sábado, 12 de outubro de 2013

SERIA O UNIVERSO UM JOGO DE VÍDEO GAME?



Quem diabos está jogando “The Sims” com a gente? 
Acredite se quiser: Físicos encontram evidências de que a nossa realidade pode ser uma mera simulação virtual. Fazemos nós parte do melhor videogame já criado? 
Não, você não leu errado. De acordo com estudiosos cientistas da Universidade de Bonn, certos aspectos do nosso mundo físico são sustentados por elementos que indicam que a nossa realidade pode não ser nada mais do que uma simulação computadorizada.

A ideia de que somos apenas figuras sustentadas por tecnologias e intelectos superiores parece meio absurda, não é mesmo? O fato é que o cientista planetário Rich Terrile (NASA) acredita veementemente na teoria de que nossa vida não é nada mais do que um videogame. 

Silas Beane foi o pesquisador que liderou um grupo de físicos que levantou uma hipótese muito interessante. Segundo as pesquisas, a teoria que mais ganha força é a de que somos uma simulação dentro de outra simulação dentro de outra e assim sucessivamente, com um cenário enriquecido em detalhes, que provavelmente se parece muito com a vida dos nossos “criadores”, para dar a impressão de realidade absoluta. 




Aparentemente, vivemos em um universo artificial e somos incapazes de nos darmos conta desse fato. Existe uma teoria chamada “Teoria de campo reticulado” (teoria de física contrária à noção de tempo e espaço continuum da qual temos conhecimentos). Os pesquisadores se basearam nessa teoria para lançar a ideia de que uma simulação de computador (ou um videogame, se preferirem) das próprias leis físicas, que em determinado momento parecem contínuas e que seriam obrigatoriamente inseridas em um retículo espacial, uma adição para a simulação na qual podemos estar vivendo neste momento. Esse retículo tridimensional avança em pequenos passos temporais que limitam a quantidade energética que as partículas virtuais possuem dentro do sistema. Em outras palavras, um recurso virtual que impões “limites”, que poderiam ou não existir para os nossos amados e anônimos criadores. 

Isso realmente acontece em certos processos de física quântica que envolvem uma grande quantia de energia (nos raios laser, por exemplo, ou em um feixe de elétrons). Esse retículo limita a energia para que as partículas ocupem seu próprio espaço, com um máximo de energia para que nada nesse “sistema” seja menor do que este permite.
Se o cosmos é uma simulação numérica, deve haver pistas no espectro de raios cósmicos de alta energia” – dizem os teóricos – ou seja, os raios cósmicos viajariam ao longo dos eixos de uma estrutura, de modo que não conseguiríamos vê-los equalizados em todas as direções. 

Com a tecnologia atual e os recursos dos quais a humanidade dispõe, não podemos assegurar definitivamente que estes pesquisadores estão certos ou errados, porém somos plenamente capazes de verificar dentro de algum tempo de estudo, como se orienta a estrutura em que o nosso universo foi criado (ou é simulado, se preferirem). 

É uma ideia alucinante e um bocado assustadora, porém, os cálculos de Silas Beane e dos outros pesquisadores deixaram lacunas que não podem ser ignoradas. O principal contra-argumento á teoria dos físicos é que o suposto computador que criou todo nosso universo poderia ter sido criado de qualquer maneira, visto que foi desenvolvido por inteligências e tecnologias muito superiores à nossa, de modo que as técnicas se demonstrariam imperceptíveis a nossos nanicos cérebros humanos. 

É claro, acreditar ou não nessa teoria vai de cada um. Mas, se os cientistas estiverem mesmo certos e somos produtos de uma simulação que funciona como uma espécie de videogame, devemos perguntar-nos: Quem diabos está jogando “The Sims” com a gente, porque, que fiquem avisados: o jogo possui alguns bugs como Justin Bieber e Neymar.

NOTA: Para quem não conhece o jogo "The Sims"resumidamente é um jogo de simulação e como o próprio gênero do jogo diz, ele SIMULA a vida humana. 




E para os que não conhecem esse jogo de simulação da vida "SIMS", trazemos esse breve vídeo demonstrativo.





"Spore"

Outro jogo que segue a mesma risca, com uma dinâmica um pouco diferente, ele SIMULA a vida no Universo. Aqui você é criador do seu próprio Universo.




VÍDEO DE APRESENTAÇÃO DO JOGO




Bem, sabendo disso vamos aos fatos que fazem o embasamento da suposição:



A EVOLUÇÃO DOS COMPUTADORES


Daqui a alguns anos, um computador residencial terá a mesma capacidade que todos os computadores do mundo hoje juntos. 

Nessa evolução está enquadrada também a imagem gráfica que chegará ao nosso nível, ou seja, a computação gráfica alcançará a realidade. 

Um grupo de cientistas japoneses afirmam que em 2015 já será possível inserir inteligência real nos computadores e nos jogos.O personagem do game será inteligente, com raciocínio próprio, capaz de resolver problemas criados e também de criar. Vai ter personalidade e, por consequência, sentimentos. Seria um humano virtual. Essa questão também levanta outra dúvida: Se eles conseguirem fazer isso, quem garante que alguém num tempo muito distante não conseguiu fazer o mesmo e nós somos o resultado desse experimento?

O UNIVERSO HOLOGRÁFICO



Anos atrás os cientistas criaram um aparelho para tentar captar ondas gravitacionais. O que eles conseguiram? Nada, a não ser uma faixa de ruídos. E o que isso tem a ver com o universo holográfico? Muito, pois o que eles acreditam ter captado é o fragmento menor do espaço-tempo, uma espécie de espaço-tempo granular, o limite entre o haver e o nada, o que foi imediatamente relacionado com algo conhecido por nós como pixels. Em verdade, pixels parece ser uma “imitação” acidental desse espaço-tempo granular. Descobriram também que o sinal vem da fronteira do universo, o limite da expansão que acreditamos que aconteça. Logo, o nosso universo não passaria de uma projeção.

VÍDEO - "O Apocalipse Quântico e O Universo

O Apocalipse Quântico e O Universo Holográfico (le… - MyVideo



VÍDEO -  "Tudo no Universo é Energia.
O conteúdo deste filme não é apenas uma visão diferente ou um pensamento filosófico. Na "nossa realidade" são fatos comprovados pela Ciência.


The secret - Tudo no Universo é Energia por sabedoria



MEMBRANAS DAS TEORIAS DAS CORDAS



A Teoria das Cordas nos diz que vivemos dentro de membranas com quatro dimensões, três dimensões de espaço e uma de tempo (ao nossos olhos, pois segundo a mesma existem 11 dimensões). Essas membranas, seriam para um ser que os observa de fora delas (ou seja, de fora do universo), bidimensionais. Lembrou de algo? Olhe o seu monitor. 


A imagem nele é bidimensional (existe apenas uma profundidade ilusória)! Pense agora na perspectiva de quem está dentro de um filme/jogo que você assiste/joga? Como seria o universo para ele? Sim, o universo para quem está dentro da projeção é tridimensional. 
Voltamos as 11 dimensões. Essas são exatamente o número de planos que uma placa de vídeo do futuro terá para atuação e aprimoramento de imagem, sendo capaz de processar e gerar uma computação gráfica fantástica, copiando com precisão a nossa realidade.


VÍDEO - A Teoria das Cordas





O UNIVERSO PERDIDO



Tudo no universo é massa ou energia, mas não há nenhuma das duas em quantidade suficiente. Os cientistas acham que 96% do cosmos está perdido. Chegaram até a propor nomes a toda essa matéria perdida – “energia escura” e “matéria escura” – mas o nome continua a não dizer nada sobre ela. 
E não é que se trate de uma questão que não tenha importância; a energia escura está criando continuamente novas faixas de espaço e tempo, enquanto a matéria escura parece estar mantendo unidas todas as galáxias. 


VÍDEO - Matéria escura e Energia escura.




Não é de estranhar que os cientistas se esforcem em buscar pistas de seus paradeiros. Qual a relação disso com os jogos? A função das mesmas. Uma é a dinâmica do jogo e a outra o resultado da dinâmica. Mas num jogo, a dinâmica é visível? Não! Ela apenas existe, é parte do padrão que constitui o que uma ação resultará num determinado evento. Por isso não poderia ser detectada por nós, contudo, continuaria influenciando nosso meio.


EXPERIMENTO DE FENDA DUPLA E O TEMPO


VÍDEO DO Dr. QUÂNTICO - O experimento da Fenda Dupla




Quem conhece o experimento sabe que quando existe um observador, o elétron analisado deixa de se comportar como onda e passa a se comportar como partícula. No entanto, retire o observador e ele volta a ser onda. Como um elétron poderia saber sobre o observador? Ele não sabe, foi programado. O que ele sabe é que para determinado evento ele tem que agir de uma maneira e para outro de forma diferente. 
O propósito disso? Bom, se descobríssemos a natureza das partículas seria um passo para a Teoria do Todo e como tudo surgiu. 
Supondo que quem tenha programado o game soubesse que em determinado ponto da cronologia chegaríamos a refletir sobre essa questão e propôs um modo para que nunca descobríssemos a realidade. Um sistema de segurança. Para assegurar o que? Imagine um universo virtual onde os habitantes sabem que estão dentro de um game. O resultado seria catastrófico. Assim como o tempo. É impossível viajar para o passado. Teríamos que passar por um ponto de energia infinita se desdobrássemos o universo. Nada conseguiria ultrapassar tal ponto. 


DÉJÀ  VU



Todo mundo tem isso e nem adianta dizer que não tem. Muitos cientista acreditam que é um falha no sistema neurológico. Reações químicas inadequadas que aconteceram e trouxeram a sensação de já termos vivenciado aquele momento. O intrigante é que essas reações acontecem o tempo todo em nosso cérebro, assim como as falhas e hora causam a sensação, hora não. O que nos leva crer que, isso pode não ter ligação com o sistema neural. 
Pense bem. No seu computador mesmo quando você deleta um programa, restam resquícios dele. Num game, quando você atinge determinado nível, tudo que ocorreu é armazenado. 
Agora imagine o sistema de Salve e Load do Game. Você tem um personagem, que passou até determinado ponto, mas fez uma grande besteira. Você deseja voltar para um momento anterior então dá load na sua última gravação. Pois bem, supomos que esse personagem tenha inteligência real e que o computador funcione através do mesmo sistema que conhecemos. 
Os resquícios que restaram da sua última atuação no game farão com que o personagem lembre que já passou por esse ponto (e na verdade já passou mas como você retornou para um ponto anterior ele não saberá o que ocorreu exceto pelo armazenamento fundamental, o que seria o Déjà vu).


O LIVRE ARBÍTRIO



“Os neuro-cientistas estão quase convencidos de que o livre arbítrio é uma ilusão. Seus experimentos mostram que nossos cérebros nos permitem pensar que controlamos nossos corpos, mas nossos movimentos começam antes de que tomemos qualquer decisão consciente de movimento. Alguns pesquisadores já assistiram julgamentos para testemunhar que o acusado não pode ser acusado de nada do que fez. Espera-nos um futuro legal realmente horrível.” Depois de ler isso pense e me responda: Como você controla o personagem quando joga um game? Sim, exatamente como o descrito acima.

THIS  MAN

Já sonhou com esse homem ?

No mundo todo, todas as noites, centenas de pessoas sonham com esse mesmo rosto,sem jamais tê-lo visto na vida.

Conta-se que em janeiro de 2006, uma paciente de um renomado psiquiatra de Nova York desenhou o rosto de um homem que vinha aparecendo em seus sonhos frequentemente. Por mais de uma vez este homem chegou a aconselhá-la à respeito de sua vida particular. A mulher, porém, jura não conhecer o homem e nem nunca tê-lo visto, antes dos sonhos. 

O desenho ficou atirado em cima da mesa do psiquiatra, até que um dia outro paciente também reconheceu o homem do desenho como sendo o sujeito com o qual vinha sonhando e, também afirmou nunca tê-lo visto, a não ser em seus sonhos. Estranhando a coincidência o psiquiatra fez cópias do retrato e as enviou à outros colegas. Para surpresa do psiquiatra, em poucos meses recebeu 4 respostas positivas de pessoas que também haviam sonhado com aquele homem. 

Até 2009, cerca de 2 mil pessoas pelo mundo alegaram já ter visto este homem em seus sonhos, afirmando ainda nunca o terem visto antes.

Pelo que se sabe, este homem não existe fora dos sonhos. Pelo menos até agora ninguém, em todo o mundo, encontrou ou se identificou como sendo este homem.

Sim, existe o cartaz em português!



Muitas teorias surgiram para tentar explicar o fato, estas vão desde explicações científicas, fantasiosas até teorias da conspiração. Veja na sequência algumas delas.

O homem dos sonhos, que assusta muita gente, aparece devido há esses fatos descritos nas teorias abaixo :

1. A Teoria do Arquétipo
Segundo a teoria psicanalítica de Jung, este homem é uma imagem arquétipica que pertence ao nosso inconsciente coletivo e vem à tona em tempos de dificuldades (circunstâncias emocionais, mudanças dramáticas em nossas vidas, as situações de stress, etc) em indivíduos particularmente sensíveis.

2. Teoria religiosa
De acordo com esta teoria, este homem é a imagem do Criador, isto é, uma das formas na qual Deus se manifesta hoje em dia. Esta é a razão pela qual seus conselhos e as palavras que pronuncia durante os sonhos devem ser sistematicamente seguidas por quem sonha com ele.

3.Teoria do Invasor de Sonhos 
Também chamada de Teoria do surfista de sonhos. This man seria, então, uma pessoa real que tem o poder [ou faculdade] de entrar nos sonhos das pessoas por meio de alguma habilidade psíquica específica. Sua aparência corresponde, portanto, ao que ele é na vida real [no estado de vigília]. Outros porém, acham que ele pode ser completamente diferente em vigília alterando sua aparência durante a inconsciência do Ego durante o sono. Esta teoria também considera a possibilidade de que por trás do fenômeno This Man existe um plano [conspiração] desenvolvido por alguma entidade ou grupo clandestino.

4.Teoria da Imitação 
Esta teoria psico-sociológica propõe que o fenômeno foi produzido casualmente e desenvolveu-se progressivamente, por imitação. O desenho que ficou na mesa do psiquiatra em Nova Iorque, foi visto mas não notado, percebido conscientemente por vários pacientes que, posteriormente, sonharam com o rosto. Ao distribuir o retrato entre vários profissionais do mundo, o psiquiatra causou uma espécie de contaminação do inconsciente de outras pessoas que freqüentavam consultórios psiquiátricos. Com a divulgação do fato via internet, outros mais, não pacientes de problemas psiquiátricos também sonharam com o homem.

O homem dos sonhos nada mais é que o próprio player inserido de alguma maneira no jogo. Como ele faria isso? Poderia ser através de uma tecnologia ou de um suporte como aqueles capacetes virtuais que chegaram há pouco no mercado. 
Também podemos supor que seja o próprio criador do jogo que inseriu sua imagem na programação do subconsciente dos personagens assim como os nossos programadores fazem para deixar suas marcas e essas últimas só são ativadas após um comando ser acionado, nesse caso o resultado de um evento.

NOTA: Ressaltamos que o “This man” do texto original foi revelado em 2010 como um viral de uma empresa de marketing européia. Um viral de muito mal gosto por sinal, pois até hoje existem pessoas fazendo tratamento psicológico por causa do trauma de ser perseguido pelo tal sujeito. O viral fez as pessoas acreditarem mesmo que a entidade existia e muitas pessoas começaram a relatar ataques dele durante seus sonhos. Mesmo depois da farsa cair, muita gente continuou acreditando que era verdade.


TEMPO


Em diversas culturas, existem passagens em escritos e textos sagrados que falam que o tempo de Deus é diferente do tempo dos homens. Por exemplo, no livro sagrado dos cristãos, a Bíblia, existe um trecho que diz: Pedro 3:6-8 “Pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio, Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios. Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia.”
Quando você joga Spore, The Sims, Age of Empire, entre outros games, o tempo é diferente para você e para os personagens (mesmo porque seria impossível jogar com o tempo real esses games). Anos e anos para os personagens do game são equivalentes a uma hora de jogo. Logo, o tempo real se comportaria de modo diferente para os dois. Mil anos no game, seria um dia de jogo.

REDE VIRTUAL



Segundo boatos que surgiram na última E3, daqui há uns anos não haverão mais games não-online. Na verdade, não existirá nem cartucho, nem CD/DVD/Blu-ray. Os games serão hospedados em um gigantesco servidor e você pagará uma quantia para ter o direito de acessar. Os consoles serão apenas um receptor desses servidores.

Imagine que o nosso querido “Game Universal” da teoria esteja instalado em um servidor. E que exista a opção em que o “universo” pode continuar evoluindo sem a presença do jogador, assim como acontece em alguns games online como Travian, porém, nesse caso, somente o jogador que comprou os direitos poderia acessar esse “universo”, como acontece nas gravações de games não-online hoje. Como o tempo passa de modo diferente para os dois, existiriam períodos que o jogador sequer saberia o que os “habitantes do game” estariam fazendo. Eis aqui um pensamento: “Deus foi para escola, assim aconteceu a Idade Média”.



DEUS


Entrando nesse pensamento malucão, Deus não poderia ser outro coisa senão o Player. O que nos leva a pensar em muitas outras coisas, por exemplo:

Em algumas culturas, Deus criou o homem sua imagem e semelhança – Personalização do personagens, tão comum em nossos jogos atuais.

Certas religiões admitem que ninguém nunca viu Deus/Deuses e que Ele seria constituído de outra matéria que não existe nesse universo - Olhando do olhar do “Game Universo” faz sentido, pois nem o player poderia interagir diretamente com o personagem do game, assim como o personagem do game não poderia interagir com o Deus sem o intermédio do computador. Do mesmo modo, a matéria que constituiria o universo seria apenas virtual do ponto de vista de Deus, que seria constituído de outra matéria, a real.

Boa parte dos Deuses, possuem onipresença e onisciência - Analise do olhar “Game Universo”, isso seria possível pois o Player estaria observando o universo num todo e teria acesso a qualquer parte desse assim que desejasse, ou mesmo, acesso a todas as partes ao mesmo tempo. Onisciência, ele saberia tudo que acontece no universo e saberia de tudo que aconteceu e também conheceria o porquê de todos os porquês.


EVENTOS INESPLICÁVEIS



Os eventos inexplicáveis como milagre, acontecimentos metafísicos, etc poderiam ser cheats, hacks, achievement unlocked, game shark, lag, bug e por aí vai.

HACKERS


Os hackers do nosso universo seriam aqueles cientistas e físicos PHD's que simplesmente desafiam as leis da física e do universo, criando e fazendo experimentos inexplicáveis e quase impossíveis, tais como o Experimento Filadélfia e várias tentativas de criar portais do tempo.


EXPANSÃO DO UNIVERSO


Expansão Universal poderia ser explicado pela instalação de patchs de novas versões do jogo. “Chegou o Universo 2.0, agora com mais 130 galáxias”. 


Agora para encerrarmos ,deixamos uma frase cabulosa sobre propósito do universo.

“Há uma teoria que diz que se um dia alguém descobrir exatamente qual é o propósito do Universo e por que ele está aqui, ele desaparecerá instantaneamente e será substituído por algo ainda mais bizarro e inexplicável. Há uma outra teoria que diz que isso já aconteceu.”

Fonte: AhDuvido

3 comentários:

  1. Acho que devo ter ficado louco depois de ter lido ligeiramente todo esse presente texto.

    ResponderExcluir
  2. Acho que não vou poder fazer mais além de pensar nisso 😎

    ResponderExcluir
  3. Acho que não vou poder fazer mais além de pensar nisso 😎

    ResponderExcluir