domingo, 24 de março de 2013

NARCISO

Narciso - Texto Anonimo


"Conta a mitologia que Narciso, ao nascer, sua mãe consultou Tirésias, o adivinho cego, para saber o destino do filho: se ele conseguiria viver até envelhecer e morrer. Tirésias respondeu que isso ocorreria se Narciso nunca pudesse conhecer a si mesmo. 
A orientação recebida foi seguida a risco. 
Narciso cresceu forte, admirado e amado por todos. Embora nunca tivesse visto o próprio rosto sabia-se belo pela reação das pessoas, mas não conseguia ter certeza de nada e dependia de que lhe dissessem o quão lindo era para sentir-se confiante e seguro. Assim, Narciso caminhou pela vida, centrado em si mesmo, cercado pelas pessoas que admiravam sua beleza, mas rechaçavam sua arrogância. 
Narciso gastava toda sua energia na afirmação de sua identidade através dos outros embora os tratasse com desdém, por se imaginar o melhor dos mortais. 
Todos se maravilhavam da beleza de Narciso, mas ninguém conseguia dele se aproximar, pois de tanto receber elogios, convencera-se de que não havia pessoa no mundo digna de olhá-lo. 
Assim a vida seguiu seu trajeto e a história cumpriu-se, até o dia em que Narciso, afastando-se de casa, chegou às margens de um lago para beber água e viu uma linda imagem refletida na água. 
Sorriu e o belo rosto retribuiu o sorriso. Narciso enredado por tamanha beleza apaixonou-se perdidamente pela imagem que via no espelho d’água, nela mergulhando para o encontro com o ser amado, terminando por morrer afogado."


A historia de Narciso, guardadas as devidas proporções, pode servir de metáfora, para aqueles que, supostamente estão no caminho espiritual, e se apropriam das “mensagens”, utilizando-se de um padrão invasivo de grandiosidade, necessidade de admiração e falta de empatia.

São essas pessoas que dominadas por seu ego espiritual, assim com Narciso, conseguem “constatar” as falhas de todos as sua volta, mas nunca olhar para si mesmo.
Os indivíduos que assumem esse papel têm um sentimento grandioso de sua própria importância. Eles rotineiramente superestimam suas capacidades e exageram suas realizações, frequentemente parecendo presunçosos ou arrogantes. 
Eles podem presumir que os outros atribuem o mesmo valor a seus esforços e surpreender-se e reagir violentamente, quando não recebem o louvor que esperam e julgam merecer.
Essas pessoas se acreditam superiores, especiais ou únicas e esperam ser reconhecidas pelos outros como tal. Seus esforços são sempre os maiores, suas verdades as mais absolutas, a visão dos outros torna-se completamente irrelevante, por que elas só têm ouvidos para si mesmas.
Em seu devaneio de detentor da única verdade espiritual, daquele que já atingiu a “eternidade” de forma inquestionável, podem achar que somente conseguem ser compreendidos e apenas devem associar-se com outras pessoas especiais ou de situação elevada, podendo atribuir qualidades de "singularidade", "perfeição" ou "talento" àqueles a quem se associa.
Um menosprezo (desvalorização) da contribuição dos outros frequentemente está implícito na apreciação exagerada de suas próprias realizações.


“O ego espiritual que vai lhes dizer: “eu tenho poderes, eu sou Cristo, eu sou Deus”, querendo então que vocês desempenhem um papel, ainda um papel, ainda uma máscara. No Coração, não há identificação de qualquer pessoa ou de qualquer personagem. Há apenas a vibração do ser! Há apenas a ressonância com o além, UNIFICADO!” – Fhilippe de Lyon

*texto enviado por um colaborador


NOTA MUITO ALÉM
Muito Além é um pequeno jardim com flores maduras, livres e de todas as cores.
Muito Além não vai cuidar de nenhuma delas, apenas as envolve com muito amor e carinho.
Assim, acolhemos com respeito a manifestação de cada um, deixando sempre claro que somos neutros em relação a todo tipo de espiritualidade.
Nós seguimos tão só nosso coração.


3 comentários:

  1. Para mim, o ego espiritual e a arrogância é a mesma coisa ! são apenas lados disfarçados de uma mesma moeda !
    Somente um Coração Puro pode exceder ao ego espiritual ! não há outra porta !!

    Bem aventurados os simples e humildes de coração pois eles excluem todo pensamento de egoísmo e de orgulho !

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. NarcisISMO. EgoISMO. EgocentrISMO. São tantos "ismos"..., para mim, nada mais são do que "jogos" da pequena pessoa = Ego(s)-Lego(s). Todo exagero reflete um extremo. E todo extremo, em qualquer situação, reflete um desequilíbrio.

    Nas palavras dos próprios Intervenientes:

    "Não há maiores, nem melhores."
    Sendo assim, *Não há menores, nem piores*. Que isso Ressoe no Coração de cada um(a) de nós. É uma boa reflexão para todos nós!

    Todos aqueles(as) que se apossam, se apropriam do que quer que seja - Tomam para sí o que é para todos(as). Constroem "torres, castelos e muralhas imaginárias" a fim de se "protegerem" dos outros(as). E, as máscaras, cedo ou tarde, caem!
    Até mesmo uma "máscara de ferro", com o tempo, enferruja!
    Para mim, toda essas "estratégias" de Auto-preservação e de Projeção sobre os outros(as) reflete o medo. Mesmo que a pessoa não o admita.
    Diante dessa reflexão, mantenhamos o discernimento e a Lucidez!

    "Bem aventurados aqueles(as) que se parecem com as Criancinhas porque delas é o Reino dos Céus!"
    Cecy.

    ResponderExcluir
  3. Viver em CRISTO é manifestar a potência total (sem poder) do Dom do Amor d’Aquele que se doou e que não pensou em si, d’Aquele que é, sobre a Terra, o menor, o mais insignificante, o mais inexistente, mas que É o Tudo, além da insignificância. (Philippe de Lyon)



    ResponderExcluir