quinta-feira, 21 de novembro de 2013

INCRIVEL EXPERIMENTO COM FREQUÊNCIAS VIBRATORIAS



O que você está vendo é o experimento da placa Chladni. Quando o físico Ernst Chladni realizou este experimento no século 18, ele fez isso com farinha em vez de sal, e fez sua placa de metal vibrar com um arco em vez de um gerador de sons de violino, mas o resultado final é o mesmo: quando a placa vibra em uma freqüência constante, as partículas em sua superfície se organizam em um belo padrão.

As partículas (areia, neste caso) estão se organizando ao longo do que são chamadas de “linhas nodais” – curvas estreitas que cruzam a superfície de modo vibratório. Quanto mais altas são as frequências, mais complexa a forma fica.

"Se você quer descobrir os segredos do universo, tem que pensar em termos de energia, frequência e vibração".  - Nicola Tesla


Em 1680, Ernst Florens Friedrich Chladni, ou simplesmente Ernst Chladni, um físico e músico alemão, repetiu os experimentos de Robert Hooke, que, ao passar um arco de violino na borda de uma placa de vidro coberta de farinha, havia observado certos padrões se formarem na farinha.

Em seu experimento, Ernst Chladni usou uma placa metálica rígida com um pouco de areia, e novamente um arco de violino na borda da placa, fazendo-a vibrar. Todo objeto rígido tem uma frequência natural. Ao criar uma frequência harmônica sobre a placa, Chladni criou ondas estacionárias ressonantes sobre ela.

Ernst Chladni é chamado de “Pai da Acústica”. Por conta de seu estudo sobre a “placa Chladni”, ele percebeu a relação entre o som e as ondas. Também foi o primeiro a supor que os meteoritos eram de origem extraterrestres, o que era considerado um absurdo na época – por isto, também pode ser lembrado como o “pai da Meteorítica.”



As ondas estacionárias ressonantes têm um comprimento de onda semelhante ao comprimento de onda da placa, e uma fração inteira de alguma das dimensões da placa: diagonal, lado maior, lado menor. Com isto, se criam regiões onde a vibração é mais forte, e onde não há vibração alguma (esta última chamada de nodos, e é onde se acumulam os grãos de areia ou farinha sobre a placa).

Os padrões observados mostram, então, onde estão os nodos, as regiões da placa em que não há vibração alguma. Por outro lado, onde não há nenhum grão ficam as regiões em que a vibração é mais forte, expulsando-os.

O vídeo acima ilustra o experimento e foi feito com uma placa de metal, um gerador de tons e um punhado de sal. Conforme a frequência de vibração da placa aumenta, os grãos de sal jogados sobre ela começam a formar padrões cada vez mais complexos (como os abaixo).






Que tal dar uma olhada em uma obra de arte na qual é possível visualizar o som? As figuras que você acabou de ver no vídeo acima, conhecidas como Figuras Sonoras de Chladni, são formas que aparecem sobre as superfícies quando estas vibram em determinadas frequências.

Ernst Chladni, considerado o fundador da acústica, descobriu que quando tocamos uma chapa metálica com algum objeto, como um bastão ou um arco de violino, por exemplo, ela vibra. Ao espalhar areia sobre a superfície de metal, esta se agita sobre a chapa, se acumulando em alguns pontos, nos quais a chapa não está vibrando. Esse acúmulo produz os padrões observados nas figuras do vídeo.




As chapas possuem inúmeras possibilidades de vibração, sendo que cada uma corresponde a uma frequência específica do som, produzindo desenhos de maior complexidade. Esse aspecto também depende de onde a superfície se encontra afixada, seu tamanho, o material com o qual é composta e sua espessura.


Olhe as figuras abaixo, consegue ver alguma semelhança?

4 comentários:

  1. quais os materiais que voces usaram para fazer... ?? preciso de ajuda

    ResponderExcluir
  2. Amigo sé vc soubesse que tem alguém que escrevem varios sons linguás dimensão muito parecido como este estar na figura

    ResponderExcluir