sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

A MENSAGEM DA AGUA




A Água é o fundamento da vida. É o elemento mais similar ao dissolvente universal procurado pelos alquimistas. Todos os processos bioquímicos se verificam na água e nunca sem a água. E se nem a Biologia, nem a Química podem precisar com certeza o que é a vida, podem isso sim afirmar inequivocamente que a vida, no nosso presente esquema evolutivo, não pode desenvolver-se sem água.

Mas o que está abalando os alicerces da ciência materialista, renovando um paradigma já caduco, são as demonstrações desta propriedade tão peculiar da água que é a sua memória.

A água tem uma mensagem muito importante para nós. A água está nos dizendo para olharmos muito mais profundamente os nossos egos. Quando nós olhamos nossos egos através do espelho da água, a mensagem torna-se surpreendente, límpida, inteligível. Nós sabemos que a vida humana está conectada diretamente à qualidade de nossa água, dentro e em torno de nós.

Alguns cientistas, como já antes filósofos e poetas, assim como anteriormente ainda os Iniciados das antigas civilizações, afirmam que a Água não é só o agente da vida mas também um Ser Vivo.

Devemos recordar que, para a antiga Alquimia, não somente a água, mas também os Elementos estão “vivos”,  como a estrela ou como o mineral que palpita nas entranhas da terra. Mas ser vivo, estar vivo é, para a filosofia antiga, ser um receptáculo da Vida Una. Platão falava da vida na rosa e não da vida da rosa. Do mesmo modo que os antigos místicos tibetanos afirmavam a unidade do Eu com o Eu Universal e Eterno, o Eu Único, podemos expressar a identidade e unidade da Vida Universal, que se expressa em invólucros infinitamente grandes ou infinitamente pequenos. A Vida Una palpita no universo e no átomo, serpenteia através das formas infinitas, deixando atrás de si uma estrela de luz. Não existe a morte para esta Vida Una, chamamos morte à mudança que assume nas suas formas.




Conhecedores desta vida presente na Água, conhecedores também de que a pior de todas as contaminações que sofremos - depois da contaminação moral e psicológica, a contaminação dos nossos princípios - é a contaminação das nossas águas, há muitas investigações sobre a natureza deste divino princípio e elemento que é a água. Muitas investigações que procuram como purificar a água, como devolver a vida a uma água que morre, inclusivamente como tratar a água para fazer dela um elixir de vida. Ah!, se tivéssemos a visão penetrante e entusiasta do mago e do poeta, quem sabe, pudéssemos ver na Água o espelho onde se reflecte não só a vida mas também a Alma. Esta era, pelo menos, a visão dos magos e filósofos zoroastrianos e o seu decidido empenho era que tanto as águas como o fogo se mantivessem sempre puros.



Em definitivo, a água é o meio em que vivem todos os organismos porque a matéria viva (tal como a considera agora a ciência) é um colóide que precisa de água para conservar as suas propriedades.

Se tal é a sua importância, porque é que não valorizamos mais a pureza das nossas águas? Porque é que não ajustamos a atividade humana ao ritmo do planeta em vez de o depauperar e o contaminar, seguindo os impulsos da nossa loucura?


Masaru Emoto demonstrou, segundo expressa o mesmo, que “a água não só armazena informação mas também sentimentos e consciência.

Masaru Emoto

Masaru Emoto, pesquisador japonês, diz ter provado que pensamentos e sentimentos afetam a realidade física. A maior de suas descobertas é a influência do pensamento e das palavras na transformação das moléculas da água.

Segundo ele e os seus seguidores, a energia humana vibracional, os pensamentos, as palavras, as idéias e a música afetam a estrutura molecular da água.


 Cristal de água - amor

Com o trabalho de Emoto, temos evidências factuais de que a energia humana vibracional, os pensamentos, as palavras, as idéias e a música afetam a estrutura molecular da água, a mesma água que compõe 70% do corpo humano maturo e cobre a mesma porcentagem do nosso planeta. 

A água é a fonte de toda a vida neste planeta e sua qualidade e integridade são vitalmente importantes para todas as formas de vida. O corpo é semelhante a uma esponja e é composto de trilhões de células que contém líquidos. A qualidade de nossa vida está diretamente ligada à qualidade da nossa água.


A água é uma substância muito maleável. Sua forma física se adapta facilmente a qualquer ambiente. Mas sua aparência física não é a única coisa que muda: sua forma molecular também se altera. A energia ou as vibrações do meio ambiente mudarão a forma molecular da água. Neste sentido, não somente a água tem a capacidade de refletir visualmente o meio ambiente, mas ela reflete este meio ambiente também a nível molecular.

O Sr. Emoto documentou visualmente estas mudanças moleculares na água por meio de suas técnicas fotográficas. Ele congelou gotas de água e examinou-as então sob um microscópio de campo escuro dotado de recursos fotográficos. Seu trabalho demonstra claramente a diversidade da estrutura molecular da água e do efeito do ambiente sobre a sua respectiva estrutura molecular.

Suas experiências com cristais de águas congeladas puderam comprovar o poder que a água tem de imprimir e carregar mensagens, sejam elas harmoniosas ou não.
Utilizando microscópios de alta resolução com aumento de 200 vezes, ele pôde constatar, através de pesquisas e gráficos controlados, que águas de diferentes locais apresentavam cristais diferentes. 


                              Cristal de água - "paz"

Segundo ele, alguns são semelhantes entre si e outros deformados. A pesquisa feita com água mineral direto da fonte demonstrou lindas fotos de cristais hexagonais bem formados.  As fotos da água de torneira, entretanto, não formaram qualquer tipo de cristal, devido a todos os processos a que ela é submetida e à adição do cloro.

A neve tem caído na Terra por milhões de anos. Cada floco de neve tem sua forma e estrutura únicas. Congelando a água e fotografando a estrutura como Emoto tem feito, consegue-se informações incríveis a respeito da água.




Emoto descobriu muitas diferenças fascinantes nas estruturas cristalinas da água de muitos locais diferentes e com condições diferentes, ao redor do planeta. Águas de nascentes e fontes nas montanhas mostram os lindos desenhos geométricos em seus padrões cristalinos. Água poluída e tóxica de áreas industriais e muito populosas, assim como água estagnada de caixas d’água e represas mostram estruturas cristalinas definitivamente distorcidas e formadas sem ordem.

Dando prosseguimento as suas pesquisas, ele utilizou palavras e frases como “obrigado” e “idiota”, escritas em pedaços de papel e amarradas em torno de garrafas de água. Mais uma vez, novas constatações foram reveladas: a água exposta à palavra “obrigado”  formou belos cristais, e à exposta à palavra “idiota” , cristais deformados.



Sua constatação foi a de que a água exposta a expressões positivas mostravam cristais bem formados e bonitos, e a exposta a expressões negativas, cristais  fragmentados ou deformados. Pôde, a partir disso, observar como as palavras influenciam tudo ao nosso redor: palavras positivas constroem, ao passo que as negativas destroem. Sua maior descoberta foi, entretanto, entender o papel da água não só na vida e na manutenção do planeta, mas também na manutenção da saúde do ser que habita esse planeta. Assim ele afirma:


            Cristal de água - "benção monge zen Budista"
“As palavras são uma expressão da alma, e as condições da alma, provavelmente, tem muito impacto sobre a água que compõe até 70% do nosso corpo.”
Os povos antigos do Japão acreditavam que as palavras da alma tinham a força e o poder de mudar o mundo e que deveriam ser cautelosos na hora de se exprimirem. Em vista disso, Dr. Emoto afirma que os cristais de água oferecem a possibilidade de vermos concretamente o efeito das palavras em nossas vidas. Por isso devemos refletir sobre a responsabilidade individual de cada um de nós quanto à qualidade de vida não só pessoal, mas também global.



Amostra de água de uma nascente

A ciência ainda desconhece qual é a origem da água. A teoria atual é que provém dos meteoritos, que a aprisionavam no seu núcleo e que era libertada em forma de vapor ao golpear a Terra nascente. Mas talvez esta seja só parte da verdade. Não devemos esquecer a gigantesca borbulha de água expandida do seio de uma estrela ou o vapor de água, ligando, como se fosse um cordão umbilical, uma estrela mãe e o seu planeta, imagens  que nos desvelou o telescópio Hubble. E tão-pouco devemos esquecer as tradições secretas tibetanas - recompiladas pela genial H. P. Blavatsky - para quem a água da Terra provém da Lua. Assim se expressam nos seus textos: “A Água Mãe, o Grande Mar, chorou. Ela levantou-se, desapareceu na Lua, que a tinha levantado, que a tinha feito nascer”.

Nem deixar passar inadvertidamente o relatório da NASA, em Maio de 1997, a respeito de uns corpos celestes, semelhantes a bolas de neve, voando em grandes quantidade desde o espaço até à estratosfera da Terra: Acredita-se que esta bola de neve é um corpo celeste similar a um pequeno cometa com um diâmetro de aproximadamente 12 metros. Uns quantos milhares deles chegam a voar diariamente mas, à medida que se aproximam da superfície da Terra descompõem-se e convertem-se em parte das nuvens”.

A memória está bastante provada na eficácia das mesmas Flores de Bach ou na Homeopatia, dissoluções na água que não têm uma só molécula de substância original diluída e que mantêm as suas propriedades terapêuticas.

É admirável a beleza dos cristais que forma a água da fonte ou a das águas fluentes dos rios descontaminados. Mas a água das grandes cidades já não forma cristais.



E não somente memória, mas também uma extrema sensibilidade a todas as vibrações e influências que recebe no seu fértil seio: veias metálicas, cores, a atividade dos micro-organismos (bactérias, vírus, fungos...), radiações de todo o tipo, plantas, a aura das flores e inclusivamente a luz e o som, as emoções e pensamentos! Esta é a assombrosa descoberta de Masaru Emoto nas dezenas de milhares de fotografias efetuadas sobre a água no preciso momento em que se converte em gelo. Como na neve, a formação do gelo é em cristais com padrão hexagonal mas em variedades infinitas. Tal como demonstra nas suas fotografias, não há dois cristais iguais e todos eles guardam uma analogia anímica com aquelas vibrações sonoras, emotivas, mentais e outras que se projetaram na mesma.

Assombroso é também, como nos recorda Masaru Emoto, que o ideograma chinês que descreve a água segue o perfil hexagonal dos seus cristais. Deveríamos deter a atenção nos ensinamentos de H. P. Blavastky na sua imortal Doutrina Secreta: “Porque o som e o ritmo estão estreitamente relacionados com os quatro Elementos dos antigos e, porque, como a vibração no ar, é seguro que desperta os poderes correspondentes e a união com os mesmos produz resultados bons ou maus, segundo o caso. Nunca se permitiu a nenhum estudante recitar narrações de feitos históricos, religiosos nem reais, com palavras que claramente os determinassem, para evitar que os Poderes relacionados com tais sucessos pudessem ser atraídos novamente. Tais acontecimentos narravam-se somente durante a Iniciação e todos os estudantes tinham que o registar nos símbolos correspondentes, tirados da sua própria mente e examinados depois pelo seu Mestre, antes de serem definitivamente aceites. Assim, paulatinamente, foi criado o Alfabeto Chinês, do mesmo modo que, pouco antes deste, tinham sido determinados os símbolos hieráticos no antigo Egito”.

Masaru Emoto, com uma câmara de refrigeração e um microscópio eletrônico de campo escuro demonstrou, segundo expressa o mesmo, que “a água não só armazena informação mas também sentimentos e consciência” e que “toda a informação que alberga a estrutura se torna visível quando se fotografa uma só gota de água no estado de gelo”.

Cristal de água - "Obrigado"

Se as águas são puras ou não, determina se a água cristaliza em belas estruturas ou que simplesmente não chegue a formar os ditos cristais. Assim, podemos falar de uma água viva, estruturada, com a capacidade de guardar na geometria dos seus cristais as mais harmônicas criações e uma água “morta”, desvitalizada, sem informação e caótica nas suas estruturas. A água “morta” é uma água contaminada, exposta a todo o tipo de substâncias nocivas ou exposta a estímulos negativos (pensamentos, emoções) que perturbam a sua ordem interna, quebram a sua estrutura cristalina e distorcem a sua imagem, uma imagem que, quando pura é a imagem da mesma deusa da beleza e da fecundidade.

O terrível é que podemos estar “filtrando” a água de impurezas, sais e micro-organismos mas não destas “recordações de pesadelos” que esgotaram a sua vida. Podemos tratar com cloro, flúor e outras substâncias a água mas estes produtos químicos talvez estejam perturbando e aniquilando a sua harmonia vital.


É admirável a beleza dos cristais que forma a água da fonte ou a das águas fluentes dos rios descontaminados. Mas a água das grandes cidades já não forma cristais. Mais terrível é ainda deter o percurso da água até ao mar, o seu destino místico, para ser usada e logo outra vez tornada potável, sendo novamente usada e outra vez injetada com substâncias químicas... e assim sucessivamente, sem perceber que isto é a morte do que a água verdadeiramente é, e que só se conserva assim o cadáver do que antes esteve vivo, as suas moléculas de H2O.


Sinfonia 40 em sol menor - Mozart.

Mais surpreendente é comparar os belos cristais da água vivificados pelas vibrações de uma sinfonia de Mozart ou a perfeita geometria das “Variações Goldberg” de Bach, os “diamantes” que forma a “Canção de Despedida” de Chopin ou a estrutura tridimensional - quase em forma de Mandala - de um sutra do Tibete, com a descomposição que produz na água, por exemplo, a música heavy.

Masaru Emoto escreveu palavras (sem nenhum tipo de carga explicita , pois os textos estão em etiquetas escritas por um processador de texto) e a água reage ante a natureza das palavras escritas. Em qualquer idioma, as palavras que geram os mais belos cristais são “Obrigado” e “Amor”.

Segundo Masaru Emoto, a água também reage e assume o perfil ou a forma cultural do nome ao que esteve exposta (nome próprio ou palavra com significado) ou ante as substâncias que levava em dissolução.

O cristal da água com o nome da deusa Amaterasu, a deusa Sol, perfila com traços mestres o espelho mágico, que é o principal atributo desta deusa da alegria e da arte.

O nome do deus da Guerra - diz Masaru Emoto - da atividade e da força espiritual parece evocar nos cristais da água o seu dinamismo, pureza e a forma da sua espada mágica.

A foto da água de camomila parece desenhar nos seus cristais a forma da flor e também os cristais de erva-doce recordam a mesma erva-doce. Ainda que neste assunto não devamos esquecer que a imaginação humana é muito poderosa e que também é muito fácil confundi-la às sombras da fantasia!


Modificar a nossa atitude e comportamento ante a Água pode modificar a nossa atitude ante a vida. Ainda que talvez seja mais certo o contrário: modificar a nossa atitude ante a vida, tornando-a mais digna, nos impeça de continuar a contaminar a água, que é, segundo os místicos de sempre, o fértil espelho da Natureza onde Deus se olha!

Que a reflexão levantada por Dr. Masaru Emoto em suas pesquisas possa fazer parte da vida de todos nós, hoje e sempre:


 “Se você encher seu coração de amor e gratidão, se verá cercado de tantas coisas que ama e pelas quais se sente grato que poderá até chegar mais perto da vida saudável e da felicidade que busca. Mas o que vai acontecer se você emitir sinais de ódio, insatisfação e tristeza? Você provavelmente se verá numa situação que o tornará odioso, insatisfeito e triste. Cabe a você decidir qual a vida e em qual mundo você quer viver.” 



3 comentários:

  1. Maravilhosa Postagem, meninas! Saudações!!!
    Já conhecia o trabalho de Masaru Emoto. É simplesmente MARAVILHOSO!
    Palavras e pensamentos tem poder! São emissões e vibrações poderosíssimas!
    E, através dessas emissões e vibrações podemos MUDAR estruturas e frequências!
    Para muitos, isso é Revelador e transformador!
    Grata pela Partilha!!!
    Abraços!!!

    Cecy.

    ResponderExcluir