sábado, 23 de março de 2013


RECOMENDAMOS A LEITURA
Livro: A Física da Alma
Autor: Amit Goswami
Editora: Aleph


No ápice das tendências materialistas de nossa civilização, talvez por pairar no ar uma certa angústia existencial, ou uma sensação de perda do rumo, as pessoas buscam como nunca respostas, soluções para suas depressões ou fobias, e tantos outros males contemporâneos. 
Nessa busca, cresce o interesse por leituras espirituais e filmes que abordam esses temas, principalmente quando estes se encontram vinculados às questões científicas. 
Nesse viés pode-se dizer que Amit Goswami é uma revelação nesse campo, um cientista genial profundamente interessado pela espiritualidade – é o que vamos encontrar em sua obra. 
O início da leitura deste livro pode ser um tanto árduo, principalmente para os leitores menos familiarizados com as questões aqui abordadas. Nesse sentido, porém, A Física da Alma, de Amit Goswami, é uma metáfora da própria jornada espiritual humana – difícil no princípio da caminhada, mas à medida que se avança e se compreende o sentido desta viagem, tudo se torna límpido e fascinante, e nos sentimos estimulados a vencer os obstáculos e desafios que se interpõem ao longo do caminho. 
A linguagem do autor é didática e simples, traduz sem problemas conceitos científicos às vezes bem complexos. 
Goswami é um profissional multidisciplinar. Embora seu campo de atuação seja o da física quântica, ele passeia livremente pela psicanálise, pela mitologia, por concepções espirituais as mais diversas, por teorias lingüísticas, pela filosofia e pela própria literatura universal. 
Este pesquisador indiano, residente nos Estados Unidos, promete em sua obra aliar a física quântica à espiritualidade, caminhando assim por veredas controvertidas e enfrentando preconceitos da comunidade científica, sem medo de rótulos ou de enfrentar os desafios desta jornada. 
Seu trabalho é cientificamente bem fundamentado, apto a enfrentar os adversários mais eruditos e exigentes. 
Em plena ascensão de uma civilização materialista e cética, Goswami revela, através dos dados e experiências comprovadas que apresenta nesta obra, ser possível aliar ciência e espírito, gerando assim uma nova, excitante e reveladora visão de mundo. Mesmo no ápice do desenvolvimento materialista, ele demonstra o quanto os cientistas sentem-se impotentes ao perceber que, com todo o incremento científico, persiste o medo da morte. 
Esse temor obstinado parece assustar os pesquisadores, que já não conseguem mais encobrir seu próprio medo da morte, por mais irracional que o julguem. 
Essa é apenas uma das polêmicas conclusões do autor neste livro revolucionário. No prefácio desta publicação, o autor levanta as questões principais que serão trabalhadas em sua pesquisa, e a pergunta principal é – “o que transmigra de um corpo encarnado para outro, (…), e como isso acontece?” A essa e a outras indagações o escritor procura responder sem se valer da cilada que apanha cada cientista que se aventura neste sutil e complexo caminho – a concepção cartesiana de dualidade, segundo a qual mente e cérebro, corpo e alma são entidades completamente separadas e opostas. Suas respostas baseiam-se na física quântica e provam que a reencarnação pode ser um conceito científico. 
O autor iniciou as pesquisas para A Física da Alma quase imediatamente à publicação daquela obra, aproximadamente por volta de 1993. 
Neste último, ele aprofunda as reflexões tecidas no volume precedente, avançando em seus pontos de vista, progredindo em suas perquirições. 
Com o desenvolvimento de uma teoria apropriada para responder às questões sobre reencarnação, sobrevivência da alma, preservação e transporte das memórias de uma encarnação para outra, vida e morte, desenvolvimento do organismo humano, evolução da espécie, entre outras – a física da alma -, Goswami encontra a solução para transcender o dualismo, através de conceitos como mônada quântica, memória quântica, corpos sutis, si-mesmo quântico, etc. 
Embora tudo pareça complexo, até mesmo surreal, essas questões não são alheias a quem interage com o mundo virtual e com filmes como “Matrix”. 
Quem nunca se perguntou sobre a natureza da realidade, sobre o sentido da vida, sobre os mistérios da morte? 
Mas o leitor não precisa se preocupar, este livro não está inserido em mais uma vertente mística ou esotérica, trata-se de um trabalho sério, baseado em pesquisas exaustivas, profundas e estritamente científicas. 
Goswami segue na contramão da física clássica para situar os conceitos espirituais, e define a realidade como um grupo de possibilidades dentro da consciência. 
Mas o autor não se detém em discussões complexas e entediantes que só interessariam aos físicos ou aos adeptos das disciplinas exatas. 
Primeiro, porque hoje a física quântica é utilizada por vários profissionais, inclusive das áreas humanas, para ampliar o leque de suas pesquisas e de suas teorias. Segundo, porque o autor também caminha por veredas filosóficas sedutoras e intrigantes, como as questões da percepção humana, da criatividade, da memória, navegando pelas mais diversas culturas religiosas do Oriente e do Ocidente. 
Além desses caminhos, ele igualmente percorre os das controvertidas experiências de quase-morte, dos canalizadores e médiuns, das crianças que se lembram de vidas passadas, e discorre inclusive sobre a perda do sentido da vida, quando se ignora o destino pós-morte, e quando a própria morte torna-se aterrorizante e vazia. 
Ao concluir a leitura deste livro encantador, o leitor pode extrair conclusões que deveriam parecer óbvias, mas não o são, como as de que a vida – tão desvalorizada em nossa civilização – não pode ser movida apenas por impulsos materiais, sem perder sua essência, seu sentido maior, o de uma longa jornada de aprendizado, de transformação interior. Quando o Homem perde essa percepção e mina, em seu íntimo, noções ancestrais sobre a vida e a morte, ele perde a oportunidade de se libertar, ou pelo menos de poder escolher seu destino após a morte, que Goswami considera como um ritual de passagem essencial em nossa jornada espiritual. 

Amit Goswami é conferencista, pesquisador e professor titular da Universidade de Física de Oregon. Ph.D em física quântica, é físico residente no Institute of Noetic Sciences. 
Filho de um guru hinduísta, ele une seus conhecimentos das tradições místicas à paixão pela Ciência. Recentemente o teórico e escritor participou do surpreendente filme “Quem Somos Nós? (What the Bleep do we Know!?)”, uma produção independente que para surpresa de todos se tornou sucesso de bilheteria nos Estados Unidos, no qual expõe suas idéias – hoje este documentário está disponível também em DVD.


Nenhum comentário:

Postar um comentário