puranas e o Mahabharata e deu à humanidade o Bhagavata. Ele é o Guru primeiro para todos os que trilham o caminho de Deus. 

Ele plantou a semente do teísmo e a nutriu através de Shruti, Smriti, Shastra e do Mahabharata. 

Ele deu ao mundo a Gita e os Brahma Sutras, a idéia do Atma imanente, a descrição da divina lila (jogo divino da existência) e o segredo desta criação cambiante. Ele viveu em cerca de 3.800 a.C.; era neto do sábio Vasishta, filho de Parasara e pai de Suka, a joia celebrada entre os rishis. 

A história de sua vida é uma série de milagres, uma saga divina. Ele veio de Vasudeva (Deus), revelou a lila de Vasudeva a todos e, finalmente, fundiu-se em Vasudeva. Ele estabeleceu a era do namaparayana (repetição e entoação do Nome do Senhor) e fez com que todos se conscientizassem da doçura do Nome do Senhor, que evoca Sua forma e Sua graça.


Vyasa primeiro revelou ao homem o segredo de tornar a mente tão clara e cheia de raios refrescantes quanto a lua numa noite de lua cheia;  é por isso que este  purnami (dia de lua cheia) é associado com ele e com todos os Gurus.


As palavras de Mooji sobre Guru Purnima:


De todas as celebrações, eu não consigo ver nenhuma tão significativa como Guru Purnima, porque ela honra o Satguru dentro de você.

Aquele que remove a ignorância ou o véu aparente que parece eclipsar a realização suprema do Ser é o próprio Ser. Essa luz em si assume a forma de algum magnetismo, alguma atração, a fim de experimentar esta Yoga da Auto-Realização.

Ela já preparou o terreno para a sua revelação dentro do coração dos seres que ela atrai. Esta atração não se limita a um mero ensino ou aprendizado, é uma ressonância, uma atração não-conceitual para a única fonte de toda a existência.


E à medida que ela começa a agitar, a vibrar, a sintonizar-se como presença dentro do coração, tanto o buscador como também o Mestre gradualmente desaparecem como conceitos e permanecem como a única verdade inseparável.

Nós não precisamos de mais conhecimento ou estudiosos. Devemos procurar, celebrar e dar as boas-vindas aos seres cuja presença neste mundo são a evidência da Verdade, não a evidencia conceitual, mas cujas vida são autentica e totalmente a personificação da Verdade.

Como sabemos que Você é a Verdade?
Por causa do poder da Presença e a presença do Poder dentro do seu coração você irá se convencer espontaneamente.

Todos os dias eu estou procurando por Você, e olhando para Você e olhando a partir de Você e olhando em Você como Você e como "Eu Sou".


A fim de conhecer o Verdadeiro, você tem que esquecer de si mesmo.

Você tem que ser nada - apenas descansar no e como o próprio Ser de momo a que não haja alguém restando para determinar mais nada e as suas ações estão apenas se desdobrando espontaneamente a partir da própria fonte.

É Isso que você é.
Se é Isso que você honra e reconhece em seu Coração, então,Feliz Dia Guru Purnima!


Mensagem de Guru Purnima por Sri Sri Ravi Shankar:



Entre as 12-13 luas cheias de um ano, a lua cheia Vaishakha é dedicada ao (seu nascimento e iluminação), a lua cheia Jyeshtha é dedicada à mãe terra e a lua cheia Aashadha é dedicada à memória dos mestres.  Isto é Guru Purnima.

Trata-se do dia em que o discípulo acorda em sua plenitude e ao acordar, ele sente-se apenas muito agradecido.  Esta gratidão não vem de Dwaita (você e eu), mas sim de Advaita. Não é um rio correndo de um lugar para outro, mas  o oceano movendo dentro de si mesmo.  Então, gratidão ao Guru Purnima simboliza a plenitude.

O objetivo de comemorar o Guru Purnima é voltar, rever e verificar o quanto, neste último ano, você progrediu na vida.  Para um buscador, Guru Purnima é um dia significativo, é um dia de Ano Novo. 





É o dia para revermos nosso progresso no caminho espiritual e renovarmos nossa determinação e foco no objetivo, e para resolvermos o que queremos fazer no próximo ano.  Quando a lua cheia surge e brilha, lágrimas de gratidão surgem e repousam na imensidão do nosso próprio ser. “

Sabe, nosso corpo tem milhões de células e cada célula tem vida própria.  Muitas células estão nascendo a cada dia e muitas estão morrendo.  Assim, você é uma cidade em movimento.  Assim, muitas cidades estão no planeta Terra e o planeta Terra está girando e se movendo em torno do sol.  

Da mesma forma, há muitas células e muitos seres que vivem dentro de você e se movem ao seu redor. 

Você é um município que se desloca.  Como em uma colmeia, há muitas abelhas que chegam e sentam-se, mas há uma abelha rainha.  Se a abelha rainha vai embora, a metade das abelhas também vai embora.  Da mesma forma, existe um átomo em nosso corpo, a abelha rainha.  Se ele não estiver lá, todo o resto desaparecerá.  

Localize aí, nesse ínfimo do minúsculo átomo, o atma ou o Ser.  Ele está em toda parte e em lugar nenhum. Ele é a abelha rainha e é isso que você é.  Isso é o que o Divino é, e esse é o princípio do Guru.

Como existe paternidade e maternidade, existe Gurunidade também.  Vocês todos tem que praticar Gurunidade com pelo menos uma pessoa.  Você pratica, você dá conselhos e orienta as pessoas, consciente ou inconscientemente, dando amor e cuidado.  Mas faça isto  com 100% sem esperar nada em troca.  



Isso é viver a Gurunidade, viver o Ser.  Não há nenhuma diferença entre o Divino, você e o Princípio do Guru.  Tudo vem de uma coisa só, da abelha rainha.

Meditação é relaxar e repousar naquele átomo. Então, pense em todas as coisas que você poderia agradecer e pergunte o que quiser.  E abençoe a todos. Recebemos, mas apenas receber não é suficiente, devemos dar e abençoar aqueles que passam por necessidade.

“Aquilo que você não pode expressar é Amor.
Aquilo que você não pode rejeitar / renunciar é Beleza.

Aquilo que você não pode evitar é a Verdade. “



Vídeo:Celebração do Guru Purnima com Sri Sri Ravi Shankar 


Nenhum comentário:

Postar um comentário