domingo, 26 de janeiro de 2014

LUZES DO MUNDO - PAULO COELHO


PAULO COELHO - O MAGO DA ALMA



Paulo Coelho nasceu no Rio de Janeiro (RJ), em 24 de agosto de 1947. Filho do engenheiro Pedro Paulo Coelho, e de Lígia Coelho, dona de casa de fortes crenças católicas. Aos sete anos ingressou no colégio jesuíta de Santo Inácio, no Rio de Janeiro, experiência que despertou nele um ódio pela prática religiosa dogmática e obrigatória. Embora não suportasse rezar nem ir à missa, foi nos corredores do colégio que descobriu a sua vocação de escritor. Ganha o seu primeiro prêmio literário num concurso de poesia da escola. 


Os pais de Paulo, esperando que ele venha a ser engenheiro, desencorajam a sua dedicação à leitura. Paulo começa a desafiar as normas estabelecidas pela família. O seu pai interpreta o comportamento como um sintoma de doença mental e, quando Paulo tem apenas dezassete anos, interna-o duas vezes num hospital psiquiátrico, onde o submetem a terapia de eletrochoque. 




Passado este período difícil, Paulo começa a estudar Direito, mas pouco tempo depois abandona os estudos para dedicar-se ao teatro e ao jornalismo. Sua trajetória como autor inclui trabalhos em jornais, roteiros para curta-metragens, direção cênica e composição de canções. 

Vive-se a década de sessenta, e o mundo inteiro assiste à explosão da revolução hippie. No Brasil, apesar da repressão da ditadura militar, fazem-se sentir as novas tendências. Paulo usa o cabelo comprido e anda sem identificação, numa atitude de desafio à autoridade. Experimenta drogas durante algum tempo, querendo viver a experiência hippie com a maior intensidade possível. A sua paixão pela escrita leva-o a fundar uma revista literária da qual são publicados apenas dois exemplares. 



Seu fascínio pela busca espiritual, que data da época em que, como hippie, viajava pelo mundo, resultou numa série de experiências em sociedades secretas, religiões orientais, etc.

Antes de dedicar-se inteiramente à literatura, trabalhou com diretor e autor de teatro, jornalista e compositor. Escreveu letras de música para alguns dos nomes mais famosos da musica brasileira, como Elis Regina e Rita Lee.

Nesta altura, conhece Raul Seixas e começa a escrever as letras das suas canções. Começa uma parceria que durou vários anos e rendeu canções conhecidas: “Gita”, “Eu Nasci há Dez Mil Anos Atrás”, e “Al Capone”, entre outras 60 composições com o grande mito do rock no Brasil.

O segundo disco da dupla alcança um sucesso espantoso, chegando a vender mais de 500 000 cópias; é a primeira vez que Paulo ganha muito dinheiro com o trabalho artístico. Até 1976 cria mais de sessenta músicas com Raul - juntos revolucionam o panorama do rock brasileiro. 

Em 1973, a dupla ingressa na Sociedade Alternativa, uma organização que se opõe à ideologia capitalista, defende a liberdade a todos os níveis e está associada à prática da magia negra. Paulo Coelho falará mais tarde destas experiências em As Valquírias. 




Neste período, o regime ditatorial considera-a uma ameaça e os dois são presos. Raul é libertado pouco tempo depois, mas Paulo fica encarcerado durante mais tempo por ser considerado o ''cabeça'' do grupo. 

Ele é torturado durante dias. O que o salvou de ser assassinado, diz, foi o fato de ter alegado estar louco, usando, para o confirmar, o seu internamento em hospitais psiquiátricos. Esta experiência marca-o profundamente. Decide, então, aos vinte e seis anos, ser ''normal''. Consegue um emprego na editora discográfica Polygram, onde conhece a primeira mulher com a qual se casaria.

Foi diretor da companhia discográfica CBS e do jornal Express Underground, professor de teatro e secretário de redação do jornal O Globo. Fundou a Revista 2001.
Atualmente, tem uma coluna semanal em O Globo, e em outros 48 jornais brasileiros. Escreve também para jornais do México, Argentina, Chile, Bolívia, Polônia, Itália, Espanha, Venezuela, Grécia, Taiwan, România, Alemanha e mais dez países.




O escritor e o seu espiritualismo 

Em 1977 muda-se com a sua mulher para Londres, onde começa a dedicar-se à escrita, sem muito sucesso. No ano seguinte regressa ao Brasil, onde trabalha como executivo para outra editora discográfica, a CBS. Após três meses, deixa o emprego e separa-se da mulher. 

Em 1979 reencontra a artista Christina Oiticica, uma velha amiga, com quem virá mais tarde a casar e com quem permanece até hoje. O casal viaja pela Europa. Visitam o campo de concentração de Dachau, na Alemanha, onde Paulo tem uma visão em que lhe aparece a figura de um homem. Dois meses mais tarde encontra esse homem num café em Amsterdã. O homem, cuja identidade Paulo nunca quis revelar, partilha com ele experiências e vivências e sugere-lhe um reencontro com o Catolicismo. 



Em 1982, editou ele próprio seu primeiro livro, Arquivos do Inferno, que não teve qualquer repercussão. Em 1985, participou do livro O Manual Prático do Vampirismo, que mais tarde mandou recolher por considerá-lo “de má qualidade”.

Paulo começa a estudar a linguagem simbólica do Cristianismo. O homem desafia-o também a fazer a peregrinação a Santiago de Compostela. Em 1987, um ano depois de fazer o Caminho de Santiago, Paulo Coelho escreve o seu segundo livro, O Diário de um Mago. 

O Diário de Um Mago narra a sua experiência espiritual da peregrinação e revela a presença da magia e do extraordinário na vida das pessoas comuns. É publicado por uma pequena editora brasileira e, embora não tenha muita repercussão junto da crítica, alcança algum sucesso de vendas. 

Seu estilo simples imbuído de uma inspiração mística e ânimo espiritual, resultado de uma série de experiências em sociedades secretas e religiões orientais da sua fase hippie, conquistou multidões e o tornou um dos maiores best-sellers do mundo. 



Em 1988 escreve O Alquimista, resultado da sua dedicação de mais de uma década ao estudo da Alquimia. Conta a história de Santiago, um pastor andaluz que deixa tudo para seguir uma visão. A sua primeira edição vende apenas 900 exemplares e a editora decide não reeditar o livro. Paulo procura, então, uma editora maior, a Rocco, que se interessa pela sua obra e publica, em 1990, o seu romance seguinte: Brida, uma história sobre a conquista dos dons que todos possuímos, centrada na personagem de uma jovem que se inicia no mundo da magia. Com a publicação deste livro, que finalmente atrai a atenção da imprensa, O Alquimista e O Diário de um Mago chegam ao topo das listas de best-sellers. 

O Alquimista é o livro mais vendido da história do Brasil, entrando para o livro dos recordes do Guiness. 

O êxito de O Alquimista nos Estados Unidos, onde foi lançado em 1993 com uma tiragem inicial de 50 000, a maior já feita de um livro brasileiro no país, marca o início da carreira internacional de Paulo Coelho. O livro é um dos mais importantes fenômenos literários do século XX. 

Chegou ao primeiro lugar da lista dos mais vendidos em 18 países, e já vendeu mais de 11 milhões de exemplares. Foi fonte de inspiração de vários projetos - como um musical no Japão, peças de teatro na França, Bélgica, USA, Turquia, Itália, Suíça, foi tema de duas sinfonias (Itália e USA).
O Alquimista é um dos mais importantes fenômenos literários do século XX.  Tem sido elogiado por pessoas tão diferentes como o Prêmio Nobel de Literatura Kenzaburo Oe, o prêmio Nobel da Paz Shimon Peres, a cantora Madonna e Julia Roberts, que o consideram seu livro favorito. 

A edição ilustrada pelo famoso desenhista Moebius (autor, entre outros, dos cenários de O Quinto Elemento e Alien) já foi publicada em vários países. 

Uma comunidade norueguesa, Arendal, deu o livro O Alquimista a todos os funcionários públicos, como maneira de estimular um novo tipo de pensamento. Vários cursos de MBA, como The Graduate School of Business of the University of Chicago, recomenda o livro no seu currículo de leitura. 

Também foi adotado em escolas de mais de 30 países, como França, Itália, Portugal, Brasil, Taiwan, Estados Unidos, Espanha, Argentina, México, Polônia, Suíça, Gréssia, Rússia, entre outros. Agora, irá virar filme pela Warner Brothers, com direção de Laurence Fishburne, o Morfeu de Matrix.

Os direitos de filmagem de O Alquimista foram adquiridos pela Warner Brothers, que está desenvolvendo o roteiro do filme Onze Minutos pela Hollywood Gang Production e Verônika Decide Morrer pela Muse Productions (VS); e Monte Cinco pela Capistrano Productions.

Paulo Coelho pertence ao Board do Instituto Shimon Peres para a Paz, é Conselheiro Especial da UNESCO para “Diálogos Interculturais e convergências espirituais” e membro da diretoria da Schwab Foundation for Social Entrepreneurship, que distribuiu anualmente um prêmio de U$1 milhão para empreendedores sociais.




Os outros sucessos 

Em 1994, Na Margem do Rio Piedra Eu Sentei e Chorei, uma história de amor em que Paulo Coelho explora o seu lado feminino, é publicado no Brasil. A história sobre a força espiritual do amor e da redenção consolida a carreira internacional do autor. Os livros de Paulo Coelho começam a ultrapassar o domínio literário para se transformarem num fenômeno de influência na Europa que se expande posteriormente por todo o mundo. 

Em 1996, Paulo recebe dois prestigiados prêmios na Itália: o Super Grinzane Cavour e o Flaiano Internacional. No mesmo ano, a Editoria Objetiva adquire os direitos de edição de O Monte Cinco, um romance baseado na vida do profeta Elias que coloca, num contexto bíblico, as questões existenciais sobre a dificuldade de enfrentar a vida e aceitar desafios que atormentam o homem moderno. Paulo Coelho recebe por esta obra um milhão de dólares como adiantamento sobre os direitos autorais - nunca nenhum escritor brasileiro recebeu uma quantia semelhante. 

Ainda em 1996, funda o Instituto Paulo Coelho, destinado a prestar auxílio aos mais carentes, especialmente crianças e idosos. 



Em 1997 é publicado o Manual do Guerreiro da Luz, uma coleção de pensamentos destinados a ajudar a descobrir o guerreiro da luz existente em cada um. 

Veronika Decide Morrer, um romance com um estilo mais narrativo que os anteriores, é publicado no Brasil em 1998. Conta a história de uma jovem moderna comum, com uma vida aparentemente feliz e equilibrada, que toma a decisão paradoxal e impossível de morrer - e descobre, no caminho da morte, o esplendor da vida.

Paulo Coelho conseguiu ter três títulos ao mesmo tempo nas listas de mais vendidos na França, Brasil, Polônia, Suíça, Áustria, Argentina, Grécia, Croácia. 





Em 1998, Paulo realiza uma turnê literária pelo mundo com grande sucesso. Visita a Ásia e o Leste Europeu, numa viagem que começa em Istambul, no Expresso do Oriente, passa por Sofia e termina em Riga. Nesse mesmo ano, a revista francesa Lire anuncia que Paulo Coelho foi o segundo autor mais vendido em todo o mundo em 1998. 

Autor de um trabalho polêmico, tem críticos apaixonados – a favor em contra. O escritor italiano Umberto Eco elogiou Veronika Decide Morrer na revista alemã Focus. Sua obra foi traduzida em 69 línguas e editada em mais de 150 países. 

Fez também a adaptação de O Dom Supremo (Henry Drummond) e Cartas de Amor de um Profeta (Khalil Gibran).


Em maio de 200, um fato notável em sua vida foi o de ter sido o primeiro escritor não muçulmano que visitou o Irã desde a revolução islâmica de 1979. É convidado pelo programa Centro Internacional para o Diálogo entre Civilizações. Antes da sua visita, calcula-se que tenham sido vendidos milhões de exemplares dos seus livros, em edições clandestinas (o Irã nunca assinou o acordo internacional de copyright). 

Em Setembro de 2000 é publicado O Demônio e a Senhorita Prym, uma narrativa dramática sobre a felicidade e o livre arbítrio. Ao longo das suas páginas o leitor assiste à luta entre o sofrimento e a esperança, um combate de sete dias entre os anjos e os demônios da natureza humana.

O escritor continua suas viagens pelo mundo, passando por China, Colômbia, México, Londres, entre outras cidades.

Em 2001, publica Histórias para pais, filhos e netos, uma coletânea de 231 textos com histórias que vão de releituras de lendas e fábulas tradicionais de diversas culturas a relatos da experiência pessoal do autor, passando por episódios da vida de nomes célebres, que Paulo Coelho converteu em reflexões. 


A 25 de Julho de 2002, Paulo Coelho é eleito para ocupar a cadeira número 21 da prestigiada Academia Brasileira de Letras (ABL), sob aplausos de uns e críticas de outros. Causando certa polêmica entre alguns literatos e críticos, pois, da instituição, ficaram de fora autores consagrados como Carlos Drummond de Andrade e Vinícius de Moraes.

No discurso durante a cerimônia de posse, o autor citou a frase do seu antecessor na Academia, o economista Roberto Campos: ''A violência da flecha dignifica o alvo''. E explicou: ''Muitas vezes, em momentos em que me sentia julgado com severidade excessiva pela crítica, lembrava-me desta frase. E lembrava-me do sonho do qual não estava disposto a desistir: entrar, um dia, para a Academia Brasileira de Letras.''

No ano seguinte, lança Onze Minutos. De acordo com a revista americana ''Publishing Trends'', o livro fez de Paulo Coelho o autor mais vendido do mundo em 2003, apesar da obra ainda ter sido lançada nos Estados Unidos, Japão e mais dez países (o que ocorreu apenas em 2004). Também na lista de ''Publishing Trends'', O Alquimista se encontra em sexto lugar de vendas mundiais em 2003. Onze Minutos atingiu o primeiro lugar em todos os países onde foi lançado, exceto Inglaterra, onde ficou em segundo.


Em 2004, o escritor reuniu-se com Mauricio de Souza para contar 24 histórias através dos personagens do cartunista. A parceria deu origem a O Gênio e as Rosas.
Escreveu ainda:O Zahir (2005), Ser como um rio que flui (2006), A Bruxa de Portobello (2007), O Vencedor está só (2008) e O Aleph (2010).

O escritor já vendeu quase 150 milhões de exemplares de seus livros, traduzidos para 56 idiomas em mais de 150 países.

Mantém o Instituto Paulo Coelho, uma instituição sem fins lucrativos, financiada exclusivamente pelos direitos autorais do escritor. A ideia central não é fazer caridade, mas dar oportunidade às camadas menos favorecidas e excluídas da sociedade brasileira. Desta maneira, o Instituto concentra sua verba em: a) Infância; b) Terceira Idade.

Neste momento, o Instituto Paulo Coelho apóia com ajuda financeira pessoas menos favorecidas de Terceira Idade, e é co-patrocinador do projeto Creche Escola Meninos da Luz, Lar Paulo de Tarso (favela Pavão-Pavãozinho, Rio de Janeiro), que cuida de 400 crianças.





"Esse mago brasileiro faz os livros desaparecerem das lojas."  (The New York Times )


SINOPSES DE ALGUMAS DE SUAS OBRAS



O Diário de um Mago

O Diário de Um Mago é o relato da peregrinação feita por Paulo Coelho em 1986 pelo Caminho de Santiago. Motivada por sua profunda ambição espiritual e pelo desejo de se tornar escritor, a travessia se transforma em algo maior do que ele imaginava. Enquanto narra sua jornada mística e as duras lições que aprendeu com o guia Petrus, Paulo entende que o extraordinário não reside em rituais e segredos mágicos, mas na simplicidade e no cotidiano das pessoas comuns.

Além de descrever as paisagens e os perigos que encontra ao percorrer 700 quilômetros entre o sul da França e a Espanha, o autor recorda a história dos cruzados e de figuras religiosas marcantes que passaram pelo lugar. Também nos mostra que, embora nem tudo esteja claro para nós, é preciso aceitar os mistérios do mundo e nunca abandonar o Bom Combate. 

As descobertas feitas no Caminho de Santiago mudaram a vida de Paulo Coelho para sempre e lhe forneceram um material valioso, que acabou se tornando seu primeiro grande sucesso editorial. Ao mesmo tempo um conto de aventura e um guia para o autoconhecimento, este livro oferece uma combinação perfeita de encantamento e reflexão.


O Alquimista

De tempos em tempos, surge um livro capaz de mudar para sempre a vida de seus leitores. O Alquimista é um deles! 
Simples, sábia e inspiradora, esta história refaz os passos de um pastor da Andaluzia que viaja para o deserto egípcio em busca de um tesouro enterrado nas Pirâmides. O que começa como uma jornada para encontrar bens materiais torna-se uma descoberta das riquezas que escondemos dentro de nós mesmos. As belas lições que Santiago aprende ao longo do caminho nos falam da sabedoria de ouvir o que diz o coração, de ler os sinais com que deparamos ao longo da vida e, acima de tudo, de seguir os nossos sonhos.


Na Margem do Rio

Em toda história de amor sempre existe algo que nos aproxima da eternidade e da essência da vida, porque as histórias de amor encerram em si mesmas todos os segredos do mundo. Pilar é uma jovem do interior da Espanha com muitos sonhos frustrados. Quando um amigo de infância volta a entrar em contato, ela se surpreende ao descobrir que seu primeiro amor se tornou um líder religioso e é reverenciado como milagreiro. 

Ao se reencontrarem, porém, ambos são unidos por um único desejo: o de tornar seus sonhos realidade. Para isso, têm que vencer muitos obstáculos interiores, como o medo da entrega, a culpa e o preconceito. Numa peregrinação espiritual através das montanhas dos Pireneus, os amantes trilham o árduo caminho do reencontro com as próprias verdades.



Verônica Decide Morrer

"Quando conseguiu quase tudo o que desejava na vida, chegou à conclusão de que a sua existência não tinha sentido, porque todos os dias eram iguais. E decidira morrer." 

Aos 24 anos, a eslovena Veronika parece ter tudo: juventude e beleza, pretendentes, uma família amorosa e um emprego gratificante. Mas num dia frio de novembro, ela toma um punhado de remédios para dormir com a intenção de nunca mais acordar. Só que ela acorda - e no Sanatório de Villete, o lugar de onde ninguém jamais havia fugido. Logo fica sabendo que só teria alguns dias de vida, e isso lhe desperta emoções até então desconhecidas. 

Inspirado em experiências próprias, Paulo Coelho escreveu Veronika decide morrer para questionar o significado da loucura e celebrar os indivíduos que não se encaixam nos padrões do que a sociedade considera "normal". Ousado e esclarecedor, este romance de redenção faz um retrato tocante daqueles que estão na fronteira entre vida e morte, sanidade e loucura, felicidade e desespero, transmitindo a mensagem poética de que cada dia é um verdadeiro milagre.


Onze Minutos

Em Onze Minutos, Paulo Coelho explora o tema do sexo e cria um conto de fadas moderno, melancólico e sensual, que narra a transformação de uma mulher em busca de si mesma. Maria, uma jovem nordestina desiludida com o amor, sai de casa à procura de aventura e paixões, e é na Suíça, como prostituta, que encontra as respostas para suas perguntas mais profundas.
Baseado em fatos reais, o romance parte da banalização do amor e do sexo para nos fazer refletir sobre a natureza humana e a liberdade de sermos nós mesmos. 

Nascida no interior do Nordeste, Maria aprendeu cedo que o amor só causa dor e sofrimento. Aos 19 anos, já tendo perdido a inocência e se tornado manipuladora e cínica, ela decide realizar o sonho de conhecer o Rio de Janeiro e parte numa aventura solitária. Depois de aceitar o convite de um empresário suíço para ser a estrela de sua boate em Genebra, ela sai do país acreditando que deixará para trás aquela vida triste e monótona. Só que as coisas não acontecem como Maria esperava e ela se depara com uma escolha que definirá o resto de sua vida: lamentar a má sorte ou seguir em frente, de cabeça erguida, vendendo o único bem que possui - seu corpo. 

Para sua surpresa, Maria se descobre fascinada pelo submundo do sexo. Com um misto de medo, curiosidade e desejo, ela se aprofunda cada vez mais na arte da sedução e passa a ver sua vida como um jogo em que ela dita as regras e sempre sai ganhando. Mas todos os seus planos e crenças sobre o amor são desafiados por uma relação intensa com um pintor misterioso, com quem aprende que o prazer físico é apenas um coadjuvante na comunhão entre duas almas.


O Zahir

Uma fascinante história sobre o significado e o poder do amor, e sobre a relação íntima entre a liberdade, a realização pessoal e a necessidade que cada um tem de alcançar seus objetivos. O protagonista de O Zahir é um autor de renome internacional, casado há 10 anos com Esther, uma jornalista bem-sucedida. Um dia Esther desaparece e as autoridades decidem interrogar o marido. Todos se perguntam se ela teria sido sequestrada, assassinada, ou se simplesmente resolvera abandonar um casamento que a deixava insatisfeita. Ele não tem as respostas, mas, pouco a pouco, começa a questionar a própria existência. Passado algum tempo, um amigo de Esther encontra o escritor e promete levá-lo até sua mulher. Os dois deixam para trás o glamour parisiense e embarcam numa viagem ao Cazaquistão. 

É nesse lugar, marcado por uma história trágica e espiritualmente poderosa, que o escritor faz descobertas surpreendentes sobre si mesmo. Mais uma vez, Paulo Coelho prova seu valor como contador de fábulas contemporâneas, mesclando histórias irresistíveis e a eterna busca por iluminação.


Aleph

"Quando tinha 22 anos, comecei a me dedicar ao aprendizado da magia. Passei por diversos caminhos, andei à beira do abismo, escorreguei e caí, desisti e voltei. Imaginava que, quando chegasse aos 59 anos, estaria perto do paraíso e da tranquilidade absoluta que penso ver nos sorrisos dos monges budistas. Mas a busca da paz tem seu preço, e me pergunto: até onde estou disposto a chegar?" - Paulo Coelho

O Aleph é um relato pessoal, franco e surpreendente. Paulo Coelho revela como uma grave crise de fé o levou a sair à procura de um caminho de renovação e crescimento espiritual. Para se reaproximar de Deus, o mago resolve começar tudo de novo: viajar, experimentar, se reconectar às pessoas e ao mundo. E assim, entre março e julho de 2006, guiado por sinais, visita três continentes - Europa, África e Ásia, lançando-se em uma jornada através do tempo e do espaço, do passado e do presente, em busca de si mesmo. 

Ao longo da viagem, Paulo vai, pouco a pouco, saindo do seu isolamento, se despindo do ego e do orgulho e se abrindo à amizade, ao amor, à fé e ao perdão, sem medo de enfrentar os desafios inerentes à vida. Da mesma maneira que o pastor Santiago em O alquimista, o escritor descobre que é preciso ir para longe a fim de compreender o que está perto. A peregrinação o faz se sentir vivo novamente, capaz de enxergar o mundo com olhos de criança e de encontrar Deus nos pequenos gestos cotidianos.


Manuscrito Encontrado em Accra

14 de julho de 1099. Enquanto Jerusalém se prepara para a invasão dos cruzados, um grego conhecido como Copta convoca uma reunião com os jovens e velhos, homens e mulheres da cidade. A multidão formada por cristãos, judeus e muçulmanos chega à praça achando que irá ouvir uma preleção sobre como se preparar para o combate, mas não é isso que o Copta tem a lhe dizer. Tudo indica que a derrota é iminente, mas o grego só quer instigar as pessoas a buscarem a sabedoria existente em sua vida cotidiana, forjada a partir dos desafios e dificuldades que têm de enfrentar. 

O verdadeiro conhecimento, acredita, está nos amores vividos, nas perdas sofridas, nos momentos de crise e de glória e na convivência diária com a inevitabilidade da morte. Na tradição de O Profeta, de Khalil Gibran, Manuscrito Encontrado em Accra, de Paulo Coelho, é um convite à reflexão sobre nossos princípios e nossa humanidade. 
"Ame. Não falo aqui apenas do amor por outra pessoa. Amar significa estar disponível para os milagres, para as vitórias e derrotas, para tudo o que acontece durante cada dia que nos foi concedido caminhar sobre a face da Terra."


Maktub

Maktub não é um livro de conselhos, mas uma troca de experiências. A maior parte dos textos se refere a ensinamentos que Paulo Coelho recebeu de seu mestre ao longo de 11 anos. Outros são relatos de amigos ou pessoas desconhecidas que de uma forma ou de outra lhe deixaram uma mensagem inesquecível. Finalmente, existem trechos de livros que ele leu e de histórias que pertencem à herança espiritual da raça humana. 

A proposta do autor é reunir um apanhado da sabedoria universal destacando um ponto comum a todas as histórias: a busca da felicidade. Embora o desejo de ser feliz seja relatado em contextos tão diversos, fica fácil concluir que, não importa o lugar ou a época, ele sempre se baseia nos mesmos pilares: amor, humildade, solidariedade e renúncia. 
Maktub oferece aos leitores uma oportunidade de refletir e se reencontrar. 

Se você está percorrendo o caminho de seus sonhos, comprometa-se com ele. Não deixe a porta de saída aberta através da desculpa: "Ainda não é bem isto que eu queria." Assuma o seu caminho. Mesmo que precise dar passos incertos, mesmo que saiba que pode fazer melhor o que está fazendo. Se você aceitar suas possibilidades no presente, com toda certeza vai se sair melhor no futuro.



Manual do Guerreiro da Luz

"O que é um guerreiro da luz?"
"Você sabe", respondeu a mulher. "É aquele capaz de entender o milagre da vida, lutar até o final por algo em que acredita e, então, escutar os sinos que o mar faz tocar em seu leito." Ele jamais se julgara um guerreiro da luz. A mulher pareceu adivinhar seu pensamento: "Todos são capazes disso. E ninguém se julga guerreiro da luz, embora todos sejam." 

A partir da história de um garoto que aprendeu a silenciar a mente para ouvir os sinos de um templo sagrado Escondido no fundo do mar, Manual do guerreiro da luz aborda temas como coragem, disciplina, fé, confiança, escolhas, responsabilidade, amizade e gratidão. 

Ideal para ser consultado quando nos sentimos despreparados para lidar com alguma situação, este livro reúne mensagens inspiradoras que nos ajudam a encontrar nossa força interior e a enfrentar com coragem e sabedoria as incertezas da vida.

Cada passagem nos convida a lutar por nossos sonhos e a cumprir nosso destino. Uma bela reflexão sobre nossa conduta, nossas motivações e as atitudes que tomamos diante daquilo que nos atormenta. Em seu estilo único e inconfundível, Paulo Coelho nos faz reconhecer o guerreiro da luz que existe dentro de cada um de nós.

Passeando pela praia, um menino encontra uma linda mulher que lhe pergunta se consegue ouvir os sinos de um templo submerso no mar. Intrigado, ele se esforça para ouvir o som, mas não consegue. Depois de meses de tentativas frustradas, quando pensava em desistir, finalmente ouve os sinos. Anos mais tarde, já adulto, ele volta à praia e reencontra a misteriosa mulher. Ela lhe entrega um caderno em branco e o incentiva a escrever sobre o guerreiro da luz.

É a partir dessa breve história que nasce um livro profundo e inspirador sobre as lutas que travamos no dia a dia, os medos que nos paralisam e as paixões que nos fazem seguir adiante.

Em pequenos textos, Paulo Coelho desperta nos leitores a força, a determinação e a sabedoria do guerreiro da luz, aquele ser capaz de manter a serenidade diante dos obstáculos, de se retirar do combate quando necessário e de se manter fiel aos seus princípios mesmo quando a batalha parece perdida. 



Brida
O livro conta a história de Brida O' Fern, uma irlandesa de 21 anos em busca da magia e dos poderes ocultos. Durante sua busca, Brida conhece um mago, Mago de Folk, que promete ensiná-la através da Tradição do Sol, que explica tudo através da natureza e de suas manifestações divinas. Mas Brida toma, na verdade, como mestra, Wicca, uma bela mulher que lhe ensina através da Tradição da Lua, a antiga Tradição das Bruxas, que explica o Universo através da Sabedoria e do Tempo. Sua evolução espiritual e sua busca pela Outra Parte (a famosa alma gêmea) estão retratadas neste livro emocionante e tão interessante quanto os outros livros do autor - segue contudo, o estilo altamente "místico" como "O Diário de um Mago" e "O Alquimista".



As Valkírias

Porque será que destruímos as coisas que mais amamos? É esta a questão que Paulo Coelho aborda nesta história de um confronto com o seu próprio passado. As Valquírias é um relato comovente de uma viagem de transformação. Paulo e a sua mulher Chris partem à descoberta do deserto Mojave e, no seu caminho, encontram "as valquírias", uma estranha tribo de guerreiras que atravessa o deserto de mota. Mais do que uma aventura moderna, trata-se da história de um homem a combater os seus próprios medos e dúvidas, bem como de uma história verdadeira de duas pessoas que se tentam compreender uma à outra face a todas as adversidades, transmitindo uma mensagem eloquente acerca da importância de perdoar o passado e acreditar no futuro.




O Monte Cinco

Assim como muitos livros de Paulo Coelho, ‘O Monte Cinco’ baseia-se em partes da bíblia sagrada. Desta vez, o livro é inspirado do trecho do livro dos Reis, no Antigo Testamento. ‘O Monte Cinco’ foi publicado em 2003, pela Editora Rocco. Ele possui 190 páginas.

Neste livro, Paulo Coelho transcreve a experiência de Elias, um profeta do século nove antes da vinda de Cristo. Segundo o livro sagrado, o profeta Elias  foi enviado por Deus para a Fenícia, hoje região conhecida por Líbano. O motivo da convocação de Elias foi porque o povo havia se afastado de Deus e estava cultuando falsos deuses. Elias com muita coragem e determinação, era conhecido por se vestir com roupas feitas de pelos de camelos e por pregar bravamente os desígnios de Deus, seu mestre.
Durante sua permanecia na Fenícia, Elias teve que combater o rei na nação, que era mau e abusava do culto aos pagãos.

Durante sua missão, Elias passa por muitas provações. Em uma das passagens, Elias ressuscita um jovem que foi morto. Ainda durante sua vida, Elias se apaixona por uma viúva, mas não chega a possuí-la, vivendo um amor platônico e respeitoso. Em meio a tantas dificuldades, ele perde o seu amor em um dos combates, mas prossegue com a sua missão, até reconquistar a terra que Deus o prometeu.

E foi essa história de coragem e fé, que inspirou Paulo Coelho a escrever o livro. O nome da obra vem de um lugar descrito na bíblia que era reservado para orações e sacrifícios. Daí, o autor mergulha nesse universo de fé e de superação, mostrando ao leitor que a força de vontade pode resgatar qualquer sonho, por mais difícil que ele pareça ser.





Entrevista com Paulo Coelho Roda Viva TVE

Vídeo: paulocoelhoTV




2 comentários:

  1. Minha pergunta hoje é..... Quem é Paulo Coelho. pois a Resposta que eu nunca peguntei, e agora informo é Quem é Raul Seixas, e veja quem é ele..... Arcanjo Miguel - Profeta Elias - João Batista - Raul Seixas - Arcanjo Miguel de novo, pois já voltou para casa. os dois juntos plantou a semente de uma novidade total, que eles não puderam ou não souberam responder. hoje eu Posso. porque a semente de uma Sociedade alternativa, para derrubar todos os muros da mentira, sendo assim, a resposta chegou em 2012.0000 a sociedade alternativa, agora tem um site com este nome e tem a resposta, basta juntar o nome a sociedade alternativa e vai encontrar. mas minha pergunta é.....Quem é Paulo Coelho, porque Raul fez o que fez e foi embora... isso eu com certeza não sei.. mas posso dizer, sei muito pouco. e sei também que falta muito pouco mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Saudações amigo Nelson !! Boa Tarde !

      Encontramos uma boa resposta a essa sua pergunta , e vem ao encontro do que sentimos e vibramos neste momento....

      "Essa é uma pergunta que exige muita reflexão. Tem um livro meu de metafísica em que questiono a tese aristotélica das cinco perguntas básicas: porque, quem, onde, como, qual... Não existem perguntas porque não existem respostas. Não existem respostas porque não existem perguntas. Eu não pergunto absolutamente mais nada. As coisas são, e pronto. Nós seres humanos, somos verbos. Somos e estamos, é única coisa que a gente sabe. Conjecturar, quem há de? E é bonito assumir essa coisa de somente ser... Está todo mundo perguntando até hoje e ninguém tem resposta. Mas ser por ser é bom, torna a vida mais leve e menos violenta. Se todo mundo pensasse assim, as coisas certamente seriam mais fáceis... (Raul Seixas)

      Um Grande Abraço
      SEJAMOS SIMPLESMENTE !!

      Excluir