quarta-feira, 25 de setembro de 2013

A POSSÍVEL FARSA DO 11/09


Muito já se falou sobre o suposto ataque terrorista às Torres Gêmeas do World Trade Center, no 11 de Setembro. Surgiram teorias, surgiram especialistas, surgiram muitas questões... Mas quando um investigador cientista encontra explosivos Nano Thermite em destroços do World Trade Center cai por terra a ideia de um ataque terrorista ou, pelo menos, a versão oficial começa a ser questionada.

Uma equipe de oito pesquisadores liderados pelo professor Niels Harrit da Universidade de Copenhaguem (Dinamarca), comprovaram a existência de explosivos altamente tecnológicos em amostra dos escombros das torres gêmeas e do prédio 7.


Niels Harrit é professor de química da Universidade de Copenhagen e um dos principais especialistas do mundo que contestam, com provas científicas, a história oficial sobre os ataques de 11/09. Uma equipe de cientistas liderada pelo Professor Harrit encontrou nas cinzas das três torres (do World Trade Center) restos de nano-thermite, um explosivo militar de alta-tecnologia; sua investigação foi corroborada por outros especialistas e publicada em uma revista científica.

"Na poeira nós encontramos o que caracterizamos como material composto de thermite que não reagiu quimicamente. Na forma de lascas vermelho-acinzentadas muito pequenas. Que tem diferentes propriedades, e a reação que elas produzem é capaz de derreter ferro, o que é o indício primário da reação decorrente do thermite. Este tipo de reação pode ser usada para destruir estruturas feitas de aço. O que nós encontramos é uma versão de thermite comercializada no mercado, a qual chamamos de nano-thermite."
A substância em questão é ainda mais forte que a dinamite e pode ser usada como combustível de foguetes. 


“Ferro derretido jorrava da torre sul por vários minutos antes do colapso. Isso indica que a estrutura toda estava sendo enfraquecida de antemão. Daí os explosivos normais entraram em ação”.  - Niels Harrit.

Essa pesquisa vem a confirmar um trabalho semelhante previamente executado pelo professor Steven Jones nos Estados Unidos. Outras matérias que vem de encontro a esse achado são as do time de Arquitetos para o 9/11.


"Nenhuma torre deste tipo, de fato, jamais ruiu por causa de um incêndio. O combustível dos aviões não teria podido desenvolver um calor capaz de fundir a maior parte no exterior das torres ainda que, no interior do ponto de impacto, se vejam pessoas indemnes. A dinâmica da derrocada das torres gémeas e da torre 7 (que não foi tocada pelos aviões) – sustentam diferentes peritos – lembra uma demolição controlada, provocada por explosivos situados no interior." - Steven Jones 
Steven Jones, PHD, professor emérito de física, universidade Brigham young


Por ter sustentado isso, o professor Steven Jones, professor de física, foi expulso da Universidade Brigham Young (Utah). Contudo, ele não desistiu. Com uma equipe de que fazem parte também cientistas de outros países, publicou em 2009 na revista The Open Chemical Physics Journal (que submete a uma revisão científica todos os seus artigos antes de publicar) um estudo fundamentado na análise das amostras de poeiras recolhidas no Ground Zero. 

Estas revelam a presença de Nano-thermite , uma substância não explosiva que produz uma reação química a uma temperatura de 2500 graus Celsius, com capacidade de fundir o aço, cortando-o como uma faca quente corta a manteiga. 

Com esta descoberta explica-se a queda livre dos prédios num processo de demolição implosiva controlada. Os aviões não poderiam derrubar as torres gémeas devido à temperatura do combustível não ser suficiente para derreter aço.
O impacto também não pode ter afetado a estrutura no nível afirmado pelo governo americano, uma vez que o prédio foi desenhado para suportar aviões daquele tamanho.

Ferro derretido na base dos prédios ficou vivo por várias semanas. E por três meses fotos infravermelha de satélites mostraram bolsões de alto calor nas três torres.

Larry Silverstein comprou o leasing do WTC entre 2000 e 2001. Dois meses antes do "ataque" ele assegurou os prédios em dois bilhões de dólares contra ataque terrorista, algo no mínimo incomum.

O Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia (NIST) finalizou seu relatório sobre os eventos de 11  de setembro em 2008.  Segundo Shyam Sunder, PhD, chefe das investigações. NIST: "O WTC 7 ruiu por causa de incêndios que foram alimentados por mobílias de escritório.  Ele não ruiu por causa de explosivos, nem por causa de incêndios causados por combustíveis."

Richard Gage -Arquitetos e Engenheiros pela Verdade sobre 11/09

Richard Gage, Instituto Americano de Arquitetos, Arquiteto Fundador de "Arquitetos e Engenheiros pela Verdade sobre 11/09" Afirma: 
"Nunca antes incêndios causaram o desabamento de nenhum arranha-céu. Mesmo que haja inúmeros exemplos de incêndios de temperaturas muito mais altas, que atingiram maiores extensões e que tiveram maior duração do que os incêndios que aconteceram nestes prédios. E no caso do Prédio 7, o incêndio do qual foi dito ter iniciado o desabamento; na verdade extinguiu-se mais de uma hora antes. O incêndio extinguiu-se as 15:30, o prédio 7 desabou as 17:20!! Este incêndio não poderia ter causado o desabamento conforme é alegado pela NIST. Ainda assim, este arranha-céu moderno de 47 andares fieto de aço, QUE NÃO FOI ATINGIDO POR UM AVIÃO, desabou em sua maior parte dentro da própria área em que foi construido, como um castelo de cartas. Tão rápido como uma bola de boliche caindo do topo do prédio. Em menos de 7 segundos, apenas."

Para Lynn Margulis, PHD, professora de biologia da Universiade de Massashusetts: " O NIST não efetuou testes para detectar a presença de resíduos de explosivos. Então a ideia pré-concebida do NIST, de que não ha evidências de que havia explosivos, como de que não ha motivos para procurar, é a coisa menos científica que alguém poderia imaginar. Não procurar porque não se espera encontrar evidência alguma. E o fato é que as evidências são devastadoras. Eles declararam estas conclusões, para as quais não ha virtualmente nenhuma evidência, e assim eles ignoraram conclusões que poderiam ter sido obtidas a partir destas evidências.
Você não pode fazer uso da ciência quando lhe é negado acesso às evidências e quando a hipótese que você levanta é a menos válida, ao invés de ser a mais provável. Quando a hipótese mais provável  no caso do prédio 7, nem foi mencionada. Isto não é ciência."



Ronald Brookman, engenheiro de estruturas: "A destruição das evidências foi um ato criminoso em si mesmo. As provas já estavam sendo transportadas e destruídas quando os investigadores da agencia federal de gerenciamento de Emergências (FEMA) chegaram ao local, cerca de um mês depois de 11 de setembro."

Richard Gage também critica:  "As evidências científicas forenses foram ignoradas pelo NIST, mais uma vez revistas cuidadosamente por equipes de profissionais técnicos, corroboram com a hipótese de uma demolição controlada feita com explosivos. Nós viajamos para 21 países e para 32 cidades americanas, chamando a atenção do público para essas evidências. E nós fomos apoiados por membros das famílias de vítimas de 11 de setembro e por outros cidadãos preocupados que clamam por uma investigação independente e imparcial. "

Na opinião dos investigadores da Universidade de Copenhague, o ataque às torres gémeas serviu para “criar ódio contra os árabes e fomentar as guerras americanas na saga pelo petróleo e a hegemonia Israelita no Médio Oriente”.


o9/11: EVIDÊNCIA EXPLOSIVA



Engenheiros desmascaram 11 de Setembro



Steven Jones - Evidencias incontestáveis


Niels Harrit encontra explosivos Nano Thermite no WTC

Nenhum comentário:

Postar um comentário