sábado, 30 de março de 2013

O EVANGELHO PROIBIDO DE JUDAS


PARTE 1




PARTE 2





PARTE 3




PARTE 4




PARTE 5




O PAI SABE





Que deixemos de ser inquietos e abandonemos as algemas da mente que nos prendem a sistemas perversos dizendo: ” o que será do amanhã?!”. Que aprendamos a descansar e olhar para onde os lírios crescem e as aves do céu se alimentam. Que nossa busca seja pelo essencial, sem comodismo, porém em descanso, conscientes que não podemos acrescentar um dia a nossa existência, que não temos controle sobre nada e que não há sentido em pré-ocupações de qualquer natureza. Não se inquiete com o dia de amanhã pois ele cuidará de si mesmo, afinal de contas,
 sim, o Pai sabe do que precisamos.

FONTE: http://flaviosiqueira.com/2013/03/27/o-pai-sabe/






quinta-feira, 28 de março de 2013

PÁSCOA DE LUZ !



" O Pão da Vida e o Cálice da Nova e Eterna Aliança".




Espetáculo - "Paixão de Cristo de Nova Jerusalém".


"Dentro das monumentais muralhas de Nova Jerusalém, em Brejo da Madre de Deus, a Sociedade Teatral de Fazenda Nova (STFN) realiza, todos os anos, durante o período pascal, o Espetáculo Teatral 'Paixão de Cristo'. A passagem mais conhecida da história da humanidade tornou-se, há mais de quatro décadas, um dos maiores acontecimentos teatrais do Brasil. Com 100 mil m², a cidade-teatro, obra idealizada e construída por Plínio Pacheco, fica a 180 Km de Recife. O maior teatro ao ar livre do mundo costuma fascinar o público pela sua grandiosidade e, principalmente, pela mobilidade das suas cenas. Entre um ato e outro, uma multidão movida pela emoção caminha entre os cenários, transportando-se, por algumas horas, à época de Cristo e revivendo sua saga.
Do Sermão à Ressurreição, olhos atentos acompanham com paixão a "Paixão de Cristo". Nesta edição, Murilo Rosa, viveu, pela primeira vez, o filho de Deus em Nova Jerusalém. Também participaram do elenco Oscar Magrini, como Pilatos, Emanuelle Araújo, como Maria Madalena e Carlos Reis, como Herodes. Outros 56 autores e 500 figurantes participaram do evento. Som digital, show pirotécnico, iluminação, efeitos especiais e um elaborado figurino contribuem para a realização do evento. Por toda essa megaestrutura, mais de 2 milhões de pessoas já assistiram a "Paixão de Cristo" - Um dos "maiores espetáculos da Terra"!



COLABORAÇÃO DE CECY

Obrigado pela oportunidade de com-partilhar!
Um Graande Abraço de Coração a Corações !
Uma "Páscoa de Luz" para vocês e vossa Família !
"AVE LUZ"

AMOR ENTRE OS ANIMAIS




AMOR ANIMAL = AMOR INCONDICIONAL




FOTOS INUSITADAS  DO AMOR ENTRE OS ANIMAIS


















FOTOS:  COLABORAÇÃO  DE CECY



CELEBRE A VIDA!

CELEBRE A NATUREZA!
CELEBRE A SI MESMO!
SEJA A VIDA! VIDA QUE NOS LEVA!
SEJA A PRESENÇA! SEJA LUZ!











SMILE - CHARLES CHAPLIN


Sorri 

Quando a dor te torturar 
E a saudade atormentar 
Os teus dias tristonhos, vazios 

Sorri 

Quando tudo terminar 
Quando nada mais restar 
Do teu sonho encantador

Sorri 

Quando o sol perder a luz 
E sentires uma cruz 
Nos teus ombros cansados, doridos 

Sorri 

Vai mentindo a tua dor 
E ao notar que tu sorris 
Todo mundo irá supor 
Que és feliz

(tradução literal)

Sorria
embora seu coração esteja doendo 
Sorria
mesmo que ele esteja partido 
Quando há nuvens no céu, 
Você conseguirá...  
Se você sorrir 
Com seu medo e tristeza 
Sorria 
e talvez amanhã Você verá o sol brilhando, para você  
Ilumine seu rosto com alegria 
Esconda qualquer traço de tristeza 
Embora uma lágrima possa estar tão próxima 
Esse é o tempo que você tem que continuar tentando 
Sorria
o que adianta chorar? 
Você descobrirá que a vida ainda continua 
Se você apenas sorrir 










quarta-feira, 27 de março de 2013

ALIMENTO DO ESPÍRITO





O corpo se alimenta de ar, comida e água, o espírito se alimenta de amor, que se expressa por ilimitadas maneiras: nas relações, na arte, na música, na gratidão, no silêncio, em momentos simples, de maneiras tão sutis que transcendem explicações.
O amor está em todos os lugares, mesmo aqueles que sequer imaginamos. É alimento que se colhe nas árvores do caminho, nos pomares de cada dia, nos rios da existência; está no grande e no pequeno, nos acertos, erros, contradições e aparentes desvios. Enxergá-lo e percebê-lo é fundamental para que o espírito se desenvolva e a mente se pacifique, desconectando-se aos poucos das pressas que nos distancia de nós mesmos e sufocam nossa sensibilidade para simplesmente enxergar.

FONTE : http://flaviosiqueira.com/2013/03/15/alimento-do-espirito/#comments






A CONEXÃO COM O DIVINO




A CONEXÃO COM O DIVINO 


Quem sabe estejam certas as palavras do escritor e ocultista francês Eliphas Levi. 
Dizia ele: “A ciência sem a fé conduz a dúvida; a fé sem a ciência conduz a superstição. 
As duas reunidas dão a certeza e para uni-las não se deve jamais confundi-las”. 
E parece que as descobertas feitas atualmente pela humanidade vem apenas confirmar esse pensamento.

O surgimento da física quântica abriu caminho para que a ciência e a espiritualidade se relacionassem. Isso tem trazido resultados surpreendentes, que conseguem demonstrar fatos subjetivos até então inexplicáveis e inaceitáveis pelo pensamento científico tradicional, como a conexão entre o humano e o Divino. 
No texto de hoje, atribuído a Leonardo Boff, pode-se perceber como essa realidade, certamente, contribuirá para o desenvolvimento da espiritualização no ser humano. 

Uma frente avançada das ciências, hoje, é constituída pelo estudo do cérebro e de suas múltiplas inteligências. 
Alcançaram-se resultados relevantes, também para a religião e a espiritualidade. Enfatizam-se três tipos de inteligência. 
A primeira é a inteligência intelectual, o famoso QI (Quociente de Inteligência), ao qual se deu tanta importância em todo o século XX. 
É a inteligência analítica pela qual elaboramos conceitos e fazemos ciência. Com ela organizamos o mundo e solucionamos problemas objetivos.
A segunda é a inteligência emocional, popularizada especialmente pelo psicólogo e neurocientista de Harvard David Goleman, com seu conhecido livro A Inteligência emocional (QE = Quociente Emocional). 

Empiricamente mostrou o que era convicção de toda uma tradição de pensadores, desde Platão, passando por Santo Agostinho e culminando em Freud: a estrutura de base do ser humano não é razão (logos), mas é emoção (pathos). 
Somos, primariamente, seres de paixão, empatia e compaixão, e só em seguida, de razão. 
Quando combinamos QI com QE conseguimos nos mobilizar a nós e a outros. 
A terceira é a inteligência espiritual. 
A prova empírica de sua existência deriva de pesquisas muito recentes, dos últimos 10 anos, feitas por neurólogos, neuropsicólogos, neurolinguistas e técnicos em magnetoencefalografia (que estudam os campos magnéticos e elétricos do cérebro). 
Segundo esses cientistas, existe em nós, cientificamente verificável, um outro tipo de inteligência, pela qual não só captamos fatos, ideias e emoções, mas percebemos os contextos maiores de nossa vida, totalidades significativas, e nos faz sentir inseridos no Todo. 
Ela nos torna sensível a valores, a questões ligadas a Deus e à transcendência. É chamada de inteligência espiritual (QEs = Quociente espiritual), porque é próprio da espiritualidade captar totalidades e se orientar por visões transcendentais. 
Sua base empírica reside na biologia dos neurônios. Verificou-se cientificamente que a experiência unificadora se origina de oscilações neurais a 40 herz, especialmente localizada nos lobos temporais. Desencadeia-se, então, uma experiência de exaltação e de intensa alegria como se estivéssemos diante de uma Presença viva. 
Ou inversamente, sempre que se abordam temas religiosos, Deus ou valores que concernem o sentido profundo das coisas, não superficialmente, mas num envolvimento sincero, produz-se igual excitação de 40herz. 
Por essa razão, neurobiólogos como Persinger, Ramachandran e a física quântica Danah Zohar batizaram essa região dos lobos temporais de ”o ponto Deus”. 

Se assim é, podemos dizer em termos do processo evolucionário: o universo evoluiu, em bilhões de anos, até produzir no cérebro o instrumento que capacita o ser humano perceber a Presença de Deus, que sempre esteve lá embora não perceptível conscientemente. 
A existência desse ”ponto Deus” representa uma vantagem evolutiva de nossa espécie humana. Ela constitui uma referência de sentido para a nossa vida. A espiritualidade pertence ao humano e não é monopólio das religiões. 
Antes, as religiões são uma das expressões desse ”ponto Deus”. 

Graças à infinita inteligência cósmica.

O ENCANTADOR DE LEÕES



O AMOR A TUDO TRANSFORMA


SE SEMEAMOS VIOLÊNCIA E AGRESSÃO, É ISSO QUE COLHEMOS...

NO ENTANTO, ATÉ OS SERES TIDOS COMO MAIS FEROZES E INDOMÁVEIS, QUANDO TRATADOS COM CARINHO E DEDICAÇÃO, SE RENDEM AO PODER DO AMOR.!!




terça-feira, 26 de março de 2013

DEIXAR FLUIR





Em muitos seres existe hoje uma urgência, uma necessidade existencial de corrigir o mundo, de sarar as feridas de uma civilização esquecida de si mesma, distante dos propósitos maiores que a ela estavam destinados. Uma urgência que se torna cada vez mais presente em todos aqueles que assumiram um compromisso para com a humanidade. 
O compromisso de caminhar de coração aberto diante do olhar cego daqueles que só acreditam naquilo em que podem tocar, mostrando que esse tocar é mais profundo, mais vasto; que tocar com o coração é sentir a unidade de todas as coisas na força transmutadora dessa energia maior a que chamamos AMOR. 
Mas essa urgência deixa-nos inquietos, confusos quanto ao caminho a percorrer. Como poderemos ter a certeza de que caminhamos pelos trilhos do nosso destino? 
Que todas as experiências vividas nos conduzirão ao momento certo, à tarefa exata, ao lugar que nos corresponde numa sincronia maior do qual somos um elemento essencial? 
A resposta é simples e resume-se, tal como se de um mantra se tratasse, na seguinte frase: "Deixar Fluir". 


O efeito destas palavras deveria ser mágico para todos nós, trazendo, com o simples ato de as pronunciar, a PAZ. 
Se hoje estamos no lugar onde nos percebemos, se por caminhos misteriosos nos foi dado encontrar pessoas importantes para o nosso processo tridimensional, viver situações inesperadas e regeneradoras de energias estagnadas em nós, é porque foi esse mesmo fluir que nos levou até lá. Nenhum estratagema mental, nenhum plano por mais elaborado que seja, nos levará ao destino que nos compete cumprir, pois, se assim fosse, essa condução estaria nas mãos da personalidade e não da Alma. 
A personalidade é como uma pessoa perdida dentro de um labirinto que ela julga conhecer ao pormenor e onde, para seu próprio desespero, se disso tiver consciência, repete constantemente os mesmos erros, passando pelos mesmos lugares, tropeçando nos mesmos obstáculos, batendo infindáveis vezes com a cabeça nos mesmos becos sem saída, numa encenação dolorosamente repetida na ilusão de quem julga saber por onde caminha. 
Pois não sabe! Quando mais a personalidade procura, mais perdida fica nesse emaranhar de corredores. Apenas quando ela parar de procurar e entregar essa condução à Alma que, por cima do labirinto, vê todos os caminhos, é que, finalmente, num doce fluir de quem é conduzido por mãos mais sábias, ela encontrará o trilho do seu destino. 
Não foi esse fluir sem aparente rumo que, tal como folha sobre as águas de um rio, nos conduziu ao lugar onde nos encontramos? 
Não deveríamos, uma vez mais, confiar nessas mãos sábias que sabem exatamente a tarefa que nos está destinada cumprir; o espaço e o tempo certo de uma vivência contínua no olhar de quem antes mesmo de encarnar tudo pôde testemunhar de um caminho por si predestinado e escolhido? 
Por que a ansiedade, então? Por que a dúvida e a incerteza que tantas vezes se instalam? 
Não caminhamos pelo trilho de uma existência dedicada a FONTE, de uma missão de quem se propôs a cumprir sua promessa, mesmo nestes tempos difíceis? 
Se tudo entregarmos ao universo, o que recear? 
Não somos todos nós autoconvocados numa tarefa que assumimos diante dos nossos Irmãos Maiores, propondo-nos ajudar na elevação daqueles que compartilham este planeta conosco? 
Repitam, pois, comigo, esta simples frase: "Deixar Fluir". 

Deixar que a corrente desse imenso rio nos conduza à enseada do destino que nos compete cumprir, sem desejar alcançar nenhuma das margens, pois, se o fizermos, a estas ficaremos presos; estagnados nos charcos pantanosos de onde dificilmente sairemos. "Deixar Fluir" não é inércia, mas prontidão. 
E não é inércia porque sabemos que uma mão maior nos conduz, nossa mão interna. 
"Deixar Fluir" é como um bombeiro no quartel, pronto a correr a qualquer eventualidade se a sirene tocar mas que, enquanto espera, simplesmente deixa que o tempo corra docemente, na tranquilidade de quem sabe que está ao serviço de uma causa maior. 
Se assim não fosse, e ele deixasse o quartel por não ter suportado o silêncio e a espera, seguindo outros caminhos, a sirene tocaria e ele não estaria pronto para atuar. 
Mas se ficar no quartel, mesmo sem saber da tarefa que lhe corresponde desempenhar, quando a sirene tocar ele estará pronto e tudo largará para cumprir o seu destino, pois sabe que essa é a sua única função. 

Enquanto espera, no entanto, as suas únicas palavras são: "Deixar Fluir". 
E este é o caminho direto para a PAZ.


segunda-feira, 25 de março de 2013

O ESPÍRITO DO OUTONO





O ESPÍRITO DO OUTONO


O Outono Chegou...            
Aqui no hemisfério sul, iniciamos no último dia 20 a estação do outono. Foi o fim do verão, do calor excessivo, das fortes chuvas.... período importante de expansão, de ação, de mudanças radicais ou não, mas de grande movimentação.
E o que significa o outono? Fazendo o paralelo de que Nós Somos ou contemos, também, a natureza, o Universo... podemos concluir que mudamos de “estação” tal qual a natureza?
No outono a natureza muda de cor, a temperatura fica mais amena e as árvores perdem suas folhas...antigamente, minha avó dizia que “outono era a estação das folhas mortas!” Mas, na verdade, há muita sabedoria nesta afirmativa...pois é no outono que a natureza começa a se preparar para florir na primavera! E, claro, as folhas mortas vão cair para dar lugar às novas!!
A natureza não faz mágicas, ela segue um processo de renovação onde cada etapa se encadeia a outra, trazendo as mudanças necessárias para a transformação de cada estação...Não há saltos na natureza...Portanto, no outono a natureza se contrai, se recolhe e dispensa aquilo que não mais serve,que pesa, como as folhas das árvores, como a ausência  de flores...
É preciso que a natureza se preparare para florir na primavera!
E nós? O que podemos apreender nesta estação?
O Outono para nós tal qual para a natureza é a estação da introspecção, do recolhimento. É o momento de realizar ou intensificar o desapego a tudo aquilo que não mais nos serve ou nos faz dispensar energias em vão....É o momento da auto-avaliação e da interiorização...o momento de soltar, de deixar ir e começar a se preparar para a primavera ( A Renovação).
Como vamos florir se não deixamos cair nossas folhas mortas?
Mas não esqueçamos que uma auto-avaliação inclui certa sabedoria para reconhecer os frutos, as dádivas recebidas nesta colheita...bem como um sentimento sincero de GRATIDÃO a todas as folhas mortas que nos constituíram até aqui, que nos proporcionaram sombra e frescor no verão!  Se não for assim, não haverá amadurecimento...e sem amadurecimento, os frutos verdes não saciarão a fome....As flores não desabrocharão em seu esplendor colorindo a primavera!
Portanto, que cada um de nós possa reconhecer a importância do OUTONO e aproveitar para fazer aquela revisão em nossa lista de desapegos...Deixar ir aqueles comportamentos e sentimentos que não nos servem mais, 
que pesam em nosso dia a dia, em nossas relações e em nossas vidas.

Recolher também pode significar SILENCIAR e deixar fluir de nossa Essência, de nosso Espírito, tudo que necessitamos para permitir que o outono também se faça em nós, preparando a transformação, a ressurreição, a Primavera  Interior!
Bem, afinal, eu particularmente, sempre achei lindo o Outono...A brisa leve desfolhando as árvores, o chão coberto de folhas das mais variadas cores e formas, montando um mosaico criativo...Pura obra de arte! E os sons? Já repararam nos sons do outono? Ah, quem disse que o outono é melancólico ou triste é porque não estava pronto para deixar suas folhas seguirem o vento, voar...correr outras paisagens, transformar-se em adubo ou cobrir as trilhas de outros caminhantes...
DESAPEGO – INTROSPECÇÃO – RECOLHIMENTO sim, mas em alegria, em paz, em fluidez como a própria natureza nos exemplifica.
E que este outono nos brinde com uma brisa especial, um vento mesmo, que ao assobiar entre as árvores e entre nós, desperte nossos corações para entrar na SINFONIA\ SINTONIA do AMOR...Aquele AMOR que a tudo permeia e preenche, repleto de Graça, da mais profunda Gratidão e de grande  Sabedoria para nos guiar de volta à nossa VERDADE, à nossa ETERNIDADE  e AO AMOR QUE SOMOS, mas que acabamos esquecendo, perdidos em meio a tantas e tantas folhas mortas, que seguramos arduamente, com medo... 
(  muitos medos) da primavera nunca chegar!

FICA A DICA :
Deixe de segurar suas folhas mortas, deixe o outono se estabelecer em você, siga o fluxo, silencie,recolha-se e encontre dentro de você a força para deixar ir tudo aquilo que ainda te impede de SER e FLORESCER em AMOR!!
Uma Ótima Estação para todas nós...e, que seja muito Bem Vindo o Espírito do Outono!!

Mirian Cury



totalgifs.com barrinhas gif gif folhas.gif


totalgifs.com barrinhas gif gif folhas.gif

NOTA:
Chegamos ao Outono/2013
E com ele, as transformações continuam...
Escolhemos a música " Aguas de Março"
simbolizando o lavar da alma..." A Renovação" e oferecemos à todos/as vocês para que em Unidade possamos vibrar em uníssonos o Amor que Somos !
Nossos agradecimentos à Mirian e à todos vocês !!!
Elevando o Amor de Coração a Coração...
Carinhosamente

Muito Além

AMBIVALÊNCIAS

life-after-death



FONTE: http://flaviosiqueira.com/2012/12/27/ambivalencias/life-after-death/



REVIGORAR - Por Samuel Souza de Paula



REVIGORAR – Por Samuel Souza de Paula


Quando a vida se apresenta como uma fresta, caminhos fechados e ciclos difíceis, em algum lugar e no próprio caminho acontecem misteriosas festas, festa de possibilidades. 

Marcamos os dias, as semanas, os anos, caímos, levantamos, sorrimos, enxugamos as lágrimas, superamos desafios e o mundo continua girando. Para alguns este é o primeiro, para outros um último provável. Mas quem controla o tempo?

As datas só possuem significado quando atribuímos significado a elas. Pensamos que não é simplesmente a “Deus dará”, que precisamos assumir responsabilidade por nossa vida, nosso tempo, nossas escolhas. Que é bom ter sonhos, colorir as metas, manter a esperança, mas acima de tudo viver, viver o presente, o hoje, o agora.

O tempo assim como as folhas nos ensina a voar com o vento, às vezes muito forte, outras vezes bem fraco, mas em movimento, em uma eterna sucessão de fatos. Mundos que cruzam e mudam as estradas dos meses, dias que confunde as cenas e repassam as décadas em um milésimos de segundo. 

Mudanças. Luzes se acedem, luzes se apagam, roupas doadas, fotografias perdidas, novas resoluções, transformação, metas e promessas.

É verdade que algumas coisas perdemos e muitas outras ganhamos, mas neste instante a vida se abre em festa. Abrimos os olhos, despertamos. 

É um novo dia! Uma oportunidade de escrever uma nova página, um novo começo, fazer deste o primeiro, com energia, coragem, dar aquele importante passo, construir uma nova história.

É tempo de renovar, fechar os ciclos, abrir outras portas, evocar as forças da alma, revigorar. Sim, podemos fazer o nosso melhor e criar melhora em nosso caminho. E que venham os sorrisos, quem venha o amor de braços alargados com o amor que cultivamos em nós mesmos, o sucesso, o esplendor de uma boa atitude e muita consciência.

Queremos aprender com nossos erros, perder os antigos medos, ir a forra com nossos limites, quebrar velhos hábitos. 

Queremos uma vida verdadeira, queremos uma vida inteira, uma verdadeira reforma.


Fonte: http://espiritualidadenatural.blogspot.com.br/

domingo, 24 de março de 2013

CARTÕES MUITO ALÉM


Para começar a semana com muita Luz e Amor no Coração .












** COLABORAÇÃO DE  MIRIAN CURY **