quarta-feira, 14 de maio de 2014

NOVA TEORIA SOBRE O DESAPARECIMENTO DO VOO MH370


SÓ O TEMPO DIRÁ SE É VERDADE OU NÃO.

Recebemos de um de nossos leitores a teoria abaixo, sobre o desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines.  

Muito se tem falado acerca do desaparecimento do avião da Malaysia Airlines , sobre o qual abundam teorias, algumas das quais de características conspirativas e, até, cinematográficas.

Surgem agora pretensos estudos que evidenciam uma estratégia orquestrada e concretizada com objetivos muito claros. 

Você já ouviu sobre essa teoria da conspiração no desaparecimento do Voo MH370? 

Essa estória é assim: 

Enquanto os Estados Unidos retiravam do Afeganistão um dos seus sistemas de comando e controle usado para controlar e pilotar seus drones eles foram sequestrados por Talibãs quando o comboio de transporte americano descia de uma de suas bases localizadas no alto de um monte. 



Os talibãs emboscaram o comboio, mataram dois “seals” da marinha americana, tomaram posse do equipamento e das armas, incluindo o módulo de comando e controle de todo o sistema pesando cerca de 20 toneladas, embalados em 6 caixotes. Isso aconteceu aproximadamente em fevereiro de 2014.

Como os Talibãs necessitam de dinheiro para alimentar e financiar a sua máquina de guerra, procuraram vender o sistema aos Russos e/ou aos Chineses. 

Os Russos, porém, demasiado ocupados com os problemas na Ucrânia não terão dado grande atenção ao assunto, ao contrário dos Chineses, que andam famintos  pela tecnologia do sistema. Imagine só se os chineses dominarem o controle dessa tecnologia,  todos os drones americanos se tornarão inúteis. 
       
                                                     

Então a China mandou 8 cientistas “top”, especialistas em defesa militar, para avaliar o sistema e pagar oito milhões por ele. 

No começo de março de 2014, os 8 cientistas e os 6 caixotes foram levados para a Malásia, sendo a melhor maneira de dissimular e esconder a transação do resto do mundo.



A “carga” foi então guardada na embaixada chinesa sob proteção diplomática. Entretanto os americanos uniram-se à Inteligência Militar de Israel, e juntos estavam determinados em interceptar e recuperar a “carga”.



Atentos ao melindre da situação e as dificuldades no transporte secreto do equipamento, os chineses decidiram que seria mais seguro transportá-la via uma aeronave civil com o intuito de evitar suspeitas. 

Tal metodologia seria a mais adequada, principalmente o voo direto de KL para Pequim, que demora só quatro horas e meia. Além disso, os Americanos, mesmo que viessem a ter conhecimento do transporte não iriam sequestrar ou danificar uma aeronave civil, com passageiros civis.



Ou seja, não restariam dúvidas  de que o MH370 seria o transporte perfeito.


Acontece, porém, que ao Americanos tiveram conhecimento da estratégia adotada e colocaram um grupo de 5 agentes, Americanos e Israelitas, a bordo, com conhecimentos bastantes para operar um Boeing 777.


Os 2 “Iranianos” com passaportes roubados poderiam estar entre eles.                        


Quando o vôo MH370 estava para deixar o espaço aéreo da Malásia e estava se comunicando com o Controle Aéreo Vietnamita, um AWAC americano interferiu no sinal, desabilitou o sistema de controle do piloto e passou-o para um controle remoto. Isso foi quando a aeronave perdeu altitude momentaneamente. 

O voo MH-370 foi aparentemente desviado do seu curso por controle remoto. Monitorizado por satélites e radares VKO no Oceano Índico, voou quase 3.447 km (2.142 milhas) para o atol de Diego Garcia.



A alegação, é que um controle remoto (tipo drone) pode ter sido usado para controlar o avião, a sua velocidade, altitude e direção através do envio de sinais de rádio sem a interferência dos pilotos.


Ora, os EUA têm tecnologia capaz para desviar o avião para a sua base em Diego Garcia, ou para outra base qualquer, pois esta aeronave 777-200ER Boeing está equipada com um sistema fly-by-wire (FBW), que substitui os controles de vôo manuais convencionais de uma aeronave, com uma interface eletrônica (controle remoto) que lhe permite controlar qualquer aeronave deste tipo.

Como o AWAC pode fazer isso? 

Pode porque depois do “11 de Setembro” todas as aeronaves Boeing (e possivelmente também todas as aeronaves Airbus) terão sido equipadas com um sistema de controle remoto para impedir eventuais sequestros terroristas. 



Desde então, todo Boeing pode ser remotamente controlado e pilotado por uma torre de controle em terra. É o mesmo sistema de controle remoto usado para pilotar drones e aviões espiões sem piloto a bordo. 

Os 5 agentes americanos e israelenses logo assumiram o controle do avião, desligaram o transponder e todos os outros sistemas de comunicação, alterado a rota e voado para Ocidente. 

A decisão de não voar para Oriente, em direção às Filipinas ou a Guam, teria tido o intuito de evitar o espaço aéreo sobre o Mar da China, porque todo o espaço aéreo do sul da China é monitorado por radares e satélites chineses. 

Os radares militares da Malásia, Tailândia e India detectaram a aeronave não identificada porém não reagiram “profissionalmente”. 


Ilhas Maldivas

Ao que consta, o avião teria sobrevoado o Norte de Sumatra, Anambas, o Sul da Índia e então aterrissou nas ilhas Maldivas (alguns moradores viram a aeronave pousando), reabasteceu e continuou seu vôo para Diego Garcia, uma base aérea americana no meio do Oceano Indico. 

Moradores nas Maldivas, afirmam ter visto um avião a voar baixo às 6:15h em 8 de Março, cuja descrição é aproximada do MH-370. Um especialista em aviação local, disse que provavelmente o avião teria sobrevoado as Maldivas. 

Testemunhas oculares do Kuda Huvadhoo, concordaram que o avião estava  voando de Norte para Sudeste, em direção ao extremo sul das ilhas Maldivas. Também confirmaram o barulho incrivelmente alto que o avião fez quando voou sobre eles. Sabe-se que o avião, após ficar incontatável, passou para uma altitude de 3.000 pés, naturalmente para escapar à maioria dos radares.


Base Militar americana em Diego Garcia

Tudo indica que o avião desaparecido depois de abastecer,voou para Diego Garcia, uma base militar muito peculiar e importante dos EUA.  

A matemática para a quilometragem e o tempo vôo, coincidem perfeitamente com os fatos apresentados. A carga e a caixa preta foram desembarcadas. O mais macabro e preocupante da história, é que os passageiros terão sido aí silenciados, por “meios naturais”, ou seja, por falta de oxigênio. Eles acreditavam que somente pessoas mortas não iriam falar. 




O vôo MH370 com todos os passageiros mortos decolou de novo via controle remoto e caiu  ao sul do Oceano Indico, fazendo o mundo acreditar que o avião eventualmente ficou sem combustível pondo assim a culpa no comandante e no co-piloto.

Os americanos encenaram um grande show. Primeiro concentrando toda a atenção e esforço de resgate no mar do sul da China enquanto o avião era desviado para o Oceano Indico. Então emitiram declarações e evidências conflitantes para confundir todo o mundo. 




A quantidade de recursos e esforços que a China movimentou, em termos de aviões de resgate, satélites, navios, vasculhando primeiro o mar do sul da China e depois no estreito de Malaca e no Oceano Indico é sem precedentes.

Esta atitude prova, pelo menos, que o nível de preocupação da China é muito elevado, não somente com os passageiros chineses, mas principalmente com a "valiosa" carga e seus 8 cientistas de defesa aérea, altamente qualificados. 


Não acredita na história? Não se espera que você acredite, mas vamos esperar para ver como o episódio se revela por si mesmo.

Ou talvez isso não aconteça a menos que apareça outro Snowden... 


8 comentários:

  1. Muito fantasiosa. Controles de drones não conseguem controlar um aviao comercial. Balela.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Marcelo,
    Segundo informações, o Fly-by-wire (FBW) é um sistema que substitui os controles manuais convencionais de voo de uma aeronave por uma interface eletrônica. . O sistema fly-by-wire também permite que os sinais automáticos enviados pelos computadores da aeronave, executem as funções sem a intervenção do piloto.

    ResponderExcluir
  3. VC JÁ PENSOU EM ESCREVER UM LIVRO DE FICÇÃO CIENTÍFICA?! VC TEM TALENTO!
    DE QUALQUER MODO, PARA FAZERMOS UMA OBJEÇÃO À ESSA HISTÓRIA, TERÍAMOS DE APRESENTAR ARGUMENTOS MELHORES QUE ESSES, E VISTO QUE AS CONSPITRAÇÕES INTERNACIONAIS DE FATO PARECEM HISTÓRIAS DE FILMES. E DO GOVERNO AMERICANO E PODE ESPERAR TUDO, ATÉ MESMO AS COISAS DESCRITAS ACIMA. ESSA HISTÓRIA PODE ATÉ NÃ OSER VERDADE, MAS É BEM MAIS REALISTA QUE AS DESCULPAS ESFARRAPADAS QUE A MÍDIA MUNDIAL TEM APRESENTADO.(POR INCRIVEL QUE PAREÇA!)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não sabemos se é verdade ou não, Jadem Freitas, essa versão nos parece bem fantasiosa, mas como você mesmo disse, é mais realista que as desculpas que andam espalhando na mídia!

      Excluir
  4. A China acusou nesta terça-feira os Estados Unidos de hipocrisia e convocou o embaixador americano, numa resposta enérgica à acusação nos Estados Unidos de cinco oficiais do exército do país asiático por ciberespionagem e espionagem econômica.

    ResponderExcluir
  5. Não se pode afirmar que é impossível. O que é impossível? O que pensamos que não pode ser feito?

    ResponderExcluir
  6. Qual a culpa dos passageiros, para serem mortos sem oxigênio? Eles nada tinham a ver com a coisa, poderiam tê-los deixado em algum lugar, que ali poderiam serem resgatados.

    ResponderExcluir