segunda-feira, 27 de maio de 2013

Sobre a Iluminação - Adyashanti


Sobre a Iluminação - Adyashanti 

"Iluminação é apenas não se perceber através do ego. 
É não ver a vida, ou qualquer coisa, você mesmo, a vida, seu tênis, o cachorro, o gato, qualquer coisa, a partir do ego. 
É não ver o mundo, e tudo o mais através da distorção que chamamos de ego, é permanecer na pura consciência. 
É por isso que é chamado de Estado Natural. 
Vejam que Estado Natural, não é através de lente alternativa, mas é sim a ausência de qualquer lente projetada sobre a realidade. 
É a dissolução de todas as distorções. 
É isso que é a Iluminação, a percepção sem distorções. Aquilo que percebemos, como sendo pensamentos, emoções, ou uma situação qualquer, relacionamentos, qualquer coisa é percebida diretamente e não pelas lentes do ego.
É isso que é Iluminação. 
Claro que existem compreensões profundas a partir disso. Ver através do véu é o poder realmente Ver, é a percepção além das histórias. 
A maioria das pessoas acreditam que Iluminação é um Satori eterno. Uma iluminação eterna, um Despertar eterno.Uma experiência infinita. 
Mas não é uma experiência infinita e nem tem nada a ver com experiência infinita. 
Essa compreensão lhe dará mais profundidade de percepções e compreensões de que o sonho existe. 
É apenas uma clara visão de que a realidade pode ser vista diretamente, sem as lentes do ego. 
Isso é iluminação. 
E é muito bom, se perceber a Realidade sem as lentes do ego. 
É alegria, é paz e é o fim da sua busca. 
Não é que você encontrou alguma coisa, exceto sanidade. Não é que você atingiu alguma coisa, além daquilo que você sempre foi. 
Isso é Nirvana: Ver as coisas como elas realmente são. Logo, quando você vê as coisas como elas realmente são, naturalmente elas são boas. 
A natureza real das coisas está além dos pensamentos, é puro vazio, vacuidade. É não-existência.
A natureza de tudo é insubstancial. 
E Essa visão é além da dimensão da consciência. 
Pela perspectiva da Iluminação tudo está além da dimensão da consciência. 
Faz sentido para vocês? 
O ego, (e a maioria das pessoas vive pelas lentes do ego - daí o termo egoico ) mas existe essa dimensão que é além da dimensão egoica onde a pura percepção está lá, acontece sem interferências. 
Aquilo que o ego chama de inimigos, nessa dimensão não existem. 
Aquilo que você chama de dualidade, nessa dimensão não existe. 
Aquilo que se chama auto-imagem não existe tão pouco, uma vez que não se percebe onde começa e termina esse Self, já que ele é Tudo; aquilo que o ego chama de "eu" nada mais são que os pensamentos a respeito dele. 
Logo, alcançar a dimensão além da mente, o ego pode estar presente, os pensamentos e tudo o mais permanecem, sem problemas, e serão visto como tal, pensamentos, que passam. 
Não se precisa preocupar com isso, deixe-os vir. 
Eles fazem parte da existência. 
A Consciência os percebe, sem nenhum problema. Permanecer na Consciência de tudo, esse é o ponto. 
Em geral, espiritualidade é associada a um estado alterado de consciência, algo extraordinário. 
Você pode ficar repetindo o nome de Deus por cinco horas, você terá um estado alterado de consciência, você se sente diferente; Existem várias práticas que podem alterar seu estado de consciência. 
Mas a coisa engraçada é que Iluminação não tem a ver com nada disso. 
Iluminação é a ausência de qualquer estado alterado de consciência. 
A Consciência não precisa de nenhuma alteração para Ver aquilo que É. 
Aquilo que é, não precisa de nenhuma alteração de consciência para ser percebido.
A alteração de consciência é necessária para se ver algo que é mais do daquilo que realmente É. 
Ou seja, criações além do Um. 
Logo no momento que no Zen chamamos de Satori ou iluminação, na iluminação se enxerga como o ego desaparece, e com ele todas aquelas projeções ilusórias que criavam as divisões. 
Isso é o Despertar. 
E o que acontece hoje, amanhã, daqui a um ano, não importa, a percepção da Verdade, a experiência permanece.(...)
O que é realmente importante no Satori, é como o ego vem abaixo. 
Aquilo que você acreditava, confiava, vivia, desaba. 
A orientação mais importante que vemos a partir da visão egoica dual, é que percebamos que existe algo que mantém tudo isso; e que o ego é em si mesmo, um grande gasto de energia, e que mesmo não sendo verdadeiro, ele emerge dessa fonte constantemente até seu fim. 
Esse ego é mantido aceso como uma brasa, ele é alimentado instante a instante. 
A verdadeira disciplina espiritual é não alimentar esse ego, é não colocar mais energia nessa divisão egoica. 
Apenas isso, nada mais.” 

Adyashanti é um professor espiritual norte-americano. Por 14 anos ele estudou Zen com professores da linhagem de Shunryu Suzuki. Aos 25 anos ele começou a experimentar uma série de transformações de despertar espiritual. Seis anos depois ele foi convidado por sua professora, Arvis Justi, a ensinar. Desde então dá palestras e escreve livros sem estar vinculado a nenhuma tradição Zen específica. 




4 comentários:

  1. já experimentei várias coisas á partir da mente vazia, muitos não compreende e me acham doida, mas acontecem fatos na minha vida, que agora sou obrigada a guardar só pra mim. obrigada por esta página, me faz perceber que devo continuar do jeito que sou, beijos, Deus abençõeo

    ResponderExcluir
  2. Cristina,
    É no silêncio da mente vazia que encontramos nossa verdadeira natureza: O AMOR!
    Sejamos doidos todos juntos!!
    Agora você não precisa guardar só para si, compartilhe com todos os corações que aqui estão, em unidade com você!
    Com Amor...

    ResponderExcluir
  3. Na visão do Coração....

    " Apenas aquele com olhos perfeitos pode ver A Perfeição. E o que são os olhos perfeitos ? Olhos que veem sem desejos ou interpretação " ( Mooji )


    Além...

    ResponderExcluir
  4. Tá mundo louco oooooba!rsrsrs... Assim fosse a humanidade toda,chegará a hora de todos!
    Cristina,sabemos o que você esta vivenciando,este momento do planeta Terra
    é Único! Em breve vamos alçar VOO! Que beleza!!!UHÚUUUUUUUUUUU........
    Meninas, belo texto de Adyashanti! A Iluminação é Tudo!
    Obrigada! Beijocas!
    Ceiça.

    ResponderExcluir