quinta-feira, 3 de abril de 2014

As Pirâmides Submersas do Japão



Nos últimos anos, novos e impressionantes achados arqueológicos trazem fortes luzes sobre tempos imemoriais e estão fazendo com que a ciência da antropologia dê sobressaltos de calafrios nas últimas décadas. Se antes, pensávamos apenas em Atlântida como sendo um continente perdido no Oceano Atlântico, bem como o mítico Continente de Mu no Oceano Atlântico, e as terras de Rama no Oceano Índico, precisamos lembrar que os povos amarelos também tem suas lendas. E essas lendas podem estar sendo corroboradas por impressionantes descobertas.

Um tema mitológico muito conhecido no Japão, Taiwan, China e Filipinas descrevem a antiga busca por uma civilização perdida naquela região do planeta. Esse folclore cita através de lendas a probabilidade de um reino submerso nas Águas do Oceano Pacífico, com uma linha costeira que unia várias terras e onde os fragmentados arquipélagos da Malásia, da Indonésia, das Filipinas e do Japão não seriam mais do que partes de um grande continente.


Alguns pesquisadores o denominam de Lemúria, mas no Japão, é chamado Hori. E foi em 1985 que mergulhadores japoneses fizeram surpreendentes descobertas. Ao estudarem uma região no Arquipélago de Ryûkyû, a 480 km a sudoeste de Okinawa – Japão, o mergulhador Kihachiro Aratake estava com sua equipe procurando melhores lugares para turistas praticarem mergulho quando encontrou um conjunto de misteriosas ruínas megalíticas. Era uma plataforma com escadarias, as quais cada uma tem mais ou menos 1 metro de altura, assemelhando-se com um altar em pedras cortadas com precisão.

Agora cientistas japoneses estudam essa, que pode ser uma das mais importantes descobertas arqueológicas do planeta, misteriosamente ignorada pela imprensa ocidental. Muitos historiadores, arqueólogos e outros cientistas foram atraídos até o sítio arqueológico, onde realizaram estudos geológicos para o cálculo da idade destes monumentos. Os destroços da cidade submersa, que pode ter mais de 11.000 anos de idade.

Depois de muita pesquisa, eles descobriram várias estruturas enormes incluindo uma pirâmide muito semelhante às dos astecas e maias, que possuem cinco andares e são alinhadas tendo como base os pontos cardeais.


Localizada a alguns quilômetros da ilha de Yonaguni, estão os restos submersos de uma cidade muito antiga.  Os estudos geológicos calcularam a idade destes monumentos como tendo 11.000 anos de idade, o que os colocaria como uma das edificações mais antigas do planeta.


A suposta cidade está localizada no mar na costa do Japão e conta com muitas provas de que foi construída por humanos. Como por exemplo, escadarias, rampas, desenhos em rochas e outros detalhes.

Quando fotos do lugar foram divulgadas, imediatamente começou a polêmica sobre a origem dos terraços e escadarias. Muitos estudiosos recusaram aceitar que as ruínas sejam de construções feitas por mão humana. As formas geométricas, os ângulos muito certos, foram atribuídos a "agentes naturais". Entretanto, outros pesquisadores afirmam que o fundo do mar de Yonaguni é o túmulo de uma próspera civilização possivelmente mais antiga que Suméria, Egito, Índia ou China.

Ao longo de mais de uma década de explorações, mergulhadores já haviam localizado nada menos do que oito grandes estruturas feitas pelo homem, incluindo um enorme platô com mais de 200m de comprimento, uma pirâmide no mesmo estilo das aztecas e maias (constituídas de 5 andares e alinhadas de acordo com pontos cardeais), bem como um conjunto completo de zigurates, demarcando áreas e regiões específicas no platô.



Assim como são “coincidências” o fato das pirâmides do Egito estarem alinhadas com a constelação de Orion (Osíris), as pirâmides encontradas na China alinharem perfeitamente com a constelação de Gêmeos, os Templos astecas de Tecnochtitlan estarem alinhados com a constelação de Urso, Angkor Wat (aqueles templos que a Lara Croft explora no Cambodja) estarem alinhados com a constelação do Dragão e assim por diante…

A formação retangular de pedras abaixo do mar na costa do Japão poderia ser a primeira evidência de uma desconhecida civilização anterior a Idade da Pedra, dizem os arqueólogos. O monumento tem 600 pés de largura e 90 pés de altura e foi datado com pelo menos 11.000 a.C.


Equipe do dr. Masaaki Kimura, da Universidade de Ryûkyû, exploram o sítio arqueológico submarino. Escadarias, rampas, terraços, entalhes na rocha e outros indícios da "mão humana", como ferramentas. Yonaguni pode ser o mais antigo conjunto arquitetônico da história.


Em 1997, dr. Masaaki Kimura, professor da Universidade de Ryûkyû, PHD em geologia marinha, publicou A Continent Lost In The Pacific Ocean, onde defende a teoria da civilização submersa; no mesmo ano, uma equipe da universidade empreendeu estudos no sítio arqueológico.

Kimura disse que era muito cedo para saber quem construiu o monumento ou seu propósito. " A estrutura poderia ser um santuário religioso antigo, possivelmente, celebrando uma divindade antiga que se assemelha ao deus Nirai-Kanaique os locais dizem que trazia a felicidade às pessoas de Okinawa no além mar. Esta poderia ser a evidência de uma nova cultura, mas lá não existe nenhum registro de pessoas suficientemente inteligentes para ter construído tal monumento a pelo menos 11.000 anos atrás."


Talvez as discussões parassem por aí se não fosse por um terremoto que ocorreu em 1998 e que revelou o surgimento de novas edificações, desta vez, na forma de zigurats, parecidos com os da Mesopotâmia e que podem ser a construção mais antiga já feita. Em vários monumentos, foram encontrados vários desenhos e escritas, além de algumas ferramentas e até uma escadaria. 

Estes seriam, então, os edifícios mais antigos do mundo. Foram encontradas marcas nas pedras que evidenciam o trabalho feito nelas, inclusive entalhes. A hipótese de formação natural em Yonaguni tornou-se, então, pouco plausível.


E mais surpresas estavam por vir. Não muito longe do local, outras ruínas vieram ao conhecimento, sendo uma delas, uma caverna rodeada de grandes pilares e uma estátua de cabeça humana um tanto gasta pela erosão das águas, submersa a cerca de 18 metros abaixo da superfície. Essa obra megalítica, segundo os arqueólogos, é muito parecida com os Moais da Ilha de Páscoa, na costa do Chile, também no Oceano Pacífico.


Há 11 mil anos, as ruínas eram terras emersas, ligadas ao continente. A elevação do nível dos mares ao longo de eras fez submergir territórios como os da costa de Yonaguni. Há especulações sobre a "identidade" da civilização sepultada naquelas águas. 

Muitos falam em Atlântida mas, se parte de uma "civilização perdida" repousa no leito daquele mar então o mais certo é que seja a Lemúria, ainda mais antiga, chamada pelos esotéricos de civilização da Terceira Raça.

Em meados do ano 2000, Masaaki Kimura fundou e passou a liderar uma equipe de pesquisas, financiada pela Universidade de Ryukyus, com o objetivo de coletar informações e expandir a compreensão acerca dessas maravilhosas ruínas.


Construções mais antigas do planeta

Considerando que após re-datarem a idade da Esfinge de Gizé para cerca de 12 mil anos de idade (muito mais antiga do que assegura a arqueologia ortodoxa), calcula-se então que esse conjunto de construções no mar japonês tenha sido construído na mesma era em que sugiram as colossais pirâmides do Egito.


Para completar ainda mais a surpresa dos pesquisadores, outra descoberta: uma parede onde estão gravadas inscrições em estranhos caracteres, chamada Okinawan Rosseta Stone. Esses hieróglifos confirmam que o achado tem tudo pra ser obra de seres humanos, de uma civilização altamente evoluída que habitou o local há vários milhares de anos.

As pesquisas prosseguem através do Masaaki Kimura e sua equipe da Universidade de Ryûkyû. Os cientistas confirmam que essa formação retangular de pedras que foi encontrada submersa na costa do Japão é a evidência de que pode ter existido uma desconhecida e fantástica civilização, anterior a Idade da Pedra.



Diante das mais gritantes e incontestáveis evidências, nos dias de hoje muitos cientistas, arqueólogos e pesquisadores estão plenamente convencidos que em tempos muito remotos grandes e evoluídas civilizações, tais como a Atlântida e a Lemúria, ocuparam a face da Terra.


Buscar a verdade acima de qualquer coisa deveria ser a meta do ser humano mas parece que há uma onda envolvente de ceticismo que embaça até mesmo as mentes mais brilhantes na tentativa de descobrir o que a história pode estar escondendo.

Jim Mower, um arqueólogo da Universidade de Londres, disse: " Se for confirmado que o local é tão velho quanto 10.000 anos e é artificial, então isto vai mudar terrivelmente o que pensamos sobre a história do sudeste da Ásia."


DOC: As Misteriosas Pirâmides Submersas do Japão [Falado PT]


6 comentários:

  1. a história real vai chegar em breve. e começa aqui no Brasil..... 2014.0002

    ResponderExcluir
  2. Nossa incrível!!! e muito misterioso, quem será que construiu tudo isso? devia ser uma civilização muito a frente do seu tempo, com uma inteligência superior.

    ResponderExcluir
  3. Com certeza não foi coisa de humanos,não existia recursos na época em que foram construidas e outra existem construções misteriosas espalhadas por todo o globo logo não existia tanta inteligência espalhada assim por todos os canto da terra.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opinião: também não há registros de como surgiu o homosampiens que é muito diferente do homenidreo, os únicos registros são os de livros sagrados, como os textos Sumérios, budistas, hindus, egípcios e evangelhos ou bíblia... mas considerando o que dizem os cientistas me parece ridículo, pois já foram descobertas construções submersas no mar e encobertas por montanhas que teriam mais de 32 mil anos. Então se considerarmos que o homem civilizado surgiu há 10 mil anos atrás, como se explica do nada já terem conhecimento matemático e astronômico?

      Excluir
  4. Com certeza não foi coisa de humanos,não existia recursos na época em que foram construidas e outra existem construções misteriosas espalhadas por todo o globo logo não existia tanta inteligência espalhada assim por todos os canto da terra.

    ResponderExcluir
  5. Com estudos baseados em mitologias, livros sagrados e evidências, tudo me fez chegar aos escritos Sumérios, um achado arqueológico pouco falado, mas com uma enorme riqueza detalhando a história de nossa criação. Fala sobre a criação do homem a partir de manipulação genética do homenidreo com os seres anunakis do plane Nibiru, que também é conhecido em todas as civilizações do mundo. Na Ásia, dragão vermelho, no oriente, Hercólobus, Marduk,memesis ou estrela da morte...
    Vamos fazer contato entre nós e discutir o assunto, deixo a disposição meu contato:
    Biagio Chiappetta, 81999914731

    ResponderExcluir